Não deixe de conferir nosso Podcast!

Todavia Lança Volume Compilando Prosas Curtas De Tolstói

No imaginário popular, o russo Liev Tolstói está associado a verdadeiros calhamaços como Guerra & Paz e Anna Kariênina, romances caudalosos que já ganharam vida no cinema e na televisão. O segundo, por exemplo, foi adaptado ao cinema em 2012 com direção de Joe Wright e protagonizado por Keira Knightley e Jude Law. Mas o autor esmerava-se também em textos mais curtos, como comprova o tomo “Novelas Completas“, lançamento da editora Todavia, com 416 páginas e ao preço sugerido R$ 69,90.

Capa do livro “Novelas Completas”, de Liev Tolstói. O volume lançado pela editora Todavia traz projeto gráfico de Pedro Inoue.

Com tradução e textos de apresentação de Rubens Figueiredo, este livro reúne quatro novelas de Tolstói, esse gênero de ficção breve, a meio caminho entre o conto e o romance. Publicada quando Tolstói tinha 31 anos, “Felicidade conjugal” se concentra no casamento de uma adolescente com um amigo da família. Foi, para o escritor, um verdadeiro tour de force: a história é narrada pela jovem personagem Máchenka, algo que naquela época não era nada trivial. Suprema meditação sobre a finitude, “A morte de Ivan Ilitch” foi escrita quando o autor tinha 58 anos, era pai de treze e filhos e se encontrava numa profunda crise pessoal. Trata-se da história de um juiz cuja vida é atravessada sem maiores reflexões, e interrompida pela perspectiva de uma doença terminal.

Sonata a Kreutzer“, baseada em uma história real, foi motivo de controvérsia quando publicada, em 1890, chegando a ser banida de alguns países. O texto expõe, com riqueza de detalhes e longas descrições, um adultério e um crime passional. Por fim, “Padre Siérgui“, cuja publicação só veio a lume depois da morte do autor, mostra o gosto de Tolstói pelas narrativas de vidas de santos. O protagonista, um nobre e militar, homem bem-sucedido também na vida sentimental, abandona tudo para se dedicar à vida monástica.

As obras não são inéditas no Brasil, é bom lembrar: as três primeiras já ganharam edições pela editora 34, “Padre Siérgui” foi editado pela saudosa Cosac Naify e “A morte de Ivan Ilitch” saiu recentemente num volume caprichado pela Antofágica. Mas afora a atração de tê-las reunidas em um único livro, conta a favor o trabalho difereciado de Figueiredo, um dos maiores especialistas em literatura russa no Brasil e que já traduzira “Crime e Castigo“, do gigante Dostoiévski, para a mesma Todavia.

Rafael Machado
Parnaibano, leitor inveterado, mad fer it, bonelliano, cinéfilo amador. Contato: rafaelmachado@quintacapa.com.br