Quinta, 21 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

As 7 melhores histórias Elseworlds da DC Comics

Foi anunciado mais um crossover Arrowverse para 2018, mas esse ano o  mega encontro dos heróis DC do canal CW será baseado no longo legado de histórias Elseworlds da DC Comics. Mas o que seria “Elseworlds”?

De 1989 até mais ou menos em  2003, as histórias chamadas Elseworlds levaram os conceitos clássicos da DC para fora da continuidade da editora. Elseworld é um tipo de publicação da editora DC Comics no qual transcorrem com seus personagens eventos não-convencionais, ocorrendo as histórias desse selo um mundo à parte. Universos paralelos onde podemos ver o personagem em uma situação que não aconteceria no “mundo real” em que ele vive

Quando eu pensei nesta lista, contei mais de 100 histórias que foram escritas nesse formato, eu li pelo menos umas 40, mas para não fazer uma lista enorme, escolhi apenas sete que poderiam virar filmes incríveis se a Warner parar de ser tão estúpida.

O Reino do Amanhã de MARK WAID e ALEX ROSS (1996)

 

O Reino do Amanhã tem 20 anos e permanece indiscutivelmente com maior Elseworlds de todos. Escrito por Mark Waid e ilustrado pelo pintor (é isso mesmo, ele não pode de forma alguma ser chamado de ilustrador) Alex Ross, esta história se passa no futuro, após a aposentadoria forçada do Superman. Nesse mundo, os heróis têm características e lemas mais violentos, que lutam entre si tanto quanto lutam contra vilões. Nesse viés, o Superman é forçado a sair do seu esconderijo tentando ainda mostrar que o velho heroísmo é a melhor coisa para acabar com aquele novo mundo tão violento. Depois o Batman e a Mulher-Maravilha entram na parada e as coisas ficam literalmente apocalípticas.

Liga da Justiça – O Prego de  ALAN DAVIS (1998)

 

Como seria o Universo DC sem um Superman? Nesta mini-série, um prego aleatório na estrada faz um pneu furar do carro dos Kent no fatídico dia em que o bebê Kal-El pousou em Smallville, significando que nunca houve um Super-Homem para liderar os super-heróis neste universo DC. Isso cria um mundo muito diferente do que estamos acostumados e, claro, com uma Liga da Justiça sem seu maior ícone. E se não foram os Kent que encontraram a nave de Kal-El, então quem diabos foi? Escrito e ilustrado por Alan Davis, esta obra é essencial para compreendermos quase todos os personagens do UDC.

Superman – Entre a Foice e o Martelo de MARK MILLAR, DAVE JOHNSON e KILIAN PLUNKETT (2003)

 

Aqui ‘O SE’ no UDC nunca foi tão criativo. Nessa história, a nave do Superman caiu na Rússia, então aquele papo de ‘Verdade, Justiça e o American way’ nem existe neste universo, aqui temos uma ferramenta alien super poderosa da União Soviética que luta por “Stalin, o socialismo e a expansão internacional do Pacto de Varsóvia”. Essa história também nos dá versões legais da Guerra Fria de outros personagens icônicos da DC. Facilmente a melhor e mais célebre história do Superman Elseworlds e uma das últimas histórias de Mark Millar na DC.

Batman & Dracula: Red Rain de  DOUG MOENCH e KELLEY JONES (1991-1998)

 

Batman é uma criatura da noite, e os vampiros são criaturas da noite que se transformam em morcegos. Então, como demorou tantas décadas para fazer uma boa história de vampiros do Batman? Isso só aconteceu nos anos 90. Na verdade, a saga vampírica Batman é composta de três graphic novels separadas – Batman & Dracula: Red Rain (1991), Bloodstorm (1994) e Crimson Mist (1998) – todos os quais apresentam Batman se tornando um vampiro para derrotar o Drácula. Escrita Doug Moench e a arte assustadora de Kelley Jones fez este um dos títulos mais populares do Elseworlds.

Wonder Wonan: Amazonia (1997) de WILLIAM MESSNER-LOEBS, PAUL KUPPERBERG e PHIL WINSLADE

Versão americana. Não existem muitas histórias solo dela no Elseworlds, mas Amazonia é provavelmente a melhor. Nao sei também se esta história saiu em alguma coleção no brasil, espero que você que está lendo isso, me fale se saiu ou não.

A história só tem apenas um volume ambientada em estilo steampunk no final da era vitoriana em Londres quando toda a família real britânica foi assassinada em 1888. Esta nova Inglaterra é então governada por um regime patriarcal opressivo, que entra em conflito com a Amazônia recém-chegada. Diana lidera uma resistência contra o brutal e misógino reino.

BATMAN: IN DARKEST KNIGHT BY MIKE W. BARR AND JERRY BINGHAM (1994)

Versão americana.

Batman é um herói cuja maior arma é o medo, e a Tropa dos Lanternas Verdes são seres sem medo. Os dois conceitos são água e óleo, mas este conto Elseworlds explora o que aconteceria se Bruce Wayne fosse o escolhido para ter o anel esmeralda de Abin Sur em vez de Hal Jordan e começando sua carreira como o vigilante de Gotham. Soa ruim, não é? Mas esse mashup de super-heróis também tem reviravoltas divertidas na origem do Batman e Lanterna Verde que conhecemos. Vale a pena demais.

Batman: Sina Macabra de MIKE MIGNOLA, RICHARD PACE, e TROY NIXEY (2001)

Saiu no Brasil ano passado na revista DC Comics – Coleção de Graphic Novels n° 42.

Sabiam que foi o criador do Hellboy, Mike Mignola, começou toda essa onda Elseworlds escrevendo Gotham By Gaslight em 1989? Certeza que não sabia disso, não é? Neste quadrinho ele apresentou uma era vitoriana com o Batman lutando contra Jack, o Estripador.

Em Sina Macabra, Mignola, juntamente com Richard Pace e Troy Nixey, levam  o Batman para a década 20 do século XX, mostrando um Bruce Wayne tentando lidar com um mal sobrenatural na vibe H.P. Lovecraft.

Você tem sua lista de quadrinhos Elseworlds preferidos? Deixe seu comentário que provarei que estará errado.

 

Imagens: DC Comics

Veja também:  Warner Não Tem Planos Para O Superman De Henry Cavill E O Batman Do Ben Affleck

Quem é PikachuSama

Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.

 

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: