Sexta, 22 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

CEO da Hasbro acredita que D&D tem futuro nos E-Sports

Será que o RPG de mesa Dungeons & Dragons tem futuro nos E-Sports? O CEO da Hasbro acredita que sim.

Falando com Jim Cramer ontem sobre a boa-renda da Quinta Edição, o diretor executivo da Hasbro Brian Goldner mencionou que Dungeons & Dragons era “propício para competições E-Sports”, citando a grande presença on-line do jogo e jogatina imersiva.

Goldner falava com Cramer depois que o valor da Bolsa da Hasbro pulou 12% na segunda-feira; resultado de fortes lucros trimestrais e receitas que excederam a estimativa de Wall-Street. Cramer mencionou que Goldner fez menção a “Dungeons & Dragons” como um grande feito da Hasbro, levando Cramer a perceber que ele havia considerado o jogo como uma “marca morta”.

27244dab1fc27cfdf163f6038851ce17.jpg

“Hoje, as pessoas estão sendo atraídas ao D&D como nunca antes,” disse Goldner “As pessoas voltaram a jogar porque é um jogo cara-a-cara, é imersivo e é um jogo que as pessoas realmente se divertem juntas.”

Goldner havia acabado de anunciar um crossover com Magic: The Gathering e que a marca Magic também está fazendo sucesso com o jogo de celular Magic: Arena, que tem cerca de 1 milhão de jogadores no Beta. Goldner disse que haviam mais “planos” para jogos digitais baseados em Dungeons & Dragons e Magic: The Gathering, e ele acredita que também existe bastante espaço para estes jogos entrarem em um cenário competitivo dos E-Sports.

Baseando-se no contexto dos comentários de Goldner, ele parece crer que um dos jogos digitais de D&D poderia se transformar numa plataforma de competições E-Sports, mas pode ser que ele também tenha se referido à versões mais “tradicionais” do jogo. Embora fãs tradicionais de D&D (NdT: eu incluso) possam zombar da ideia do jogo ser utilizado para competições, o jogo realmente tem uma boa presença online graças ao seu canal do Twitch. Fora isso, também já temos histórias de D&D sendo jogado competitivamente – embora não em um cenário de Personagem versus Personagem. Por exemplo, Gary Gilgax criou a Tumba dos Horrores para torneios de D&D – Uma masmorra extremamente difícil para desafiar Personagens de Jogadores teoricamente invencíveis. Devo admitir: seria divertido ver equipes como Vox Machina ou a Wafflecrew entrando em uma masmorra ridícula só pra ver quem sobrevive.
tumba.jpg

Além disso, o D&D Adventurer’s League já provém regras padronizadas para jogatinas organizadas.

A proposta do Adventurer’s League é para que jogadores consigam upar seus personagens e leva-los a qualquer mesa da Adventurer’s League sem problemas. Hipoteticamente, não seria tão difícil introduzir um aspecto competitivo nas jogatinas de Aventurer’s League – Botar personagens para fazerem missões individuais para competir por pontos que poderiam levar a uma competição maior no final da linha.

E você? Acha que o D&D tem futuro nos E-Sports? Escreva nos comentários!

Texto Traduzido da comicbook.com: Texto original aqui

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: