Não deixe de conferir nosso Podcast!

Capitã Marvel: 10 quadrinhos que precisam ler depois de assistir ao filme

(Capa, Capitã Marvel)

Capitã Marvel tomou o UCM como uma tempestade. Agora é hora de ler seus quadrinhos também!

Carol Danvers, também conhecida como Capitã Marvel, pode ter feito sua estreia no UCM em 2019, mas ela está chutando bundas nos quadrinhos há muito tempo. A personagem apareceu pela primeira vez em 1968, e há uma tonelada de histórias em quadrinhos que o filme nem sequer tocou.

Uma das melhores maneiras que os novos fãs precisam e podem entender a personagem é ler sua enorme catálogo de revistas em quadrinhos. Enquanto muitos heróis têm um monte de gibis que não se somam, não há muita coisa na biblioteca de Danvers que não seja uma leitura excepcional.

Eu sei que não será tão fácil encontrar tudo na quinta capa, mas valerá a pena começar a ler pelos quadrinhos que vem a seguir. Esta lista mostrará as 10 melhores histórias que caracterizaram Carol Danvers como Ms. Marvel, Capitã Marvel, Binária ou qualquer outra que ela estivesse sendo na época. Os gibis são apresentados em sua ordem de qualidade, e não em ordem cronológica. Caso queira ir anotando por começar, leia o 3, depois 2, 1, 5.

10. A Teia do Homem-Aranha n° 20

 

Capitã Marvel e o Homem-Aranha.

 

Versão original: Avenging Spider-Man: The Good, the Green and the Ugly, 2013.

Durante o que era pra ser uma aventura e viagem simples e normal, o Homem-Aranha e a Capitã Marvel trombam (literalmente) com um problema confuso e complicado, que atinge proporções colossais antes do que a dupla esperava.

Este gibi apesar de reunir o Homem-Aranha e a Capitã Marvel, não foi a primeira vez que os dois lutaram lado a lado. De vez em quando o Homem-Aranha também aparece nas histórias da Capitã Marvel, e sempre são aventuras divertidas de ler, mas este Gibi aqui é o melhor.

Ao contrário de muitos outros títulos da Caral Danvers, com temas mais pesados e sérios, graças à inclusão do Homem-Aranha, a aventura fica um pouco mais insana e divertida do que séria e adulta.

A Teia do Homem-Aranha n° 20 é uma ótima maneira de penetrar na mais recente e despreocupada interpretação da Capitã Marvel. É especialmente fácil se apaixonar pela história se você é fã do Homem-Aranha.

Saiba mais (Aqui).

 

9. Ms. Marvel: Guerra Civil

 

Capa da Revista Ms. Marvel

 

Versão original: Giant-Size Miss Marvel #1 e Miss Marvel (Vol. 2) #1 a 10, 2006/2007.

A Guerra Civil Marvel foi o evento mais divisivo e prejudicial da história da empresa. Isso resultou na bifurcação dos heróis do Universo Marvel, e terminou com a morte do Capitão América, embora ele não tenha sido a única baixa resultante desse conflito.

A inclusão da Ms. Marvel (uma Carol que não lembra mais do seu passado) na Guerra Civil tem um impacto significativo. Ela une forças com Simon Williams, também conhecido como Magnum, bem como Julia “Arachne” Carpenter para treinar e policiar novos heróis.

Como sempre, as coisas não acontecem conforme o planejado, e não demora muito para aparecerem alguns rostos conhecidos do passado de Carol, incluindo a Vampira do X-Men! Sem surpresa, Carol não fica feliz com isso, pois foi a Vampira que roubou seus poderes e memórias.

Embora eu prefira que leia todo o evento da Guerra Civil para entender completamente o escopo do que está acontecendo neste gibi, isso não é totalmente necessário. Por conta própria, a Marvel de Guerra Civil é uma visão impressionante do funcionamento interno de Carol Danvers, enquanto ela usa o nome de Ms. Marvel para salvar as pessoas.

Saiba mais (Aqui).

 

8. Capitã Marvel n° 3

 

Marvel Comics

 

Versão Original: Avengers: The Enemy Within (Captain Marvel Book 3), 2013.

Se você conhece a Capitã Marvel apenas dos quadrinhos, você pode se surpreender ao saber que sua origem surgiu de uma treta confusa. Em Capitã Marvel, a sua origem é novamente refeita quando Yon-Rogg retorna para tentar reconstruir sua Psicomagnetron, o dispositivo que primeiro deu poder a Danvers.

Antigos inimigos ressurgem nesta história desesperada sobre a Capitã Marvel e suas origens e foi essa aventura que ajudou a fundamentar o caráter “humano” que a Carol havia perdido quando descobriu que tinha uma lesão cerebral que também estava a impedindo de voar. Isso ajudou a preencher a lacuna entre a heroína e os leitores que estava faltando.

Este é um ótimo gibi para pessoas que estão interessadas em aprender mais sobre a personagem, além de possuir uma leitura incrível graças à brilhante forma com Kelly DeConnick escreve.

