Não deixe de conferir nosso Podcast!

A história do Cosplay na Feira HQ

Um pequeno recorte da importância da Feira HQ e o movimento Cosplay em Teresina.
Feira HQ
Feira HQ

Um pequeno recorte da importância da Feira HQ e o movimento Cosplay em Teresina.

Esse artigo também sairá completo na próxima revista Feira HQ.

Fazer cosplay consiste em caracterizar-se como personagens oriundos de quadrinhos, games e desenhos animados, em geral japoneses, mas que também engloba personagens pertencentes ao vasto universo do entretenimento, como séries de TV, livros, animações e filmes.

O primeiro registro de alguém se caracterizando como um personagem da ficção foi em 1939, durante o primeiro grande evento de ficção científica nos Estados Unidos, a WorldCon (ou World Science Fiction Convention). Eles se auto intitulavam movimento masquerade. O termo Cosplay foi uma criação de um jornalista japonês chamado Nobuyuki Takahashi que estava visitando a WorldCon em 1984 para escrever para uma revista japonesa sobre o evento. O termo, deriva do japonês “kosupure”, e é uma abreviação da expressão em inglês “costume roleplay”, que designa o hobby (para muitos, um estilo de vida) de disfarçar-se de um personagem.

Ao contrário do que parece, fazer um cosplay não é apenas o ato de vestir uma roupa específica de alguma representação popular. Fantasiar-se, na maioria das vezes, não passa de uma caracterização genérica de um tipo de um pirata, por exemplo. Entretanto, fazer o Luffy, do mangá One Piece, é diferente de simplesmente por um figurino típico de navegador de todos os mares. O cosplay requer, antes de tudo, a identificação com o personagem representado, é necessária verossimilhança, dedicação, fidelidade e até interpretação. O movimento logo se espalharia por praticamente todo o planeta, principalmente durante eventos de cultura pop e entretenimento.

No Brasil, os primeiros cosplayers (pessoas que fazem cosplay) registrados oficialmente datam de 1997, durante o evento AnimeCon organizado pela Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações (Abrademi). O movimento se expandiu durante as últimas décadas por aqui e o Brasil é, inclusive, tricampeão mundial de cosplay, com os irmãos Maurício e Monica Somenzari vencendo a competição pela primeira vez em 2006, durante o World Cosplay Summit (ou simplesmente WCS), que iniciou a premiação internacional em 2003.

Atualmente, graças e finalmente aos grandes eventos de cultura pop que vem ocorrendo no Brasil, como o CCXP (Comic Con Experience), o movimento tem um número gigantesco de adeptos.

Em Teresina, os primeiros registros que temos de pessoas se caracterizando como um personagem do universo pop e participando de um concurso foi em 2004, durante a 6ª Feira HQ. Entretanto, se considerarmos as experiências de ir ao cinema caracterizados como nossos personagens favoritos, podemos dizer que, antes de 2004, diversas pessoas fizeram cosplay sem saber, pois sequer conhecíamos o termo, em estreias como Matrix, Star Wars ou Harry Porter.
Porém, a Feira HQ foi importante para o movimento “masquerade” local, pois tratou-se do primeiro evento a dar palco e premiação ao hobby, estimulando o crescimento competitivo da atividade em novos eventos que foram surgindo ao longo dos anos.

Cosplay Feira Hq
Matheus e Igor fazendo Cosplay de Naruto em 2004.

A primeira premiação de cosplay no Piauí foram apenas kits de produtos geeks, nerds ou otakus (escolha o termo da sua preferência), mas foi suficiente para pessoas continuarem participando em edições futuras.

A partir da 7ª Feira HQ, em 2005, o evento passou a premiar com valores e troféus. A quantidade de pessoas participando e se vestindo de cosplay no durante a Feira HQ dobrou, além de movimentar a imprensa local sobre o tema. A Feira HQ passou a ser o grande evento anual para os fãs que faziam e se vestiam de Cosplay, de seus personagens da cultura pop. Além disso, surgiram eventos voltados exclusivamente para o mundo do anime e mangá em Teresina como Manganimation, Animex, Cajuína Anime, Anime Soul são alguns exemplos e isso reforçou ainda mais o movimento.

Na mesma proporção que a Feira HQ foi crescendo, trazendo convidados especialistas em quadrinhos, desenhistas ou dubladores de animes, a qualidade e quantidade de participantes de Cosplay aumentou e foi preciso, inclusive, fazer parcerias com outros eventos, como foi o Mangakaru, em 2013, com um grande auditório e apresentação dos participantes.

 

Hoje, em Teresina ainda existe um grande número de pessoas que fazem Cosplay, concorrendo e participando até de premiações nacionais. O evento Anime Soul se tornou um dos maiores do gênero da região, sendo a premiação de melhores Cosplay o grande momento do dia.

Se tudo isso é possível, parte do mérito é porque, muitos anos atrás, houve a iniciativa da Feira HQ, de seus organizadores e dos primeiros cosplayers do Piauí.

 

Veja alguns Vencedores do Concurso de Cosplay organizado pela Feira HQ:

Confira a lista  de todos os vencedores ao longo dos anos durante as Feira HQ:
6ª Feira HQ, em 2004: evento aberto, com premiação por participação;
7ª Feira HQ, em 2005: 1º lugar, Caroline Oliveira Brito (Sakura). 2º lugar, Marco Aurélio
(Comensal da morte). 3º lugar, Paula Rodrigues (vampira);
11ª FEIRA HQ, em 2010: 1º lugar, Belmont Castlevania, Emanuel Mendes Nunes. 2º lugar, Puro Osso. 3º lugar, Chun-li, Manu Almada.
12ª Feira, em 2012: 1º lugar, Lanterna Verde, Francisco Alex Reis de Almeira. 2º Lugar: Arqueiro Verde, Emanuel Mendes Nunes. 3º Lugar: Motoqueiro Fantasma, Mateus Batista Do Nascimento;
13ª Feira HQ (em parceria com o Mangakaru): 1º Lugar, Kitana, Isis Redfield. 2º Lugar, Ritcher Belmont, Jayme Marinho. 3º Lugar, Chun Li, Jessica Soares.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.