Quinta, 21 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

Resenha: Thanos – Thanos Retorna (Jeff Lemire e Mike Deodato Jr.)

Título solo do Titã Louco tem seu maior destaque na arte do brasileiro Mike Deodato Jr

É inegável que o vilão Thanos sofre de transtorno dissociativo de identidade, coloquialmente chamado de dupla personalidade, pois, ao ser abordado por outros autores tem uma personalidade, e quando é abordado por seu criador, Jim Starlin, o vilão age de outra forma. O transtorno dissociativo de identidade (TDI) é uma condição mental em que um único indivíduo demonstra características de duas ou mais personalidades ou identidades distintas, cada uma com sua maneira de perceber e interagir com o meio.
Dessa forma, quando é abordado por Starlin, Thanos é um dos seres mais inteligentes do universo, seu niilismo só se compara aos seus planos não de dominação global, mas sim de sua busca por poder que possa remodelar o universo ao seu desejo. Seja através da Manopla do Infinito, seja através de Cubos Cósmicos, como na saga original em que o herói Capitão Marvel participou na década de 1970.

Imagem relacionada
Imagem de Desafio Infinito.

Porém, quando é escrito por outros autores da Marvel, como Jason Aaron em A Ascensão de Thanos, o vilão tem seu lado sádico, de poucas palavras e violento aflorado, como se o motivo de se destacar como um dos seres mais perigosos do universo fosse o seu sadismo e o horror que espalha pela galáxia. O maior exemplo de roteirista que interpretou o Thanos dessa forma foi Jonathan Hickman na saga Infinito. Ali, o vilão espalhava o terror ao lado de seus subordinados, a Ordem Negra, em um mundo que estava sem proteção dos maiores heróis da terra, com o objetivo único de assassinar seu filho Thane.
Resultado de imagem para thanos infinity jonathan hickman
Imagem promocional de Infinito.

Sabendo dessas duas abordagens que o vilão cósmico possui, uma sob a supervisão de seu criador e outra através do ponto de vistas de diversos autores, o leitor brasileiro pode se deparar com o lançamento de THANOS – THANOS RETORNA, publicação da editora Panini, e chegar a seguinte conclusão: O escritor Jeff Lemire é mais um a abordar o vilão como alguém sanguinário e que se impõe pelo terror.
 
Resultado de imagem para Thanos Mike Deodato
Arte de Thanos Retorna.

Na história, temos Thanos voltando ao seu local de domínio, o Quadrante Negro, e tendo que recuperar o seu reinado das mãos do seu antigo subalterno Corvus Glaive. Usando de muita violência, o Titã Louco tem outro inimigo que o preocupa: uma doença mortal, que, como um câncer, o consome e o enfraquece. Enquanto isso, seu filho Thane, ao lado de Nebulosa (com um visual saído diretamente dos filmes dos Guardiões da Galáxia), Starfox (irmão de Thanos) e Tryco Slstterus, buscam um meio de acabar de vez com a vida do vilão, nem que tenham que bater de frente com Terrax, outrora arauto de Galactus.
Percebe-se que o roteiro de Lemire é muito influenciado pelo trabalho de Jonathan Hickman, usando quase toda a base de coadjuvantes que foram criados na saga Infinito.
A história é direta e chega aos seus destinos rapidamente, desde a doença de Thanos até a busca da cura pela mesma. E essa é a parte que realmente incomoda quem conhece o personagem. O vilão tem uma relação umbilical com a Morte (entidade do universo Marvel), sempre buscando o seu afeto e a sua companhia. A busca pela cura da doença é feita de forma muito direta, não ocorrendo questionamentos interiores que expliquem porque Thanos quer viver a todo custo, tornando o vilão apenas um rolo compressor que encara seu pai, enfrenta a Guarda Imperial Shiar, tem que fugir de uma cadeia e é confrontado por Thane. O fator psicológico que sempre rendeu mais nuances ao personagem desaparece no texto de Lemire. E o mesmo pode ser dito dos outros personagens. As motivações de Thane, Nebulosa e Starfox não são bem trabalhadas, porém, sendo apenas claras, já que eles apenas querem porque querem acabar com Thanos, como muitas vezes tiveram chance e falharam.
E por falar em motivações, Thanos vem sofrendo da falta delas há bastante tempo na Marvel. Na Totalmente Nova e Diferente Marvel (iniciativa da editora), o vilão já apareceu sendo detido pelos heróis da Terra no começo de Guerra Civil II, quando foi preso por tentar roubar um Cubo Cósmico, e libertado por Hela, deusa asgardiana da morte, na minissérie O Indigno Thor.
Resultado de imagem para thanos JIM CHEUNG
Guerra Civil II

Porém, se o roteiro deixa a desejar quando se trata de aprofundar as motivações dos personagens, o leitor é brindado com os excelentes desenhos do brasileiro Mike Deodato Jr. E é nesse ponto que a revista brilha. Se a trama é direta e com várias cenas de ação desenfreada envolvendo seres de nível cósmico, Deodato acerta na mão ao fazer com que Thanos mal caiba nas páginas, mostrando a imponência do vilão e sua força, mesmo estando abatido pela doença.
Resultado de imagem para Thanos Mike Deodato
Thanos contra a Guarda Imperial Shiar.

A ação é grandiosa e condizente com o texto, fazendo com que a composição de quadros das páginas auxiliem nos momentos de diálogos e, principalmente, nos momentos de ação. As cores ficaram por conta de Frank Martin, costumaz colaborador de Deodato.
Resultado de imagem para Thanos gladiador Mike Deodato
Thanos contra a Guarda Imperial Shiar.

Porém, não é bom o leitor se empolgar. Deodato não fica muito no título, já que o desenhista foi chamado para ilustrar a nova fase de O Velho Logan. É uma pena, mas os desenhos dele em THANOS – THANOS RETORNA fazem valer a pena o encadernado.
Contando com um roteiro pouco inspirado e que não aprofunda a motivação de seus personagens, THANOS – THANOS RETORNA é mais uma história do Titã Louco que abusa de seu lado violento e sádico para mostrar o porquê o nome Thanos é temido no universo. Pelo menos, a arte compensa e muito ler essa história.
Resultado de imagem para Thanos gladiador Mike Deodato
Nota:
Roteiro: 06/10. Com um roteiro que não aprofunda as motivações dos personagens, THANOS – THANOS RETORNA está longe de ser uma das melhores histórias com o personagem.
Arte: 09/10. Com cenas de ação incríveis e um Thanos tão imponente que nem cabe nas páginas, Mike Deodato Jr. é o grande responsável por fazer valer a pena esse quadrinho.
Narrativa: 07/10. Roteiro e, principalmente, arte criam cenas de ação muito boas, apesar do pouco desenvolvimento dos personagens.
Acabamento da edição nacional: 7/10. A Panini lança uma edição burocrática, como vem fazendo com outros encadernados da fase Totalmente Nova e Diferente Marvel,  como Gavião Arqueiro, por exemplo. Contando apenas com as capas originais e algumas capas extras, THANOS – THANOS RETORNA não possui nem mesmo um resumo contextualizando o atual momento do vilão.
Nota Final: 7,25/10.
Ficha Técnica:

Número de páginas: 140
Formato: Americano (17 x 26 cm)
Lombada quadrada

Preço de capa: R$ 21,90


Links para compra na Amazon:
https://amzn.to/2Kjwvp5
https://amzn.to/2KhWvRK
https://amzn.to/2HyzWqq
https://amzn.to/2HyfWEp
https://amzn.to/2Fl0YQd
 

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: