Sábado, 03 De Novembro De 2018

Anuncie Aqui!

Crítica | A Maldição da Residência Hill (Sem Spoiler)

 

Nossa, Pikachu, mês de outubro Netflix tá lançando muita coisa de Terror, né? Sim, hoje graças ao advento da tecnologia e dinâmica no entretenimento, empresas como a Netflix podem criar seu próprio tema dependendo de eventos de um determinado momento do ano. Em outubro nós temos o que? Halloween!!

Outubro é perfeito para  A Maldição da Residência Hill. A série é baseada no famoso livro com o mesmo nome de Shirley Jackson de 1959, que a mostra a vida de cinco irmãos que têm suas vidas entrelaçadas à casa que moraram na infância – agora uma das mais famosas casas assombradas da história – depois de uma tragédia familiar.

A Maldição da Residência Hill é decente, traz alguns elementos do vibrante terror clássico que muita gente gosta. Aqui não precisa mostrar tanto sangue, aqui é sobre você se assustar com coisas a meia sombra horripilantes. Poderia ser mais assustador? Poderia, mas o drama da família amaldiçoada se torna um pano de fundo digno, pois a cada episódio – eu assisti até o quinto para escrever esta crítica – a gente mergulha mais na história e vida dessa família.

A melhor coisa da série é qualidade do enredo e interpretações dos atores, de Carla Gugino e Timothy Hutton a Elizabeth Reaser e Oliver Jackson-Cohen. Junte também as atuações do núcleo mirim e teremos um ambiente verdadeiramente inquietante. Essas performances juntam eles como um todo, uma conexão que não aumenta e nem diminui a importância de cada um. Esta é uma série de terror, um drama familiar que vai assustar você se maratonar quando estiver de madrugada e com insônia.

Semana que vem, no dia dos mortos, eu posto a resenha com spoiler e todos os segredos da série. Por enquanto, esta única lauda de palavras já basta para você correr e assistir essa obra prima.

 

Quem é PikachuSama

Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.

 

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: