Não deixe de conferir nosso Podcast!

Companhia das Letras promove lançamento de Paul Auster e outras novidades

A editora Companhia das Letras promove o lançamento quase simultâneo de novidades relacionadas a três dos maiores nomes da literatura contemporânea em língua inglesa. Paul Auster chega com seu mais novo romance, o elogiado 4 3 2 1, um catatau com mais de 800 páginas, que chega quatro anos após seu último trabalho, o autobiográfico Diário de Inverno.

Já Philip Roth, falecido recentemente, tem uma obra pinçada de seu início de carreira para ganhar nova edição: Quando Ela Era Boa, que chega a tempo para realçar a valiosa herança literária que o grande mestre nos deixou.

Por fim, Ian McEwan, autor sempre em evidência e que alcançou imenso destaque com o clássico moderno Reparação, aporta às livrarias e afins com um simpático volume, Meu Livro Violeta, reunindo dois textos e lançado para celebrar os seus 70 anos de vida.

Vamos às sinopses de cada um:

4 3 2 1, de Paul Auster (816 páginas, preço sugerido R$ 89,90): O que define uma vida? Quais escolhas formam um indivíduo? o que constrói uma identidade? Em 4 3 2 1 , o mais ambicioso romance de Paul Auster, essas questões são levadas às últimas consequências. Romance finalista do Man Booker Prize 2017. Archie Ferguson é filho de Stanley e Rose, nascido no dia 3 março de 1947. Este é o único dado indiscutível de sua biografia. Pois, em 4 3 2 1 , Paul Auster constrói não uma trajetória, mas quatro diferentes percursos de vida trilhados por Archie Desde o êxito de A trilogia de Nova York , de 1987, sua estreia na ficção, Auster tornou-se um dos principais nomes da literatura contemporânea, publicando grandes sucessos de crítica como Leviatã e Desvarios no Brooklyn . Após um hiato de sete anos, o escritor retorna à prosa com seu projeto mais ousado: pensar o que aconteceria com um mesmo personagem se as suas relações e condições — financeiras e familiares — fossem outras, como se a mesma pessoa habitasse universos paralelos Neste brilhante exercício literário, Auster instiga uma profunda meditação acerca de um dos temas mais recorrentes em sua obra: o poder do acaso. O resultado é um romance monumental, uma reflexão sobre o que nos torna humanos, o que podemos controlar e tudo o que há de mais imprevisível no destino de cada indivíduo.

Quando Ela Era Boa, de Philip Roth (342 páginas, preço sugerido R$ 59,90): Situado numa cidadezinha do Meio-Oeste americano, nos anos 1940, este romance mordaz tem como protagonista uma jovem zangada e ferozmente moralista, para quem a “bondade” é uma doença terrível. Publicado originalmente em 1967, este é terceiro romance lançado por Philip Roth e seu único livro protagonizado por uma mulher. Ainda criança, Lucy Nelson viu seu pai irresponsável e alcóolatra ser mandado para a cadeia. Desde então, ela se rebelou contra sua vida de classe média, assumindo uma missão furiosa de transformar os homens a sua volta, ainda que aquilo pudesse causar sua própria destruição. Com esse retrato absolutamente preciso de Lucy e de Roy, seu marido mimado e infantil, o escritor criou um belíssimo trabalho de ficção realista, um vislumbre da carolice provinciana, das expectativas e frustrações americanas, com um olhar ao mesmo tempo implacável mas com laivos de compaixão.

Meu Livro Violeta, de Ian McEwan (128 páginas, preço sugerido R$ 44,90): Dois textos inéditos de um dos maiores ficcionistas da atualidade, reunidos no marco da celebração de seus 70 anos. “Meu livro violeta” é uma pequena joia da narrativa curta sobre o crime perfeito. Mestre do suspense e do enredo, Ian McEwan descreve uma traição literária meticulosamente forjada e executada sem escrúpulos. Publicado em janeiro de 2018 na prestigiosa revista New Yorker , o conto revisita um tema caro ao autor e tratado em livros como Amsterdam : as ambivalências das relações de amizade entre dois artistas, com doses desmedidas de admiração e inveja. Ao conto que dá título ao livro se segue o libreto “Por você”, escrito para a ópera de Michael Berkeley. Profundo conhecedor de música, McEwan apresenta uma cativante história de amor e traição envolvendo quatro personagens: o regente e compositor Charles Frieth, sua esposa, uma admiradora, e o médico da família. Em sua primeira incursão no universo da ópera, McEwan mostra que seu talento como criador de histórias segue sendo insuperável.

Rafael Machado
Parnaibano, leitor inveterado, mad fer it, bonelliano, cinéfilo amador. Contato: rafaelmachado@quintacapa.com.br