Quinta, 20 De Setembro De 2018

Notícias sobre Filmes, Séries e Netflix

A Saga do Monstro do P√Ęntano – A republica√ß√£o de um cl√°ssico de Alan Moore

Esse √© um lan√ßamento que vale a pena ligar pro dono da livraria diariamente pra perguntar “J√° chegou?”. A fase de Alan Moore em Monstro do P√Ęntano come√ßou a ser publicada originalmente em 1984 na revista The Saga of the Swamp Thing. Ningu√©m poderia imaginar que essa obra iria revolucionar os quadrinhos juntamente como outras obras do Mago Supremo como Watchmen e Miraclemen.

A Panini relança o encadernado esse mês e traz a diferença do papel que em vez de jornal agora é lwc. Serão 6 livros que traz oito revistas americanas em cada.

Alan Moore inicia o seu arco fechando a história que havia sendo lançada até então. Porém se você não leu o arco anterior (até porque a DC não relançou isso em encadernados) não tem problema, a partir da segunda história o Monstro é reformulado visceralmente. Por isso pode-se considerar esse arco um início para esse personagem.

A história

Logo no in√≠cio, o antagonista √© o Doutor Jason Woodrue, o Homem Floronico, √© ele quem explica a verdadeira ess√™ncia do personagem. Esse √© um vil√£o que n√£o se limita ao clich√™ do cientista louco, assim como o Monstro do P√Ęntano sua vida foi transformada num acidente de laborat√≥rio, por√©m a sua liga√ß√£o com as plantas instaurou nele um √≥dio contra os “peda√ßos de carne que destroem as plantas” e nele √© poss√≠vel vossiferar as cr√≠ticas a ideia de progresso destruidor do homem.

Um outro fato curioso √© que nas capas originais √© poss√≠vel ver o selo de aprova√ß√£o do Comic Code Authorid, para ter esse selo aprovado e o gibi ser acess√≠vel em v√°rias bancas, era necess√°rio que o autor seguisse uma s√©rie de recomenda√ß√Ķes. Esse foi um outro motivo pra deixar a obra mais admir√°vel. Alan Moore teve que burlar as regras pr√©-estabelecidas ao criar uma hist√≥ria de terror sem os populares vampiros e lobisomens e sem que sangue fosse mostrado. Apesar disso, o gibi traz cenas de terror e um clima de tens√£o nos momentos certos.

A Arte

Por fim, há uma história curta desenhada por David Lloyd.

Os desenhos de Stephen Bisssette, John Totleben, Dan Day e Rick Veitch contraria a ideia de que “o tra√ßo era bom para a √©poca”. O gibi traz um tra√ßo elogi√°vel em qualquer √©poca. Como se n√£o bastasse, o pr√≥prio enquadramento √© inovador, aqui o formato dos quadrinhos √© de acordo com o que a narrativa pede e faz parte da arte em vez de apenas delimita-l√°.</>

Veredicto

O argumento me atraiu por fugir dos di√°logos simples e diretos, por√©m n√£o √© uma hist√≥ria cansativa. Alan Moore soube trabalhar o tempo narrativo ao aprofundar-se nos momentos em que as explica√ß√Ķes eram necess√°rias e acelerar nas situa√ß√Ķes de maior a√ß√£o em que as sequ√™ncias dos desenhos suprem a ideia de movimento e terror.

Al√©m disso, √© nesse quadrinho que um dos meus personagens preferidos estreiam: John Constantine. N√£o √© a toa que esse √© um personagem t√£o presente at√© hoje, uma cria de Moore que aparece como um coadjuvante mas com o carisma da sua personalidade antip√°tica fez com que estrelasse a mais longeva revista do selo Vertigo, a Hellblazer. N√£o √© surpreendente ver algo escrito por Alan Moore ser √≥timo e Monstro do P√Ęntano n√£o foge a regra, agora √© o momento de aproveitar a oportunidade e adquirir essa obra desde o in√≠cio.

Quem é Maciel Resende

Sou psic√≥logo por profiss√£o e um nerd em tempo integral. Eu gosto de cinema, s√©ries, filmes, livros mas a minha paix√£o s√£o as hist√≥rias em quadrinho que est√£o presente em minha vida desde a inf√Ęncia. Atualmente cismei em querer escrever, opinando sobre essa minha paix√£o.

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: