Quinta, 21 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

Janeiro Literário | Resenha: Marvel – A História Secreta, de Sean Howe

Cansado de ler resenhas sobre livros que ninguém conhece, escritos por autores que ninguém se importa? Seus problemas acabaram! Este é um texto sobre aquilo que todos conhecem (heróis), abordando especificidades que adoramos saber (bastidores). Sean Howe faz um trabalho aprofundado para que o leitor conheça a Marvel Comics com um nível de detalhamento avassalador. É preciso reconhecer o esforço, pois Howe pesquisou de entrevistas a artigos publicados, fazendo com que cada informação tenha a sua referência, sendo uma fonte confiável para qualquer discussão, inclusive para quem pretende fazer um trabalho científico sobre a indústria dos quadrinhos.

O livro inicia antes da Marvel ser a editora que todos conhecemos (como assim?). Howe faz no prefácio um perfil de Martin Goodman, fundador da Timely Comics posteriormente, com o crescimento do mercado de gibis, se tornaria a Marvel. Em seguida, avançamos aos destaques que são tão relevantes para qualquer leitor: o trabalho de criação dos personagens por Jack Kirby e Stan Lee, que elaboraram todo um universo de personagens iniciando com o Quarteto Fantástico. Estamos nos anos 1960 e podemos entender o processo de produção dos quadrinhos como um todo.

Mesmo sendo o resultado de uma grande pesquisa, não fica claro exatamente como se deu esse processo. Naquela época, roteiristas e desenhistas eram apenas funcionários contratados e estavam ali para garantir o mínimo para o seu sustento. Por isso não se sabia bem quem fazia o quê, com as revistas chegavam prontas para a impressão. Isso se seguiu até que Stan Lee começou a registrar os créditos no início de cada história, e aqui podemos entender o porquê do seu nome vir acompanhado de tanta polêmica quando se fala sobre quem criou os personagens.

Jack Kirby, Stan Lee e Martin Goodman

Aliás, para entender todo o processo de concepção da Marvel, é preciso compreender como se dava a relação entre três pessoas: Martin Goodman, Stan Lee e Jack Kirby. Goodman precisou aprender a ser empresário muito cedo e tinha uma visão financeira da coisa; enquanto Stan Lee era o entusiasta que buscava modos tanto para ampliar o número de leitores como meios de se aproximar deles e Jack Kirby era o que tinha as ideias ou sabia colocá-las no papel a partir de conversas com Lee ou dos curtos roteiros que ele enviava. É justo também citar a força que a DC Comics deu nesse início. Por subestimar o potencial dos novos heróis da Marvel, ela passou a fazer a distribuição, algo que viria a abalar as estruturas da Distinta Concorrente quando ela se deu conta que as revistas da antiga Timely estavam vendendo mais que as suas.

Dessa forma, vamos descobrindo que a história da Marvel não foi exatamente um céu de brigadeiro. Por diversas vezes, a empresa se viu numa situação de penúria, seja com a retração da indústria de quadrinhos, seja com decisões erradas que quase a faliram diversas vezes. O livro mostra situações comoventes. como a demissão de dezenas de funcionários, deixando os poucos restantes sobrecarregados. Nesse momento, fica claro como os personagens acabam tendo uma força maior que quem os publica. Com a saída de Goodman, a editora passou por diversas mãos.

Afinal, quem não queria ter os direitos sobre Capitão América, Thor, Hulk, Homem-Aranha? Não faltaram interessados, incluindo pessoas que nunca haviam lido um gibi. Cada personagem da Marvel era uma fonte de ouro, principalmente após Stan Lee convencer a todos que eles não precisavam se restringir aos quadrinhos. A popularidade dos heróis poderia alcançar o rádio, TV, cinema e seus produtos licenciados como brinquedos e material escolar. Sempre haveria novos leitores, curiosos para conhecer esse universo de histórias.

Essa solução também é a maldição da empresa, pois ao mesmo tempo que os personagens são produtos vendáveis, as suas histórias precisam manter um certo status quo que o público não leitor possa vir a se identificar. Assim, acontecimentos que modificam a essência dos heróis têm o seu prazo de validade, retornando após algum tempo à sua essência, o que faz com que vários leitores mais antigos se cansem dessa fórmula e abandonem a sua coleção.

Marvel Comics – A História Secreta detalha os bastidores de uma empresa durante cinco décadas (dos anos 60 até o final da primeira década do século XXI). Sean Howe utiliza uma habilidade narrativa que prende o leitor: em vários capítulos, ele finaliza com alguma situação dramática que fisga a atenção para o capítulo seguinte. Tática digna das utlizadas nos gibis, chamando os leitores para a edição do mês seguinte.

A capa da edição nacional. Ao lado, o autor Sean Howe apresenta orgulhoso sua obra

Contudo, eu tive as minhas dificuldades durante a leitura, principalmente em saber sobre em que ano se dava os acontecimentos.  Alguns capítulos são enormes e muitas vezes me fugia sobre em que ano eu estava. Em meados da década de 1980, por exemplo, ao discorrer sobre a publicação das primeiras Guerras Secretas, os acontecimentos que antecedem e os que sucedem são apresentados de tal forma que podem deixar o leitor perdido.

O escritor Sean Howe nasceu nos Estados Unidos e foi editor das revistas Entertainment Weekly e The Criterion Collection. O livro contou com entrevistas de mais de 150 pessoas que tiveram alguma relação com a Marvel Comics, além de trazer a fonte de 450 referências do livro. Não é à toa que ganhou o Prêmio Eisner em 2013 por Melhor Obra Relacionada a Quadrinhos. A edição nacional contou com a tradução de Érico Assis e apresenta como material exclusivo uma tabela das edições nacionais de cada gibi citado no livro, num primoroso trabalho de guia de leitura.

Marvel Comics – A História Secreta é uma excelente sugestão para quem quer aprofundar seus conhecimentos sobre a produção da indústria de quadrinhos de heróis e sua trajetória. Esse livro é indispensável para quem há muito tempo lê esse tipo de material e também é útil para aquele que apenas conhece a Marvel dos filmes. O autor não traz um texto tecnicista mas demonstra um ótimo estilo narrativo e sabe como encerrar cada capítulo, mantendo a curiosidade do leitor. É uma obra pra você ler e manter em local fácil na estante, pois fatalmente recorrerá às informações ricas e detalhes que ela traz.

Marvel Comics A História Secreta foi publicado pela Editora Leya em 2013 e possui 562 páginas.

Quem é Maciel Resende

Sou psicólogo por profissão e um nerd em tempo integral. Eu gosto de cinema, séries, filmes, livros mas a minha paixão são as histórias em quadrinho que estão presente em minha vida desde a infância. Atualmente cismei em querer escrever, opinando sobre essa minha paixão.

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: