Não deixe de conferir nosso Podcast!

A primeira temporada de Sandman da Netflix é Grandona

Resenha crítica sem spoiler da primeira temporada de Sandman da Netflix!

Sandman
Netflix

Resenha crítica sem spoiler da primeira temporada de Sandman da Netflix!

Hoje a resenha será um pouco diferente e menor, espero atenção de todos até o final.

Finalmente um dos momentos mais esperados do ano chegou no último final de semana: a estreia de Sandman da Netflix. Um dos maiores momentos da história da literatura do século XX finalmente em carne e osso. Não importa se você conhece a obra de Neil Gaiman, se ela moldou seu caráter (coisa que aconteceu comigo), também, pouco importa se você nunca tenha ouvido falar dos Perpétuos, Morpheus, Morte ou mesmo Neil Gaiman. Sandman da Netflix foi criado para cada um de vocês.  Eles conseguiram o que já foi chamado de impossível. Eles conseguiram adaptar Sandman para uma série de TV. 

“Depois de anos aprisionado, Morpheus, o Rei dos Sonhos, embarca em uma jornada entre mundos para recuperar o que lhe foi roubado e restaurar seu poder”, afirma a sinopse oficial de Sandman na Netflix.

Essa história de assistir Lorde Morpheus em carne e osso é tão antiga quanto o próprio quadrinho (1986). Desde 1991 que Neil Gaiman recusa projetos para adaptar sua obra para cinema e tv. Do diretor Roger Avery (Pulp Fiction), até mesmo Joseph Gordon-Levitt já tentaram adaptar Sandman. Mas como disse Neil Gaiman numa entrevista à revista digital EW “Eu recusava me envolver… recusava escrever para eles, recusava ser produtor executivo… eu não faria… perderia o único poder que eu ainda tinha, que era o poder de falar contra um filme ruim de Sandman.” Adaptar uma história de mais de três mil páginas dentro de um filme, mesmo ele sendo uma trilogia ou uma franquia, perderia tanta coisa, tanta essência que nem mesmo um grande orçamento valeria a pena.

LEIA TAMBÉM:  O Senhor dos Anéis | Tudo que precisa saber sobre Lady Galadriel

Mas como a Netflix conseguiu convencer alguém que estava de saco cheio de reuniões e adaptações ruins do Sandman há décadas? Deram dinheiro, muito dinheiro e total liberdade criativa, desde escolha de elenco, diretores e produção. Neil Gaiman e a produção da série fizeram um trabalho belíssimo. Respeitando a obra original, é quase tudo tão fiel que chorei em diversos momentos. Teve mudanças, era necessário, Sandman é um quadrinho, quando ele vai para a TV, introduções, personagens e estilo precisam seguir e respeitar o público que está assistindo. E isso é incrível.

O visual, efeitos especiais foram caros, por causa disso, tudo é detalhado, o Reino dos Sonhos é um deleite para qualquer pessoa. Mas Sandman não é apenas dinheiro, escritores e produtores. É tecnologia de ponta, fundos verdes e gente que ama a obra original, mas principalmente seu elenco. Boyd Holbrook como Coríntio,Gwendoline Christie como Lúcifer Morningstar, a Morte de Kirby Howell-Baptiste, Vivienne Acheampong como Lucienne, Charles Dance como Sir Roderick Burgess, David Thewlis como John Dee, Joely Richardson como Ethel Cripps e os inacreditáveis Mason Alexander Park como Desejo, Donna Presto como sua irmã gêmea Desespero e Tom Sturridge fazendo o Sonho, foi tudo que precisávamos para construção de uma série que é um presente para todo mundo que é fã de quadrinhos e literatura fantástica. Não era um Pesadelo, era o Sonho virando realidade.

Valeu a pena esperar, nunca vi tanta gente falando tão bem de uma série baseada em quadrinhos. Dos desenhistas que já fizeram projetos do Sandman, roteiristas, diretores de filmes, atores consagrados, os atores que participaram da produção, os fãs brasileiros que tanto odeiam quase tudo, editores da Marvel Comics, diretores de filmes da Marvel Studios, editores da DC Comics, até o Mark Hamill! Todos são unânimes: Sandman da Netflix é Grandão, cara.

LEIA TAMBÉM:  His Dark Materials | Crítica – 1ª Temporada – Episódio 3, espiões por todos os lados

A primeira temporada de Sandman está disponível na Netflix.

Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.