Sexta, 22 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

D&Dezembro | 8 Lições de Liderança Retiradas de Dungeons & Dragons.

Esse texto é uma tradução de um artigo da Forbes, escrita por Goldie Chan.

O que um livro cheio de monstros, algumas folhas de papel e um dado de vinte faces nos ensina sobre liderança? Parece que alguma coisa – especialmente quando nós consideramos que no cerne do mundo fantasioso de Dungeons & Dragons se encontram liderança estratégica e narração criativa.

Dungeons & Dragons ou D&D é um jogo de interpretação de papéis onde um Mestre conduz personagens fantasiosos em um mundo de aventura repleto de perigo. Este é um dos mais famosos jogos de interpretação de papéis do mundo, com mais de 8,6 milhões de americanos tendo jogado D&D em 2017 e o número rapidamente crescendo em 2018. O jogo já foi mostrado em várias séries e filmes como o Stranger Things, da Netflix.

O monstruoso Demogorgon assusta pessoas na casa assombrada de Stranger Things durante as Noites de Horror de Halloween nos Estúdios Universal em Orlando, na Flórida. (AP Photo/John Raoux)

Em D&D, o Mestre ou DM(do inglês, Dungeon Master) constrói uma história complexa e conduz um grupo fantasioso direto ao conflito – sem sequer olhar para trás(ao menos, não sem um feitiço ou dois). Mas grandes DMs são mais raros que um “20 natural”(uma jogada perfeita com um dado de 20 lados) e eles estão sempre sendo procurados porque eles fazem os seus jogos(e trabalho em equipe) divertidos, agitados e cheios de aventura. Aqui estão oito boas práticas e lições de liderança de alguns dos mais interessantes Mestres por aí – todos que irão lhe ensinar como se tornar um líder melhor hoje.

Satine Phoenix Wizards of the Coast D&D
Satine Phoenix conduz um complexo jogo de Dungeons & Dragons com um elenco exclusivamente feminino. Wizards of the Coast.

1. Seja compassivo

Uma das características mais reconhecíveis em um grande Mestre (e líder) é a habilidade de entender um espaço – de ser compassivo com seu time e sua comunidade. “No momento em que você coloca o escudo do mestre todos se abrem, entregando sua imaginação junto com todas as suas vulnerabilidades”, explica Satine Phoenix, gerente de comunidades para Dungeons & Dragons na Wizards of the Coas e co-criadora de Maze Arcana.

“Você se torna responsável por guiar sua cooperação para desenvolver a história, conduzindo o grupo através de tempestades emocionais e trazer todos a salvo de volta à realidade. Você se torna seu líder – aprendendo menos sobre controle e mais sobre compaixão, paciência e como realmente ouvir àqueles ao seu redor.” Resumindo – você, como um líder, é definitivamente responsável pelo bem estar do sucesso da sua equipe – e isso inclui lidar bem com o feedback da liderança e gentilmente forçar os membros do time ao seu limite e além.

2. Seja assertivo

Por outro lado, ser assertivo é também uma habilidade indispensável para se desenvolver. “Nem toda solução vai ter um resultado que beneficie todos os membros do grupo  ou de um departamento. Como o diretor criativo de conteúdo digital do Critical Role, jogar não só me ensinou a ser bem melhor e mais ágil em tomadas de decisão mas também a ser assertivo como líder,” observa Marisha Ray, fã de D&D e diretora criativa do Critical Role, um dos mais assistidos seriados de D&D na plataforma de games Twitch assim como no YouTube.

“Se você é rigoroso em suas avaliações com explicações razoáveis, o respeito pela sua liderança vai seguir. Afinal de contas, assim como um Mestre, alguém tem de tomar a decisão final” É fácil liderar com uma decisão popular – muito mais difícil fazer cumprir uma decisão que é para o bem maior mas que poderá ser desmotivadora para um ou mais membros. Ter uma firme compreensão do que é a decisão correta no momento resulta em um líder muito mais forte e um time bem melhor liderado.

B Dave Walters
B Dave Walter normalmente participa de eventos relacionados a Dungeons & Dragons como este para um lançamento especial em Los Angeles. Tyler Curtis

3. Seja esquisito

Branding pessoal e liderança podem estar ligados intimamente –  especialmente quando o líder tem um traço de esquisitice ou um elemento-chave de venda único. “Sempre achei que minha força se encontra na minha esquisitice. Sou uma mistura de excentricidade cintilante, com uma pitada de honestidade descarada e barulho expressivo,” revela Kelly Lynne D’Angelo, escritora de animação para Final Space da TBS, My Little Pony da Hasbro e DM nativo-americana de D&D, “Eu amo brincar de faz-de-conta, não impota se em minha escrita cômica, teatro musical, animação ou Dungeons & Dragons. E sobre liderança, eu permito que essas verdades me levem pra casa. Eu descobri que há confiança em cada canto se você se permite acreditar em si mesmo.”

O caráter único de D’Angelo ajudou-a a se destacar em uma variedade de funções e atividades e também aprendeu a liderar efetivamente – ser diferente traz fortes vantagens a longo prazo.

4. Seja um espelho

Em certos momentos, a melhor ferramenta para ajudar o seu time a aprender é ser um espelho que reflete seus desejos – bons ou maus. Talieson Jaffe, dublador talentoso e membro do imensamente popular Critical Role relata isso bem, “Há um momento em que o jogo transcende os atributos e anotações que você preparou e dá uma guinada veloz em direção ao desconhecido. Os jogadores riem de seus planos, ignoram as dicas sutis e acabam descobrindo algo muito mais interessante que estava escondida em sua história: um reflexo mítico de todos reunidos que aguarda um narrador para dar-lhe uma voz na mesa.”

