Não deixe de conferir nosso Podcast!

Importância do Batman é questionada em “O Impostor”

A minissérie oferece vários debates, como: Batman quer se matar? Tem os melhores métodos? É benéfico para Gotham ou não?

Em “Batman – O Impostor”, DC Black Label, de Mattson Tomlin (Roteiro), Andrea Sorrentino (Arte) e Jordie Bellaire (Cores), lançada pela Panini Comics em três partes, mais uma vez questiona a sanidade, os métodos e os resultados das ações do Homem Morcego são questionados.

A história inicia com o Batman/Bruce Wayne desmaiando, após uma ação complicada, justamente na casa de uma psiquiatra, ou seja, a profissional mais indicada para iniciar esse processo. Imagina-se que o próprio Bruce teria interesse nesse debate, já que quase sempre sabe os passos que dá, mas ele só concorda em “ser consultado” depois que a Dra Leslie Thompkins ameaça ligar para a polícia e revelar sua identidade secreta.

Mas se já tivemos esse debate em outras ocasiões, o que Batman – O Impostor traz de diferencial? A começar pelo modo como o roteirista Mattson Tomlin (um dos responsáveis pelo roteiro do novo filme do Batman, protagonizado por Robert Pattinson) trata o assunto. Já no primeiro volume o tema sai do simplório e apresenta a discussão de forma mais complexa.

Bruce, claro, usa dados da redução dos crimes violentos e garante que o motivo é o Batman e seus métodos de “trabalho”, contradizendo as sugestão da Dra Leslie, que acredita que o poder de Bruce Wayne poderia fazer muito mais eficiente se utilizando pelos meios políticos ou solidários.

Ao mesmo tempo, um poderoso empresário cobra da polícia, no caso do DPGC – departamento policial responsável por criminosos “diferenciados” – ações de combate ao Homem Morcego. Um de seus principais argumentos são os prejuízos econômicos causados à cidade exatamente por esses métodos aplicados pelo Batman, muitas vezes explosivos.

Quem combateria melhor o crime: Batman ou Bruce Wayne?

A arte

O desenho e a quadrinização de Andrea Sorrentino (Gideon Falls) se encaixam perfeitamente ao clima que o roteiro de Mattson Tomlin tenta imprimir a história. E as cores de Jordie Bellaire fecham bem esse ciclo. Tudo isso deixa bem claro que o momento é soturno e que apesar de muitos defenderem o herói, a loucura de Bruce Wayne, que perdeu os pais em um momento de extrema violência, é real e tem suas consequências.

Aguardem o resultado deste debate nos próximos volumes!

Batman – O Impostor,
Volume 1 de 3
R$ 14,90
Marcelo Costa
Jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí com mais de 20 anos de atuação na área, sempre com destaque para área cultural, principalmente no campo das histórias em quadrinhos, cinema e séries.