Saiba mais (Aqui).

 

7. Ms. Marvel (2006)

 

Ms. Marvel

 

Versão Original: Ms. Marvel (2006) #1

Carol Danvers teve uma grande reboot graças ao escritor Brian Reed em 2006 com um novo título solo. Em sua primeira aventura, ela se depara com um grupo de Broods (Ninhada). A Ninhada é uma espécie insectóide que viajam através do universo, procurando hospedeiros para sua desova.

A raça não é apenas selvagem, como também naturalmente má. Eles gostam do sofrimento infligido em suas vítimas, especialmente através do terror provocado pela infecção de seus hospedeiros. Eles são comumente comparados a demônios.

Danvers tem um passado problemático com a Ninhada e quando eles ameaçam a Terra, as coisas realmente dão um grande trabalho para a heroína.

De muitas maneiras, o filme da Capitã Marvel seguiu uma estrutura similar a este Gibi. Danvers foi forçada a ajudar os aliens que ela acreditava serem seus inimigos. No filme, foram os Skrulls, enquanto aqui, é a Ninhada.

Por causa disso, ele descobriu que existia uma força maior agindo no universo e causando o caos e fazendo várias espécies refugiados. Isso alterou completamente a heroína.

Ms. Marvel mostra como Danvers é capaz de absorver novos conhecimentos e mudar sua maneira de pensar em relação a um inimigo. É também neste gibi que ela compreende a função de sua moralidade.

Saiba mais (Aqui).

 

6.Capitã Marvel Vol. 3: Alis Volat Propriis (2014)

 

(Capitã Marvel)

 

Alis Volat Propriis é a frase em latim para “Ela voa com suas próprias asas”, que é uma maneira perfeita de descrever a Capitã Marvel (é também o lema do estado americano de Oregon, mas isso não é importante para vocês).

Ao longo de seus mais de 40 anos de heroína, a Capitã Marvel tem sido basicamente aventuras onde ela cruza o espaço salvado seja lá quem for, combatendo seres poderoso e alienígenas aterrorizantes. Esta história serve para devolvê-la a um papel mais ligado à Terra, que é significativamente diferente de seus deveres cósmicos, mas ainda incrivelmente importante para todos os seres bons do Universo Marvel.

Neste, que considero um conto, a Capitã Marvel tem que lutar contra os Mercenários Haffensye, que quase a destruiu numa batalha anterior. É nessa aventura legal que ajuda a redefinir a heroína graças aos incríveis talentos de escrita de Kelly DeConnick e Warren Ellis.

Alis Volat Propriis serve perfeitamente para diminuir a distância entre o papel de Danvers como uma Vingadora das Estrelas e uma dos Heróis Mais Poderosos da Terra. A história desempenha um papel fundamental no futuro da Capitã Marvel no Universo Marvel, mas também ajuda o leitor a entender melhor a própria natureza do que faz de Carol Danvers uma super-heroína.

Saiba mais (Aqui).

 

5. Os Fabulosos X-Men: A Saga da Ninhada

 

(Marvel Comics)

 

Versão Original: The Uncanny X-Men: The Brood Saga, 1982/3

Enquanto Carol Danvers normalmente tem seu próprio título, houve momentos em que ela desempenhou um papel fundamental na história de outros heróis. The Brood Saga, A Saga da Ninhada, é um desses eventos em que Danvers e os X-Men se unem para lutar na primeira aparição da raça alienígena maligna.

Enquanto a Ninhada foi lançada sob o título de X-Men e permaneceu como um dos seus maiores inimigos, eles não se tornaram amigos de Carol Danvers em nenhum aspecto graças a esta história. Depois que Carol foi capturada pelas baratas cósmicas ao lado dos X-Men, ela é separada do grupo devido ao seu DNA Kree.

Eles decidiram fazer experimentos nela (em vez de implantar seus jovens filhotes em seu corpo para fins de incubação, como era seu plano original). Ao fazê-lo, eles desbloquearão uma nova superpotência que mudará o curso da vida de Danvers daquele ponto em diante.

A brilhante escrita de Chris Claremont nos quadrinhos dos X-Men foi transferida para sua interpretação de Danvers de uma forma que ajudou a expandir a personagem para novas alturas e poderes.

Saiba mais (Aqui).

 

4. Mais alto, mais rápido, mais longe

 

(Marvel Comics)

 

Versão Original: Captain Marvel Vol. 1: Higher, Further, Faster, More, 2014.

A frase “Higher, Further, Faster” não foi tirada do nada para o filme da Capitã Marvel. Isso (e tudo mais) veio dos quadrinhos, e essa frase foi perfeitamente utilizada no título. Embora grande parte de sua carreira como heroína tenha superado as estrelas, nem sempre foi assim, e teve que começar em algum lugar.

