Não deixe de conferir nosso Podcast!

Em “O Ninguém”, Lemire reflete questões sociais contando uma bela história

Em “O Ninguém” (Pipoca e Nanquim) fica mais uma vez comprovada a grande habilidade de Jeff Lemire em tratar de questões sociais através de belas histórias.

Desta vez o autor mostra John Griffen chegando em cidadezinha pequena (Boca Larga tem somente 754 moradores), onde normalmente todos se conhecem, e qualquer coisa mais diferente chama a atenção de todos. E é justamente o que acontece porque Griffen tem o corpo todo enfaixado, parecendo uma múmia. Até mesmo os olhos são escondido com uma espécie de óculos da natação escuros.

John Griffen chama a atenção ao chegar na cidade todo enfaixado, escondendo até os olhos

Exatamente como a sociedade faz com aquilo que não conhece e, consequentemente, não agrada aos olhos, começa a definir como algo perigoso, ao ponto culpá-lo por qualquer coisa que aconteça de errado na cidade.

Uma única pessoa, a filha do dono da lanchonete, é quem faz diferente e decide conhecer John, saber de seus problemas e oferecer ajuda. Mas é claro que isso não será suficiente e a história acaba virando um drama.

 

A arte de Jeff

A arte de Lemire pode até não parecer tão agradável aos olhos dos leitores mais conservadores, que preferem traços mais limpos, mas quem se deixa envolver, sem dúvida ficará bem feliz com o resultado. Lemire consegue envolver a todos de forma fantástica, transformando, nós leitores, em novos habitantes da cidade Boca Larga.

LEIA TAMBÉM:  Dica De Leitura | História e Lenda dos Menires de Carnac em "Martin Mystère"
Jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí com mais de 20 anos de atuação na área, sempre com destaque para área cultural, principalmente no campo das histórias em quadrinhos, cinema e séries.