Segunda, 09 De Julho De 2018

Notícias sobre Filmes, Séries e Netflix

Universo | E como tudo começou

Carl Sagan (1934 – 1996)

Nós somos, cada um de nós, um pequeno universo – Carl Sagan (1934 – 1996)

Com esta frase inicio o questionamento deste post, mas na verdade, o que é o Universo? Como ele surgiu? Como chegamos até aqui? E pra onde iremos? Bom todas estas frases possuem uma resposta que possivelmente cada um irá responder de uma forma diferente, entretanto, uns discordarão e outros aceitarão e acabará num sendo impossível de chegar em denominador comum. Mas podemos iniciar por onde sempre em cada história pelo começo, ou seja, pelo inicio de tudo: O Big Bang!
Antes de tudo possa ser dito aqui, nós humanos somos uma raça com diversas linhas de pensamento e de opiniões que porventura acreditam em tudo! Tudo mesmo! Se uns acreditam em Papai Noel (eu nunca acreditei quando era pequeno, juro! kkkkkk) e ou em contos de fadas, por mim tudo bem, mas devemos aceitar a opinião de algo lógico e racional de vez em quando, para que no final haja uma versão da história que tenha sentido.
No começo de tudo, relativamente designado pelos cientistas na faixa de 14 bilhões de anos, toda a matéria e energia existente no cosmos estavam agrupados em um trilionésimo de centimetro, acredito que por menor que seja tal menor do que a virgula que encerra esta frase.
Logo após um evento surreal e ainda desconhecido pelo conhecimento humano científico de explosão causada pelo aumento inimaginável de calor, tudo se exauriu em uma explosão: O BIG BANG! Com toda esta explosão criou-se as maiores forças que atuam em você, no seu cachorro, no seu planeta, na sua galáxia e em tudo, da qual eu chamo carinhosamente de os 4 cavaleiros do universo: Força Fraca, Força Nuclear, Força Eletromagnética e a Gravidade (outro post irei comentar cada uma delas).

Os 4 pilares do Universo.

Depois desta pequena ação de proporções surreais de expansão o universo engatinhava de forma singela contados de forma micro temporal (10−18 segundos), em uma combinação de matéria e energia resultou de forma espetacular na produção de fótons (partícula magnética), tal qual estes unidos em conjuntos com elétrons e quarks continuava com a expansão e resfriamento do recém universo em formação.
Na medida de 10−6 segundos, logo a explosão a tem o surgimento dos prótons, estes que por ventura possibilitaram a continua expansão do universo e o resfriamento consecutivo da matéria e energia criada. Neste cenário de continuo movimento de equilíbrio possibilitou aos fótons a aglutinação e o surgimento da luz como fonte de energia. Passado 2 segundos depois da grande expansão, o nosso universo já estava mais frio (109 Kelvin – 99999999726,84998 ºC) e surgiu assim com a fusão de prótons e prótons ligados a nêutrons conseguiram se transformar em um mar espacial de Hélio, Hidrogênio e resíduos de deutério, lítio e trítio que fomentariam a constituição básica de diversos outros elementos químicos em um universo que ainda estava a ser constituído.
De 2 minutos depois da explosão até por volta de 1 bi de anos, nada de importante a não ser o resfriamento continuo do universo e a constante matéria que gravitava em enormes concentrações possibilitou o surgimento das primeiras galáxias. Tais concentrações se reestruturavam em torno de si, estas que continham (e contém) bilhões e bilhões de estrelas cujos fornos termonucleares de hélio – hidrogênio – outros compostos químicos – facilitou ao ordenamento espacial gerando planetas e quiçá vida dentro delas.
A fusão de hélio e hidrogênio estão presente em quase todas as estrelas do universo

Ao passar da faixa de 9 bilhões de anos depois da explosão, na periferia do Superaglomerado de Virgem, em uma galáxia banal da Via Láctea, na região banal do Braço de Órion, uma estrela mediana nasceu. Esta estrela aglutinada com milhões de detritos espaciais e rochas provenientes de diversos cometas e asteróides, gerou um complexo sistema orbital contendo planetas rochosos e gasosos, centenas de asteroides e bilhões de cometas. Isto meus caros amigos é o nosso sistema solar! Exclusivamente na região mais centralizada, não muito perto e nem muito longe localizado na terceira órbita surgiu a exatamente 4,5 bilhões de anos o nosso planetinha azul: a Terra!
Primeira fotinha dela: a Terra!

Até o próximo post amigos!
See you Space Cowboy

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: