Não deixe de conferir nosso Podcast!

Livro Apresenta Reflexões de George Orwell Sobre O Tema da Verdade

A Companhia das Letras lança a coletânea “Sobre a Verdade”, seleção que reúne escritos de George Orwell, extraídos de seus romances, ensaios, cartas e reportagens, debatendo esse tema tão caro ao autor.

No ensaio “Por que eu escrevo”, Orwell já se posicionava de maneira peremptória: “Eu escrevo porque há alguma mentira que eu quero expor, algum fato para o qual quero chamar atenção”. Uma postura que se mantém urgente e atual, diante dos tempos sombrios que vivemos: conceitos como “fatos alternativos” buscam legitimar mentiras e abrir espaço para interpretações equivocadas de dados científicos, por exemplo.

A polarização política que tem marcado o cenário brasileiro nos últimos anos, calcada em radicalismos de toda espécie, evoca a necessidade de revisitarmos a obra do autor britânico, conhecida por clássicos como “A Revolução dos Bichos”, uma fábula que alerta para o mau caminho que as boas intenções podem tomar se revestidas de autoritarismo e manipulação dos discursos (lembremos, afinal, de como os porcos mudavam as regras comuns aos animais da fazenda conforme suas conveniências).

Como entender a função da verdade nesses contextos e a importância de defendê-la da sanha de projetos políticos com viés antidemocrático são pontos primordiais no pensamento orwelliano, afinal “se não for combatido, o totalitarismo pode triunfar em qualquer parte“, conforme escreveu certa vez. E o totalitarismo, na visão de Orwell, fundamenta-se em uma noção de “mentira institucionalizada”, que nega qualquer possibilidade de liberdade de pensamento.

Capa do livro “Sobre a Verdade”, coletânea de textos lançada pela Companhia das Letras que apresenta o pensamento de George Orwell sobre o tema da verdade.

No livro, com 208 páginas ao preço sugerido R$ 39,90, estão reunidos de forma inédita textos que têm como eixo a ideia da verdade. A seleção abrange trechos de toda a produção de Orwell, do seu primeiro livro, “Dias na Birmânia”, de 1934, até seu romance derradeiro, “1984”, publicado em 1949, um ano antes da sua morte.

Rafael Machado
Parnaibano, leitor inveterado, mad fer it, bonelliano, cinéfilo amador. Contato: rafaelmachado@quintacapa.com.br