Sábado, 11 De Agosto De 2018

Notícias sobre Filmes, Séries e Netflix

Mythos responde ao problema de preço nas assinaturas de Tex

Alguns dias atrás anunciamos aqui a boa notícia de que a Mythos está lançando três opções (box) de assinatura com 20% de desconto para o ranger mais conhecido do mundo: Tex!
Infelizmente, a notícia tinha um revés, pois a editora está cobrando 50% do frete para o assinante. Fizemos as contas aqui com um CEP de Teresina (capital do Piauí) e percebemos que um dos box  sairia por volta de R$70 mais caro do que se comprássemos os mesmo títulos em banca, esporadicamente.
A editora nos procurou e prometeu uma reavaliação dos preços e, hoje, recebemos uma reposta oficial sobre a situação:
“Temos uma resposta oficial. Checamos tudo para ver se era algum erro, mas a resposta que temos não é muito boa. Refizemos todos os cálculos para ver se era possível aumentar o desconto do frete, mas ele compromete a margem de maneira que se déssemos apenas mais esses R$70 de frete para igualar o custo da assinatura com o preço de capa, ficaria abaixo do mínimo para pagarmos as publicações com todos os seus custos. Na verdade, depois de olharmos com atenção todas as faixas de CEP, descobrimos inclusive que o mesmo ocorre no Box Tex I.”
“Isso realmente só não ocorre no Box Tex Completo (que está sendo o mais pedido pelos leitores). A Panini e a JBC podem dar frete grátis devido ao tipo de distribuição que eles tem, que é gigantesca, bem como uma vasta série de fatores: todos os produtos deles tem uma mesma faixa de preço, ou muito próxima. Não é o mesmo caso da linha Tex. Com isso, realmente recomendamos as assinaturas para quem quer a comodidade de receber em casa ou para quem (e é um número significativo) sofre de problemas de distribuição em banca.”
“Para determinadas regiões do país (e é um número reduzido) o problema do frete não é contornável. Se a pessoa comprasse na nossa loja, ia pagar de frete individual das revistas um valor significativamente maior de qualquer forma. Lamento, mas temos que lidar com a realidade dos custos.”
Diante do exposto, podemos concluir que, realmente, cabe ao leitor, decidir pela comodidade de receber seus quadrinhos em casa.
É oportuno lembrar que a distribuição de publicação no Brasil tem passado por várias dificuldades desde que a Fernando Chinaglia foi comprada pela Dinap, há quase dez anos atrás, formando um grande monopólio em bancas em todo o país, controladas pelo grupo Abril. Especificamente, no caso dos quadrinhos, a situação pareceu atingir ponto alto nesta crise, que culminou com a Panini deixando de trabalhar com a Abril, cuidando diretamente de sua própria distribuição em bancas, por volta de agosto de 2017. Considerando tudo isso, e colocando na balança os altos custos de frete que tem aumentado frequentemente nos Correios, cabe ao leitores avaliar o próprio bolso e decidir o que fazer.
Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: