Quinta, 21 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

RPG: Os 5 melhores e piores tipos de jogador

Todo jogador de RPG, seja novato ou veterano, hora ou outra encontrou algum destes estereótipos dentro da mesa de jogo. Aqui estão os 5 piores tipos de jogadores de RPG!

1) O legalzão

Sabe aquele personagem obscuro, que sempre está quieto e em algum canto escuro dentro da taverna enquanto todos os outros personagens estão interagindo com o ambiente? Este é o legalzão. Legalzão é uma tradução própria que eu dei para o termo gringo edgelord. O problema com estes personagens é que, embora eles pareçam muito legais na cabeça dos jogadores, eles não são por um simples motivo: Paradoxalmente, os jogadores que criam este personagem tentam atrair o máximo possível de atenção ao personagem dele ao mesmo tempo que não faz nada ou interage quase com coisa nenhuma! É como se todos precisassem prestar atenção no personagem dele enquanto ele é… legalzão.

tiefling_ranger.jpg

2) O Munchkin

Não existe uma tradução para este termo, que já é velho na comunidade de RPG, mas existe um engraçadíssimo jogo de tabuleiro que satiriza esse tipo de jogador. A tradução de RPG é algo como “Jogo de Interpretação”; mas Munchkins não dão a mínima! O objetivo dos Munchkins nada mais é do que conseguir os melhores stats, melhores equipamentos e usar o máximo possível as regras para melhorar seu personagem.
Conhecidos por não escutarem mais nada que o mestre fala que não envolva “iniciativa”, “Dano” e “Ataque”, Munchkins se tornaram comuns no cenário do RPG de mesa atual devido à enorme massa de jogadores de Games eletrônicos que migram para o RPG de mesa sem estarem acostumados à ficar preso em um sistema infinito de melhorias.

Elminster-Sundering-Tyler-Jacobson3) O Ator

Mas não se preocupem, nem todo munchkin é um problema por não saber se sentir imerso no jogo. Às vezes, também temos que lidar com pessoas que ficaram TÃO imersas no jogo e em seus personagens que parecem nunca saírem do personagem. Embora pareça algo legal ficar imerso dentro do seu personagem, os jogadores muito atores acabam esquecendo do fator diversão dentro do jogo, muitas vezes tomando decisões que vão contra qualquer tipo de bom desenvolvimento por causa de alguma coisa no background de seu personagem, ou simplesmente porque “não faz sentido que ele se uma à estranhos com interesses em comum”.
E mesmo quando a partida acaba e todos querem pedir uma pizza, é bem possível que ele não saia do personagem e pergunte: “Hmm, e o que seria tal refeição a qual vocês referem como pizza?”. Acaba criando um clima de falta de união ou comunicação entre as pessoas dentro do grupo e podem atrapalhar bastante a diversão.

4) O Advogado das Regras

Regras são importantes em qualquer tipo de jogo, e o RPG não é uma exceção. Mas boa parte do foco do jogo de interpretação está na diversão de todos os envolvidos, e se pra isso é necessário quebrar alguma regra específica, modificar ou criar, assim será. Porém, os advogados das regras não compreendem isso. Eles irão sempre questionar tudo que os Mestres ou outros personagens fazem que parece um pouco além do esperado, e com certeza pegarão seus livros e abrirão como um personagem de Yu-Gi-Oh para apontar exatamente na linha que diz que essa ação é ou não possível.
No D&D 3ª edição, havia uma regra que dizia que “passar ao lado de personagens não custa uma ação”. É óbvio que isso significa que andar ao lado de NPCs ou encontrar com algum e resolver ignorar não gasta um ponto de ação, mas em dada partida minha, um advogado das regras nos convenceu que não.
Ele convenceu um mago do grupo a controlar a mente de uma cidade e juntou todos os NPCs da vila em uma linha reta e passou ao lado de todos para sair do lugar em velocidade de escape. Não preciso nem comentar que até hoje damos risada disso.

5) O Caótico-Estúpido

Em diversos RPGs temos um alinhamento de grade 3×3, onde falamos se somos “Ordeiros, Neutros ou Caóticos” e dentro desse alinhamento, podemos ser “Bons, Neutros ou Caóticos”. Mas eu defendo que deveria haver um quarto alinhamento. O Estúpido. São personagens que tomam ações ruins ou aleatórias sem nenhum motivo aparente. Afinal, esse é o Caos, né? Não! Embora às vezes seja divertido jogar com personagens loucos ou insanos, eles certamente podem acabar com uma campanha.

Mas nem tudo é só tristeza no mundo! Às vezes, temos a sorte de cair com um jogador que simplesmente é uma grande contribuição ao grupo. Aqui estão os cinco melhores tipos de jogadores:

1) O preparado

RPG é algo trabalhoso e cansativo às vezes. Pode demorar semanas ou até meses para que se engate em alguma campanha realmente, e às vezes estamos tão abarrotados de coisas no nosso dia a dia que podemos esquecer de alguma coisa ou outra. É aqui onde este anjo entra em ação.
O preparado, já antecipando este tipo de coisa, já prepara medidas de precaução contra isso. Ele leva dados extras, fichas, e quem sabe até mesmo um resumo de coisas importantes que aconteceram até aquele momento. Este, com certeza, é um salvador de campanhas.

varis-elf-ranger

2) O estimulante

Não são todos os jogadores que se sentem confortáveis à primeira vista em interpretar seus personagens. Pode demorar um pouco até que a insegurança seja quebrada e o personagem ganhe uma vida completa, e é aqui onde o jogador estimulante entra.
Normalmente ele cria personagens extrovertidos e é bastante engraçado em suas interpretações. Sempre que alguém arrisca interpretar um personagem, especialmente jogadores novos, ele sempre parece está lá para apoiá-lo com um enérgico “ISSO MESMO!” vindo de seu anão beberrão.

3) O atento

O jogador atento é definitivamente um tipo interessante de se jogar. Ele ajuda o Mestre à desenvolver ainda mais a história apresentada por estar atento à tudo, e sempre questionar o mestre. Muitas vezes, o GM pode esquecer que os jogadores não vivem dentro de sua cabeça e pode acabar esquecendo ou até mesmo se cansando de constantemente precisar caracterizar tudo, e é aqui que o atento ajuda o mestre e consequentemente o grupo.
Ele está sempre fazendo perguntas, que podem surpreender até mesmo o mestre, que se verá forçado a criar mais conteúdo e se aprofundar ainda mais na imersão da aventura. Ele pode tomar caminhos inesperados e fazer perguntas estranhas, mas definitivamente é um player que é uma ótima adição ao grupo.

4) O jogador experiente

É fácil esquecer que o RPG é um jogo de interpretação e que a interpretação de fato é algo importante, com todas as regras e tudo, especialmente quando se é iniciante. Olhar as regras sempre, dar dicas de ação em meio ao combate, mostrar magias em livro… Tudo isso é o chamado metagaming, e pode definitivamente estragar a imersão.
O jogador experiente é o tipo do jogador que sabe dar dicas aos jogadores iniciantes sem cair no metagaming, como alguém que grita “Escudo!” na batalha ao invés de discutir toda a estratégia em meio à luta.

5) O anfitrião

Este é um que definitivamente toda mesa tem ou deve ter. É aquela pessoa, que apesar de todas as coisas, está disposto à ser o anfitrião das campanhas e sessões; com comidas e bebidas. É definitivamente o mais legal de se ter em uma mesa.
E você

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: