Não deixe de conferir nosso Podcast!

13 filmes Found Footage mais aterrorizantes da história do cinema

Found Footage Lista
Reprodução

Found Footage é o gênero de terror que mais lucra no cinema. Conheça alguns que mudaram para sempre como se fazer filmes assustadores, baratos, rentáveis e simples.

O Gênero Terror tem permanecido consistentemente popular ao longo das décadas, mas também é marcado pela ascensão e queda de certos subgêneros que ele criou durante esse longo reinado cinematográfico. Nos anos 70, O Exorcista assustou, assombrou e faturou como poucos filmes tinham faturado naquela década. E por causa disso, nasceu também filmes genéricos de terror usando a mesma fórmula que O Exorcista trouxe para o cinema, logo depois, veio a onda gigantesca de filmes “slashers” que se seguiram ao sucesso do Halloween e da sexta-feira 13 nos anos 80. Basta um único filme para nascer um subgênero e assim, surgir milhares de filmes parecidos. Em julho de 1999, um filme de terror totalmente independente, baratíssimo (ele só custou 60 mil dólares) intitulado A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project) chegou aos cinemas dos EUA e mudou a forma de como se fazia filme de terror – e outros gêneros, para ser preciso.

O pulo do gato de Bruxa de Blair foi trazer um filme como se estivéssemos assistindo uma filmagem recuperada deixada por um trio de cineastas desaparecidos enquanto eles investigavam as lendas de uma bruxa que se escondia em uma área florestal assustadora. Esse gênero de filmes ficaram conhecidos como Found Footage ou Filmagem Encontrada em sua tradução literal. Nesse gênero, as filmagens podem ser feitas pelos próprios atores ou por câmeras que utilizam técnicas de câmera de tremulação, ambas combinadas com atuação mais real possível.

Eles não foram os primeiros a fazerem isso, claro, Cannibal Holocaust, de 1980, já tinha usado essa técnica de enganar o público, avisando que aquilo tudo era real, enquanto documentários como Isto É Spinal Tap, de 1984 e o famoso programa de TV britânico Ghostwatch também usaram o mesmo marketing falso. O lance, meus queridos é que A Bruxa de Blair conseguiu enganar o mundo todo e fazer história.

Em termos do filme em si, ele deu aos eventos daquele filme barra documentário uma intensidade e um realismo assustador, ajudados pelas performances de seus três atores, que proporcionaram uma experiência assustadora, diferente de tudo que já havia passado no cinema. E em termos da indústria, quebrou uma barreira financeira para os cineastas. Você não precisava de uma equipe cara, equipamentos de última geração e muito menos de um orçamento milionário. Apenas com uma câmera caseira, um local e alguns amigos, qualquer um poderia fazer um filme que poderia render milhões de dólares. Found Footage em sua forma pura e simples.

E foi o que aconteceu. O grande sucesso de A Bruxa de Blair significava que qualquer pessoa poderia fazer seu filme de terror. Mas aconteceu o que muita gente esperava, em vez da onda, surgiu um tsunami de filmes Found Footage. E para piorar, ninguém parecia que estava se importando se tivesse um som ruim, atuações horríveis ou uma história com algum sentido. Nada disso importava, se colocassem que as cenas foram encontradas numa fita perdida, aquilo vendia como água.

Muitos diretores independentes dessa época, que depois ficaram famosos, sugiram dessa febre. Mas isso deixa para outra postagem.

O problema que a coisa ficou fora de controle e da mesma forma que surgiu, filmes que usaram a mesma fórmula de A Bruxa de Blair caiu no ostracismo e prateleiras de locadoras. Porém, alguns filmes se saíram muito bem tanto na questão de serem baratos, como de público e crítica. Além disso, os filmes de monstros, serial killers, bonecos do mal e tudo que você consiga imaginar desse gênero, continuaram a sair no cinema nessa época. Mas A Bruxa de Blair, escrito e dirigido pela dupla composta por Daniel Myrick e Eduardo Sánchez fez e faz história para o cinema e a cultura pop.

Para celebrar seu 20º aniversário em Julho de 2019, o site Game Spot, fez uma lista incrível que eles intitularam como os melhores e mais assustadores filmes Found Footage já feitos. Então vamos dá uma olhada e saber se eles estão corretos ou bastante errados sobre isso.

13. Borderlands (2013)

 

Borderlands
(Reprodução)

Este filme britânico de baixo orçamento talvez não tenha nada de inovador, mas ainda é uma viagem satisfatoriamente assustadora. A história conta como uma dupla de investigadores do Vaticano são enviados a uma antiga igreja recentemente reaberta no interior da Inglaterra para investigar relatos de atividades sobrenaturais. Ao começaram a gravar e colher informações daquele local, vemos uma série de eventos estranhos se desenrolando. Boas performances, uma grande atmosfera e uma sequência final horripilante, à medida que a equipe descobre a verdade sobre o que está abaixo da igreja, somam um choque subestimado e fazem desse filme realmente interessante.

12. Willow Creek (2013)

 

Willow Creek
(Reprodução)

 

Este filme é dirigido por um ator que a maioria das pessoas que tem mais de 30 anos deve conhecer, Bobcat Goldthwait. Por anos ele fez papéis em filmes ruins, sombrios e comédias que não rederam nada. Porém, o cara foi para trás das câmeras e começou a produzir, dirigir e escrever seus próprios projetos. Até que em 2013, ele trouxe para o cinema o que é considerado um dos melhores filmes do gênero e sobre o Pé Grande. Assim como A Bruxa de Blair que nunca revela a bruxa, Willow Creek não mostra claramente o monstro.

Em vez disso, invoca sérios temores através do uso de som e sugestão, usando uma dupla de jovens campistas que foram pegar e catalogar informações sobre a lenda do Pé Grande e se veem aterrorizados por uma criatura infernal. A cena mais assustadora é uma sequência ininterrupta de 20 minutos, enquanto o casal se encolhe em sua tenda enquanto algo terrivelmente aterrorizante atravessa a floresta do lado de fora.

11. O Último Exorcismo (The Last Exorcism) (2010)

 

The Last Exorcism
(Reprodução)

O Último Exorcismo, combina o gênero found footage com filme de possessão de um efeito impressionante. Ele é produzido pelo ator, diretor e roteirista Eli Roth – que hoje é um dos nomes mais importantes da nova geração de diretores de terror – e se concentra em um padre que perdeu sua fé e ganha a vida realizando falsos exorcismos em doentes mentais. Até que isso o leva a uma garota chamada Nell, que afirma que uma entidade demoníaca chamada Abalam habita seu corpo. A coisa toda é capturada na câmera por um par de cineastas de documentários, e grande parte do filme brinca com a possibilidade de que Nell seja simplesmente perturbada em vez de possuída. É um choque inteligente que lida com questões de fé e crença, além de apresentar cenas intensas e assustadoras.

10. A Visita (The Visit) (2015)

 

The Visit
(Reprodução)

Embora a grande maioria dos diretores do gênero de terror found footage fossem novatos ou cineastas independentes, havia alguns exemplos e nomes poderosos da indústria. Renny Harlin (O Despertar de um Pesadelo, 1996) e Barry Levinson (De Volta para o Futuro), tentaram, mas não funcionaram com O Mistério da Passagem da Morte, 2013 e The Bay, 2012. Mas sempre existe a exceção, e estamos falando de M. Night Shyamalan, cujo filme de 2015, A Visita, provou ser um retorno digno depois do seu caro e fracassado sci-fi Depois da Terra. O filme segue um par de garotos que decide filmar sua semana visitando seus avós em uma fazenda remota pela primeira vez, mas coisas inevitavelmente estranhas começam a acontecer. Shyamalan diz que ele se esforçou para encontrar o equilíbrio certo entre sustos e humor enquanto editava e dirigia o filme, mas o resultado é um terror justo, com humor suficiente para destacar a tensão sem nunca miná-la.

9. Cloverfield (2008)

 

 

Cloverfield
(Reprodução)

 

Horror sempre foi um gênero que permite aos produtores ganhar muito dinheiro sem contratar grandes nomes, grandes sets e grande efeitos visuais. Ele só precisa ser assustador. Mas isso não significa que não exista filmes caros nesse gênero. Matt Reeves, fez sua estreia como diretor com o Cloverfield, produzido por J.J. Abrams, no qual gigantes monstruosos devastadores destroem a cidade de Nova York. Cloverfield combina o melhor dos dois mundos – o orçamento que permitiu alguns efeitos visuais fantásticos, com a técnica found footage significou um filme assustador e imersivo.

É um clássico e com uma história realmente bem contada de como os protagonistas tenta fugir da criatura.

8. Creep/Creep 2 (2014/2017)

 

Creep
(Reprodução)

 

Embora o gênero found footage tenham englobado muitos tipos diferentes de filmes de terror, não quer dizer que ele também consiga abordar as coisas de uma forma mais descontraída, talvez porque o formato crie um realismo desconfortável que se presta muito mais para assustar do que ser engraçado. Mas sempre teremos grandes exceções, e nesta categoria são os filmes Creep (1 e 2) de Patrick Brice. Não se engane, estes dois filmes são tão enervantes quanto qualquer outro nesta lista. Mas eles também são engraçados.

Mark Duplass, que também co-escreveu e produziu ambos, interpreta um homem estranho chamado Josef, que, no primeiro filme, coloca um anúncio para contratar um cinegrafista por uma semana. Os bizarros e macabros eventos de Creep levam diretamente ao Creep 2, ainda mais divertido e inquietante, além de dar uma reviravolta fascinante na trama do primeiro filme. Ambos os filmes percorrem uma linha tênue entre humor desconfortável e sustos genuínos, e são ancorados pelo desempenho maravilhosamente esquisito de Duplass. Você vai rir, pular e se encolher – geralmente na mesma cena.

7. Trollhunter (2010)

 

Trollhunter
(Reprodução)

 

Como Cloverfield, este filme extremamente divertido da Noruega usa o gênero found footage para trazer um nível de realismo corajoso para um estranho filme de monstros. No filme, uma equipe de documentário está seguindo as façanhas de um homem que afirma rastrear trolls gigantes pelo interior da Noruega. O filme combina emoções, humor e comentários sociais, e a técnica de filmagem garante que os trolls sejam bastantes assustadores quando nos aproximamos deles. Foi o filme lançou a carreira do diretor André Øvredal – A Autópsia, 2016 e no lançamento Scary Stories To Tell in the Dark produzido por Guillermo Del Toro.

 

 

 

6. Noroi: The Curse (2005)

 

Noroi
(Reprodução)

 

No Japão, país de origem do filme, ele é clássico, mesmo bastante criticado na época. É um filme longo e abrangente que começa com o desaparecimento de um especialista em paranormalidade enquanto ele estava fazendo seu mais recente documentário sobre uma estranha maldição que afetava pessoas aparentemente desconectadas. São 25 atores fazendo cenas de um filme que não tem final; O diretor Kōji Shiraishi faz um trabalho brilhante de tecer nesta história com filmagens como se fossem arquivos pessoais de cada personagem, para criar um filme que confunde os limites do fato e da ficção.

Dessa lista, é com sem dúvidas, o filme mais inteligente do gênero.

5. O Holocausto Canibal (Cannibal Holocaust) (1980)

 

Cannibal Holocaust
(Reproução)

 

É o pai do gênero found footage, O Holocausto Canibal de Ruggero Deodato permaneceu como obra definidora do gênero, até que A Bruxa de Blair ser lançado 20 anos depois. É também inquestionavelmente o “melhor” dos filmes canibais italianos do fim dos anos 70 / início dos anos 80, mesmo sendo considerado um dos mais polêmicos do cinema. A história é até simples, conta como um antropólogo americano viaja para dentro da selva amazônica tentando descobrir o que aconteceu com uma equipe de documentaristas que desapareceu meses antes. Ele descobre que eles foram todos mortos (comidos) na selva, graças a algumas fitas que foram encontradas, também descobre o motivo de toda a brutalidade que se assiste.

O Holocausto Canibal é, às vezes, um comentário poderoso e extremamente bem-feito sobre o papel do documentarista e a influência do mundo “civilizado” sobre pessoas que moram em locais remotos. Mas também é um filme brutal, que sabe explorar a violência como poucos fizeram até hoje – há a indefensável violência animal que foi uma característica infeliz dos filmes canibais italianos, e há algumas cenas verdadeiramente cansativas.

Porém, é clássico, pelo menos, para algumas pessoas.

4. O Segredo do Lago Mungo (Lake Mungo) (2008)

 

Lake Mungo
(Reprodução)

 

Este filme australiano não foi a ideia original que o diretor Joel Anderson originalmente queria fazer. A original era fazer outro projeto mais caro e ambicioso, mas o orçamento que conseguiu o fez escolher fazer um filme de terror que ele sabia que poderia terminar com o que tinha no banco e nos bolsos. No entanto, O Segredo do Lago Mungo está longe de ser o filme comercial, ele é uma exploração poderosa da tristeza, enquanto uma família tenta desvendar o misterioso afogamento de sua filha Alice. Mas quando eles lidam com sua perda, Alice começa a reaparecer em fotos tiradas por seu irmão.

Filmes found footage são mais fortes quando evocam um senso de realismo que os filmes convencionais não conseguem, e O Segredo do Lago Mungo é um exemplo fantástico disso. As performances naturalistas e o uso de entrevistas de estilo “mockumentary” ajudam a criar uma atmosfera verdadeiramente arrepiante. Este filme vale a pena.

3. Atividade Paranormal (Paranormal Activity) (2007)

 

Atividade Paranormal
(Reprodução)

 

Como A Bruxa de Blair, uma década antes, Atividade Paranormal mostrou o que poderia ser feito com um pequeno orçamento e uma ótima ideia. Custou apenas US $ 15.000 para ser produzido, mas arrecadou US $ 193 milhões em todo o mundo e gerou uma franquia de grande sucesso. É talvez o filme mais rentável da história em relação a seu orçamento.

Tinha uma configuração incrivelmente simples – um jovem casal instalou câmeras em volta de sua nova casa para registrar o que os atormentava à noite. O diretor Oren Peli gera uma incrível tensão ao fazer o público esperar por minutos a fio, observando as pessoas dormindo, para que algo aconteça, antes de entregar alguns sustos habilmente elaborados. Ironicamente, depois que o filme foi comprado pela Paramount, o plano inicial do estúdio era que Peli o refizesse com um orçamento maior. Peli concordou, mas com a condição de que ele tivesse permissão para fazer uma única exibição teste com sua versão original. Mas o público teste ficou tão assustado com o que estavam assistindo que deixaram como estava e o resto é história.

 

 

 

2. REC/REC 2 (2007/2009)

 

REC
(Reprodução)

Este par de filmes de zumbis espanhóis funciona como um casal extremamente agradável, com o segundo filme começando imediatamente após o final do primeiro. Ambos acontecem em um prédio infestado de zumbis – REC é visto através da câmera de um repórter que está investigando estranhos acontecimentos naquele prédio, enquanto o segundo concentra-se principalmente em uma equipe de forças especiais fortemente armada que tenta retomar controle da tragédia eminente. Ambas são experiências intensas, excitantes e imprevisíveis – REC 2, em particular, nos joga direto no caos, enquanto experimentamos todas as câmeras usadas pelos soldados.

Ainda teve mais duas sequências, mas a coisa saiu um pouco fora do contexto. Mas REC e REC 2, vale a pena.

1. A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project) (1999)

 

A Bruxa de Blair
(Reprodução)

 

A Bruxa de Blair pode não ter sido o primeiro filme found footage de terror, mas é, sem dúvida, o mais influente. Ele ainda se destaca como um dos filmes mais lucrativos de todos os tempos, e público absolutamente aterrorizado quando chegou aos cinemas no verão de 1999. A simplicidade de sua história foi reforçada por uma campanha de marketing viral brilhantemente e criativamente projetada para convencer o público de que o filme era “real.” O visual bruto, as performances naturalistas e a recusa em seguir as convenções tradicionais de enredo resultaram em um filme que foi copiado por anos.

 

Gostaram da lista? A gente adorou! Deixe nos comentários qual filme ficou de fora e qual vocês gostam mais!

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.