Não deixe de conferir nosso Podcast!

Crítica | Tokyo Vice é uma série noir convincente

Resenha crítica de Toky Vice da HBO Max sem spoiler, confira o que achamos!
Tokyo Vice
HBO MAX

Resenha crítica de Toky Vice da HBO Max sem spoiler, confira o que achamos!

 

Tokyo Vice chegou ao catálogo da HBO em abril de 2022 e foi bastante elogiada pela crítica e público, mas aqui no Brasil a série sequer é citada pelos grandes canais de entretenimento. Vendo isso, eu resolvi falar um pouco sobre a série noir mais legal do ano até agora. Por isso não terá qualquer espécie de spoiler no texto abaixo. 

Baseada em fatos reais, é inspirada no livro autobiográfico Tokyo Vice: An American Reporter on the Police Beat in Japan, de Jake Adelstein. A trama conta sobre um jornalista norte-americano que mora em Tokyo e acaba se envolvendo com a Yakuza, a famosa máfia japonesa.

Existem diversos filmes e séries com tema antes, mas mesmo que Tokyo Vice da HBO Max não adicione nada de novo à fórmula, é bem feito o suficiente para que você pare tudo que está assistindo e veja esta série agora.

A série segue um jornalista americano expatriado que vive em Tóquio e parte em uma missão para enfrentar um dos chefes do crime mais poderosos da cidade. Parte drama jornalístico e parte luta contra o crime, há muitas peças emocionantes e bem adaptadas da história original, mesmo que nem todas se juntem tão bem quanto poderiam (pelo menos não nos primeiros cinco episódios).

É certo que a série não consegue abordar tudo que o livro de Jake Adelstein escreveu, principalmente o qual incrustado a justiça, polícia e jornalismo japonês estava atolado até a lata de corrupção. Em vez disso, a série, nesta primeira temporada, trabalha numa narrativa  de “área cinzenta entre o bem e o mal” que compõe o gênero drama criminal, independentemente do cenário.

Curiosamente, o enredo de Adelstein é de longe o menos interessante das tramas principais da série. O enredo mais interessante é o de uma anfitriã no distrito da luz vermelha que tem uma conexão com o mundo do crime organizado. Os episódios levam muito tempo em sua construção, os cenários, cada plot e interligações que fazem da história tão forte e crível de assistir, principalmente estabelecendo as tensões que chegarão ao auge no final. Ao assistir, Tokyo Vice, você precisa de calma.

Talvez o maior problema da série seja desperdiçar os talentos de Ken Watanabe. O ator experiente tem alguns bons momentos, mas são muito poucos e distantes entre si para deixar um impacto duradouro, espero que isso seja corrigido na provável segunda temporada. O elenco de apoio brilha, porém, com fortes atuações de Rachel Keller, Ella Rumpf e Rinko Kikuchi. E Ansel Elgort fazendo Jake Adelstein, merece prêmio pelo esforço em aprender japonês e fazer um papel dramático tão realista. O cara detonou demais.

Esteticamente, a série é agradável, corajosa, consistente e atmosférica, exatamente o que se desejaria de um neo-noir como este. O nível da produção é muito caro, uma coisa que se espera com Michael Mann como diretor. Dê uma chance para uma das produções mais incríveis do ano e se gosta de série policial, você não parar de assistir! Recomendo!

Tokyo Vice está disponível na HBO MAX.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.