Este quadrinho conta a história de como Carol Danvers acaba deixando o planeta para ajudar a devolver uma jovem alienígena ao seu planeta natal. Quando ela assume a missão, ela não tinha ideia de que seria empurrada para uma revolta alienígena contra a Aliança Galáctica!

Quando os personagens do passado de Danvers retornam com uma tentativa de chantagem, ela tem que se perguntar se seria melhor trabalhar pelo universo ou deveria permanecer como um dos seres Mais Poderosos da Terra. Vejam, sempre teve esses problemas internos da personagem se ela era uma heroína espacial ou se era apenas da Terra.

Este quadrinho apresenta um dos melhores desenhos da personagem graças as impressionantes artes de David Lopez, mas o trabalho do roteiro de Kelly DeConnick ajudou a redefinir o personagem. Talvez seja o quadrinho mais importante da Capitã Marvel e muitos elementos do filme foram bebidos desse gibi.

Saiba mais (Aqui).

3. Miss Marvel #1 a 4 (Esta mulher, esta guerreira)

 

Miss Marvel

 

Versão Original: Miss Marvel #1 a 4, 1977.

Esta mulher, este guerreira foi o título da história contada em Ms. Marvel # 1, escrito pelo lendário Chris Claremont e Jim Mooney com ilustrações de Gerry Conway, John Buscema, Sal Buscema e John Romita.

Esta foi a primeira história em quadrinhos que Carol Danvers caracteriza a personagem com o nome de Ms. Marvel, e tudo começa em Nova York. Danvers foi uma editora de uma revista feminina para o editor-chefe do Daily Bugle, J. Jonah Jameson, mas foi um dos momentos mais desagradáveis da personagem.

Foi a primeira vez que a heroína apareceu para o mundo e foi o vilão Scorpion que teve o azar de encontrar com ela e quase ter virado pó.

Este gibi foi publicada em 1977, por isso chegou às prateleiras mais de uma década depois da estreia da personagem. Mesmo assim, foi um novo começo para uma personagem que os fãs passaram a conhecer em um cenário específico, e prepararia o palco para todas as mudanças e avanços que seriam feitos a ela daquele ponto em diante.

Saiba mais (Aqui).

 

2. Capitão Marvel #18

 

Capitão Marvel ou Mar-Vell.

 

Versão Oficial: Captain Marvel Vol #1 ate #18, 1968.

When Walks the Mandroid é um conto clássico escrito nas páginas do Capitão Marvel # 18 mais especificamente. Isso foi durante o tempo em que o Capitão Marvel era na verdade o Kree conhecido como Mar-Vell, que no filme teve sua versão feminina interpretada por Annette Benning.

Esta foi a história que começou tudo, a que transformou Carol Danvers na mulher que um dia assumiria o título deste quadrinho e se tornaria a nova Capitã Marvel. Depois que ela foi capturada pelo vilão Yon-Rogg, cabe a Marvel resgatá-la, mas as coisas não saíram conforme o planejado.

Durante a tentativa de resgate, Carol é atingida por um laser que a arremessa, mas graças ao Kree Psicomagnetron, seu DNA é alterado para sempre. Ela foi concedida superpoderes e DNA Kree, o que acabaria por ajudá-la a se tornar a heroína a Ms. Marvel.

As questões relativas à Psicomagnetron retornariam várias vezes ao longo dos anos, mas tudo começou aqui neste gibi. A história foi adaptada à origem usada no filme, embora o Psicomagnetron tenha sido substituído por um motor de dobra (Faster Than Light ou FTL) induzido pelo Tesseract. A história de origem de como Carol Danvers se tornou uma super-heroína é uma das mais importantes em todo seu legado nos quadrinhos. Infelizmente eu não sei onde se encontra este gibi. Ele saiu em algumas coleções, mas neste momento não consigo lembrar. Assim que encontrar, coloco o link para vocês.

Saiba mais (Aqui).

 

1. Capitã Marvel Vol. 1, 2 e 3

 

(Capitã Marvel)

Pela primeira vez, Carol Danvers se chamaria Capitã Marvel nesta incrível aventura que a leva de volta no tempo para uma batalha no front do Pacífico da Segunda Guerra Mundial. Além de participar da guerra ela deve enfrentar uma maneira de retornar ao seu próprio tempo e também manter sua história de origem intacta!

Helen Cobbs se propôs a mexer com o tempo e a origem de Danvers brincando com a Psicomagnetron para tomar os poderes concedidos a ela por Danvers! Não querendo mudar completamente a história (e perder suas habilidades impressionantes), Danvers assume o desafio com um novo nome, um novo traje e uma nova série.

Esta série escrita por Kelly Sue Deconnick é amplamente considerada como uma das melhores novas partidas para um super-herói até hoje. Ajudou a influenciar a criação da personagem no UCM e mudou o personagem de Ms. Marvel para o recém-adaptada persona Capitã Marvel.

 

Leia também: Capitã Marvel: 10 Quadrinhos Que Você Precisa Ler Antes Do Filme

 

Imagens: Marvel Comics

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.