Em linguagem leiga – quando sua equipe ignora ou reage à sua liderança direta – deixe-os liderar “o jogo” ou a estratégia por uma quantidade prudente de tempo. Isso pode ser muito revelador sobre o que a sua equipe realmente quer atingir e o que eles apenas disseram que queriam.

dice bag DnD
A maioria dos jogadores de Dungeons & Dragons tem vários conjuntos de dados. Foto: meu conjunto de dados. Goldie Chan

5. Seja acolhedor

Líderes frequentemente contratam e retém pessoal e equipes que se assemelhem, soem e pensem como eles. No entanto, há grandes benefícios em ser mais acolhedor a um time diverso. “Mais recentemente no Hyper RPG, nós pudemos verificar em como podemos usar o diálogo para compartilhar histórias genuínas de grupos de pessoas pouco representadas,” diz Malika Lim, chefe executiva do Hyper RPG, “Como Mestre e uma mulher queer de cor, eu sei o quão poderosa um lugar acolhedor em uma mesa pode ser, especialmente para aqueles que nós não vemos frequentemente na mídia tradicional.”

Não é fácil ser uma DM mulher(ou uma líder mulher) e o D&D começou a abraçar a diversidade de todo o seu coração de modo similar ao início de ações mais acolhedores no mundo corporativo. Trazer um ponto de vista mais novo pode contra-balancear o obsoleto e incentivar as marcas(e equipes) a avançarem.

6. Seja confiável

Se eles não confiarem em você, eles não irão segui-lo. “Se você vai liderar um grupo, você deve inspirá-los com sua visão de onde você está tentando levá-los,” destaca B. Dave Walters, escritor de Dungeons & Dragons: A Darkened Wish, DM profissional, e streamer. “Isso é narrativa. Narrativa é uma confiança sagrada. Se você consegue usar essa confiança e guia-los para algo grande ou mostrar a eles algo novo, então sua mesa e seu livro de anotações sempre estará cheio.”

Quanto mais a sua equipe confia em suas habilidades de liderança, mais eles irão querer segui-lo até o fim.  Do mesmo modo que Walters conectou uma narrativa poderosa a uma confiança gerada naturalmente, como um líder, você irá precisar garantir que a história que vocês está contando é digna desta confiança.

perception studio chunk cucumber dnd
Cucumber (interpretado por Danny Montooth) and Chunk (interpretado por Art Vega) dos estúdios Perception tiveram uma discussão animada sobre D&D em uma transmissão do Twitch enquanto Amber Reeder-Vega ri .Art Vega

7. Seja um ouvinte

Embora a confiança da sua equipe seja profundamente essencial, ouvi-los também é. “Ser um mestre de jogo, assim como gerenciar um negócio, nos lembra que as histórias que contamos são as nossas próprias,” diz Rob Manuel, estrategista de conteúdo da Amazon Games Studios. “Nossa audiência nos traz suas próprias percepções, desejos, e experiência para a mesa. Apenas quando trabalhamos com nossa audiência e respeitamos suas histórias, é que podemos criar aventuras épicas(e marcas) que resistirão ao teste do tempo.” Então embora ter um gameplay insanamente divertido seja importante em D&D, um DM deve sempre lembra-se de ouvir seus jogadores na mesa. Similarmente, líderes devem achar um modo de ultrapassar suas próprias opiniões para ouvir outras opiniões presentes na mesa.

8. Seja um guia cooperativo

A verdadeira definição de líder inclui a idéia de conduzir uma equipe – mas como alguém faz isso efetivamente? Para esse pensamento, vamos nos dirigir a dois DMs experientes e ex-marionetistas da Disney, Danny Montooth e Art Vega da Perception Studio.

Danny: “Conduzir um jogo de D&D é um grande exercício de fornecimento de informação e história a diferentes estilos de aprendizado enquanto se lidera uma equipe, ou um grupo de jogadores, em direção a um objetivo em comum.

Art: “Liderança na mestragem é essencial, e é mais um papel de liderança servil. Você não está no comando da aventura deles, você é o seu guia através dela.”

Danny: “A narrativa cooperativa na qual D&D está construída pode solidificar a camaradagem e o trabalho em equipe entre jogadores cada um tirando vantagem das forças do outro personagem e compensando suas fraquezas mútuas, em uma maneira engajada e positiva.

Seu canal no Twitch tem um grupo de seguidores baseados na natureza interativa de suas marionetes e de seus programas. Eles algumas vezes recebem feedback brutalmente honesto e alteram o modo de como seus jogos são conduzidos com base nisso.

Ser um Mestre forte e ser um líder forte, no geral, tem muitos traços – a habilidade de ouvir, confiar, cooperar, espelhar, aceitar, ser único, ser assertivo e ser compassivo. A maioria dessas habilidades envolve ouvir de verdade e acreditar em sua equipe – duas idéias que normalmente não são focadas quando a palavra “liderança” é inicialmente mencionada.

Embora a filosofia por trás de liderar uma marca corporativa ou um empresa possa parecer diferente daquela que governa a liderança em uma jornada fantástica por uma terra mítica, Dungeons & Dragons revela que não há um único tipo de líder – mas que temos a habilidade de nos tornarmos líderes melhores e mais sensíveis.

 

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: