Não deixe de conferir nosso Podcast!

Crítica | Vingadores: Ultimato termina a Saga do Infinito gloriosamente

Marvel Studios
Crítica do filme Vingadores Ultimato Sem Spoiler feito pela equipe Quinta Capa

O final do Universo Cinematográfico da Marvel é o retorno de tudo. Crítica do filme sem spoiler.

Eu levei alguns meses, algumas releituras e diversos debates sobre isso, mas tenho que admitir como um crítico que falhei num detalhe trivial: Guerra Infinita só o prato de entrada para Ultimato. Mesmo quando eu tinha este filme como algo intocável, reconheci que seus roteiristas estavam reunindo tudo o que pudessem construir para combater o que cada personagens desempenharia no filme final do Universo Cinematográfico da Marvel de um jeito maciço dentro do enredo. Na época de Guerra Infinita, eu achava que ela era o melhor que poderia ser feito para contar uma saga épica de um crossover de quadrinhos em duas horas e 40 minutos. Como estava enganado.

Depois de assistir Vingadores: Ultimato, eu me pergunto se a Guerra Infinita acabou sendo apenas uma versão beta sendo configurado como um filme de 149 minutos.

Algumas pessoas não gostam de falar isso, mas em Guerra Infinita alguns personagens tiveram dificuldades em encontra o tempo certo em cena, já em Ultimato, cada personagem está tão incrível que fiquei diversas vezes me perguntando como eles conseguiram fazer aquilo sem parecer ridículo. O filme, mais uma vez comandado pelos diretores Joe Russo e Anthony Russo, é uma homenagem gigantesca àqueles que amam e acompanham o Universo Cinematográfico Marvel por mais de uma década, só que a coisa é engenhosamente trabalhada.

Guerra Infinita faz sua parte para entregar-nos tudo que queríamos assistir em Ultimato? Isso é algo que eu poderia fazer diversas teorias por várias semanas. Mas será importante lembrar isso quando chegar no fim do meu texto.

Os primeiros 20 minutos de Ultimato são um pouco desajeitados e lentos, eles precisavam realmente sair da sombra que Guerra Infinita deixou. Quando finalmente saiu, o céu era o limite para onde Ultimato queria voar. Com cada núcleo de heróis desempenhando um papel tão importante quanto o final de Guerra Infinita.

Capitão América, Homem de Ferro, Gavião Arqueiro, Homem Formiga, Viúva Negra, Rocket Raccon, Nebula e Máquina de Combate.
Cena de Vingadores: Ultimato (Marvel Studios)

Vingadores: Ultimato é um filme de ação e foi escrito para ser dessa forma. Sabemos em nossos corações treinados e acostumados em histórias em quadrinhos que nossos heróis vencerão no final, mas um script surpreendentemente e impecavelmente bem-feito cria solução para cada um dos problemas engenhosos entregando reviravolta por cima de reviravolta. Partindo dessa lógica, abre-se diversas possibilidades emocionais para nossos heróis, como nenhum outro filme do gênero ousou fazer, e enquanto o impulso da trama é sobre as Joias do Infinito, ela é pendurada em uma estrutura de desenvolvimento de caráter e recompensa. E não há nada que Ultimato estabeleça que não valha a pena.

Este é o primeiro filme dos Vingadores após os Guardiões da Galáxia, Homem-Formiga, e Thor: Ragnarok que realmente combina todos os gêneros do Universo Cinematográfico da Marvel sem se sentir como se fosse três projetos solos que se completam. O roteiro passa sem esforço de Homem de ferro (2008) para Vingadores (2012) explodindo no jogo de espião que assistimos em Capitão América: O Soldado Invernal ao drama operístico dos dois primeiros filmes de Thor. Ele flui por todos os outros filmes como um Rio recebendo água de seus afluentes e isso é assustador.

Paul Rudd serve muitas vezes como se fosse cada um nós – o cara comum que simplesmente não pode acreditar como foi parar no meio daquilo tudo, achando legal e ainda tentando salvar o mundo – e suas interações com os outros atores cômicos do elenco devem ser saboreadas. Chris Hemsworth está claramente tendo o tempo livre que pediu a Deus, quer dizer, a Odin, como um Thor pós-Ragnarok, mais engraçado que nunca, porém alguém que está vazio internamente por tudo que aconteceu com ele desde a destruição de Asgard. É muito interessante o que fizeram com o Thor nesse filme. E ele com Paul Rudd fazem as melhores cenas de comédia.

Paul Rudd faz o Papel de Scot Lang, O Homem Formiga.
Marvel Studios

Mas enquanto Ultimato está cheio até a tampa com o humor (profundamente baseado em seus personagens), o hábito da Marvel de diminuir o drama com piscadelas sobre como isso não deve ser levado tão a sério ficou longe aqui. O filme tem as cenas engraçadas, mas o drama vem requintes de crueldades para todos. Na verdade, Chris Evans Capitão América da Silva é, de todas as pessoas, com Jon Favreau como Happy Hogan, têm algumas cenas que podem levá-lo às lágrimas. Eu fiquei devastado.

Todo esse trabalho feito com os personagens principalmente com os principais e originais Vingadores, deixam seus respectivos elencos de apoio – alguns deles tão amados ou mais do que algumas das estrelas maiores do filme – sem muita dimensionalidade. Mas eu suponho que é para isso que as séries de TV da Disney+ desse universo servirá.

Há momentos em que Ultimato cai novamente na sombra desoladora de Guerra Infinita, mas sempre conseguiu sair de lá rapidinho. Ainda não há como evitar o fato de que três horas é bastante tempo para a maioria dos telespectadores jovens que estão indo ao cinema há, pelo menos, dez anos, e assim como acontece com a maioria dos filmes de super-heróis, o confronto final é uma confusão maravilhosa de socos e gritos. Mas Ultimato sabe o que o público quer, e entrega isso sem se sentir como um fanservice.

Eu ando me cansando de filmes heróis, não sei se terei mais ânimo para continuar acompanhado o que a Marvel ainda irá nos mostras nos cinemas nos próximos anos. Mas Ultimato me fez lembrar que ainda me importo com o Capitão América e o Homem de Ferro, Thor, Hulk, Viúva Negra e o Gavião Arqueiro e isso foi muito importante.

Veredito

Vingadores: Ultimato é facilmente o filme mais ambicioso, emocional e comovente do Universo Cinematográfico da Marvel até hoje, conseguindo de alguma forma prender mais de uma década de narrativa em um clímax confiante (e quase sempre coerente) – um obstáculo que muitas outras franquias de sucesso tropeçaram. Aquilo que só poderia ser possível nos quadrinhos finalmente foi para o cinema.

Isso inevitavelmente provocará anos de debates entre os fãs, principalmente questões técnicas, mas em termos se baseando o coração, Ultimato é impecável. Este pode não ter sido o único caminho para a Marvel terminar o primeiro capítulo de sua saga de super-heróis, mas quando se depara com 14.000.605 resultados possíveis, ele consegue ser surpreendente e satisfatório.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.