Não deixe de conferir nosso Podcast!

Game | Mad Max – Jornada para a insanidade

 
Anunciado até mesmo antes do ultimo filme mas saindo um ano depois do mesmo, Mad Max, lançado em setembro de 2015 para todas as plataformas atuais com a formula Warner de jogos de aventura que vem se aprimorando desde Batman: Arkham Asylum. Apesar dos excessos de haters, aqueles fãs da franquia definitivamente devêm prestar atenção nessa grande expansão de universo.
Afinal, uma expansão do universo dirigida pelo próprio criador, quando se trata de desenvolvimento, não tem erro, desde o princípio George Miller estava envolvido no projeto que pulou na mão de algumas empresas até se estabilizar na Warner Games que tocou o projeto para frente.

ENREDO


Max está na sua jornada nas Planícies do Silencio, onde é abordado por Scrobous Scrotus, um dos filhos de Immortan Joe e regente de Gastown, ele exige o carro de Max, seu glorificado Interceptor, com uma óbvia negação, uma batalha em carros em iniciada que se conclue com uma vitória de Max após fincar uma moto serra na cabeça de Scrobous que é resgatado por seus Garotos de Guerra que ainda levam tudo de Max que está ferido demais para ao menos se defender. Após recobrar a consciência, conhecemos Chumbucket, um mecânico de dedos negros que dedica sua vida a sua maquina Magnum Opus, seu “enviado do paraíso” e precisa do seu escolhido para pilotá-lo, assim Max faz um acordo visando recuperar seus pertences e poder seguir sua jornada. Explorar, negociar e sobreviver nas Planícies do Silencio não sera uma tarefa fácil.
Notar certos aspectos no jogo semelhante a franquia é algo extremamente gratificante, referências aos filmes estão a balde, mas isso não diminui a experiência de quem não conhece. Aquele frio na espinha de ouvir “Dois homens entram, um homem sai!” está presente, o que faz questionar sobre o jogo conter coisas que George Miller sempre quis colocar mas era limitado por ser um filme e em um game essa limitação não se faz presente fazendo eu afirmar mais uma vez que o jogo é sim para ser apreciado por fãs.
Além de dar aquela perspectiva de todo filme de que não é uma continuação, mas sua própria história referenciada, por exemplo, Immortan Joe, o vilão do ultimo filme é citado, mas nada dele se faz presente no filme além da citação, o que pode não parecer mas não é ruim, pelo contrário, é uma boa maneira de ver outras aplicações de enredo.

GAMEPLAY


Como citado anteriormente, Mad Max veio daquela safra de jogos de aventura da Warner Games com gameplay semelhante adaptando a mecânica para o universo aplicado, aqui você pode criar itens de sucata, reparar o Magnum Opus, coletar, tomar pontos de controle, diminuir a influência de Scrobous pelas terras, tudo aquilo necessário para manter sua sobrevivência, devido ao ambiente aberto, a mecânica passa a sensação de um jogo travado, pesado, mas, feita com essa intenção de fazer o jogador sentir o peso do ambiente, aqueles que se controlarem, explorarem, terão uma vida trabalhosa mas nem tão difícil, aqueles que não se prepararem, irão sofrer bastante.
Lidar com os imprevistos do deserto também está presente, como bandidos e tempestades, essa ultima sendo extremamente lucrativa mas de longe um dos maiores perigos do jogo.

Com Max é possível melhorar seus equipamentos com sucata, a principal moeda do jogo e seus status são melhorados com um andarilho das dunas a medida que se faz certas proezas no jogo que garantem títulos de fama, além disso é possível melhorar e ampliar as capacidades do Magnum Opus, onde novo não necessariamente é melhor, adaptar é a chave do sucesso e relações, manter contato e melhorar a vida dos lideres da região para acabar com a influência de Scrobous é o que facilitará a vida no deserto, onde uma mão lava a outra.

CONCLUSÃO


Para aqueles que não conhecem a franquia, pode ser um jogo um pouco massante pois seguindo aquele fluxo dos filmes de desenvolvimento lento pode desagradar e o gameplay não é exatamente o que muitos esperavam, mas, também é uma boa maneira de se interar dentro desse pai dos universos pós-apocalipsticos e para os fãs, um show de divertimento sobre uma nova perspectiva. Então vai lá, com certeza o divertimento é garantido.

timEU
Desenvolvedor desse site e de alguns outros. Pai de Valentina e Edgar, duas crianças que me dão uma lavada nos games... Vez ou outra resolvo escrever algo aqui sobre games, música ou tecnologia.