Terça, 10 De Julho De 2018

Notícias sobre Filmes, Séries e Netflix

Tomi Adeyemi: ‚ÄúPrecisamos de um livro de fantasia de garotas negras‚ÄĚ

A autora de Children of Blood and Bone (ainda sem tradução para o português) diz que seu romance de estréia foi uma resposta à ficção de gênero em que os personagens eram sempre brancos.

[Autoria: Sarah Hughes.]

[Tradu√ß√£o:¬†Dani Marques, idealizadora do zine ‚ÄúDesembucha, mulher!‚ÄĚ.]

Ele tem sido considerado o maio romance de fantasia de 2018, atraindo compara√ß√Ķes com¬†Game of Thrones¬†, a Pantera Negra e j√° rendeu um de filme avaliado em sete d√≠gitos.

Mas Tomi Adeyemi, a autora nigeriana-americana de 24 anos de idade de¬†Children of Blood and Bone, diz que tal sucesso foi a √ļltima coisa na mente dela, quando ela se sentou para escrever sua hist√≥ria √©pica de um mundo opressivo onde magia tem sido banida.

‚ÄúNos √ļltimos 10 meses, passei muito tempo pensando, isso √© real?‚ÄĚ, Ela diz. ‚ÄúEu tinha muitas raz√Ķes diferentes para escrever o livro, mas no seu √≠ntimo estava o desejo de escrever para as adolescentes negras que estavam lendo e n√£o se viam nesses livros. Essa foi a minha experi√™ncia quando crian√ßa.¬†Children of Blood and Bone¬†√© uma chance de resolver isso. Para dizer que voc√™ √© visto ‚Äú.

Adeyemi √© a filha do meio‚Ää‚ÄĒ‚Ääseu irm√£o √© m√ļsico, e sua irm√£ mais nova ainda est√° na faculdade. Seu pai √© um m√©dico, enquanto sua m√£e dirige um hospital psiqui√°trico fora de Chicago. Ela estudou literatura inglesa em Harvard antes de se dirigir para o Brasil com uma bolsa para estudar cultura e mitologia do oeste da √Āfrica. Foi na Am√©rica do Sul que as sementes de¬†Children of Blood and Bone¬†, a primeira de uma trilogia, foram semeadas.

‚ÄúEu estava em uma loja de presentes l√° e os deuses e deusas africanas foram retratados de uma maneira t√£o bela e sagrada¬†‚Ķ realmente me fez pensar sobre todas as belas imagens que nunca vemos com pessoas negras‚ÄĚ.

Ela descreve a hist√≥ria‚Ää‚ÄĒ‚Ääque mostraa filha do pescador, Z√©lie, e uma improv√°vel banda de aliados e inimigos em busca de uma m√°gica real no pa√≠s de Or√Įsha‚Ää‚ÄĒ‚Ääcomo ‚Äúuma alegoria pela experi√™ncia negra moderna‚ÄĚ. Ela inspira-se tanto na mitologia do oeste da √Āfrica quanto no¬†movimento Black Lives Matter¬†.

‚ÄúTodo momento de viol√™ncia no livro baseia-se em imagens reais‚ÄĚ, diz ela, explicando que uma cena inicial na qual Z√©lie √© atacada por um guarda foi inspirada pelo not√≥rio v√≠deo de um policial que¬†empurra uma adolescente para o ch√£o¬†em um festa na piscina no Texas. ‚ÄúA minha inten√ß√£o n√£o √© gratuita, mas quero que as pessoas estejam conscientes de que essas coisas est√£o acontecendo e que os v√≠deos reais s√£o muito piores‚ÄĚ.

Adeyemi n√£o √© a √ļnica autora jovem que usa a fantasia para fundir hist√≥rias pessoais com temas pol√≠ticos. Justine Ireland, em¬†Dread Nation¬†, conta uma hist√≥ria alternativa de guerra civil dos EUA com zumbis adicionais, ser√° publicada nos EUA no pr√≥ximo m√™s.¬†The Belles de¬†Dhonielle Clayton¬†, uma hist√≥ria sombria, com obsess√£o e magia, saiu no Reino Unido em fevereiro.

Enquanto isso, a conclusão da aclamada trilogia Shadowshaper , de Daniel José Older , que segue um grupo diversificado de adolescentes do Brooklyn enquanto lutam contra forças escuras, tanto mágicas quanto humanas, é esperada no próximo ano.

‚ÄúNo meu mundo perfeito, ter√≠amos um livro de fantasia de garotas negras todos os meses‚ÄĚ, diz Adeyemi. ‚ÄúN√≥s precisamos deles, e tamb√©m precisamos de hist√≥rias de fantasia sobre garotos negros‚ÄĚ.

Ela sente que¬†Children of Blood and Bone¬†√© uma corre√ß√£o necess√°ria, dado o qu√£o branca √© a fantasia atual? ‚ÄúOh, sim‚ÄĚ, ela diz com uma risada. ‚ÄúIsso faz com que meu sangue ferva‚Ää‚ÄĒ‚Ääa id√©ia de que √© totalmente bom ter uma rainha dos drag√Ķes, mas voc√™ n√£o pode ter uma pessoa negra.

‚Äú√Č por isso que o sucesso do filme recente da Marvel, Pantera Negra¬†tem sido t√£o significativo‚Ää‚ÄĒ‚Ääo p√ļblico negro e marginalizado tem a chance de se ver como her√≥is retratados de forma linda e capacitadora, e os espectadores brancos v√™em novas hist√≥rias contadas, e torna-se mais f√°cil para eles imaginarem um super-her√≥i preto. A imagina√ß√£o √© uma coisa engra√ßada‚Ää‚ÄĒ‚Ää√†s vezes precisamos ver algo antes de podermos represent√°-lo verdadeiramente‚ÄĚ.

√Č claro que a vers√£o cinematogr√°fica de¬†Children of Blood and Bone, que foi escolhido como um livro de Waterstones do m√™s de mar√ßo, deve ter um diretor negro: ‚Äú√© uma coisa profundamente pessoal‚Ää‚ÄĒ‚Ääexistem partes do livro que as pessoas negras instantaneamente ir√£o identificar seu modo de vida‚ÄĚ. Mas, ela avisa, √© importante que as pessoas n√£o usem a fic√ß√£o adulta jovem como uma cura r√°pida.

‚ÄúN√£o √© porque tivemos Obama, como um presidente negro, que de repente racismo √© curado, oito anos mais tarde nazistas est√£o marchando e as pessoas come√ßam dizendo:‚ÄĚTalvez n√≥s temos um problema de ra√ßa‚ÄĚ,‚ÄĚ ela diz. ‚ÄúNossos livros n√£o est√£o l√° para consertar magicamente a publica√ß√£o, mas talvez eles v√£o come√ßar as mudan√ßas movendo-se para que em seis meses n√≥s tenhamos ainda mais grandes hist√≥rias, onde nos veremos e seremos ouvidos.‚ÄĚ

[*] Artigo publicado em THE GUARDIAN (10/03/2018): Link

[**] Todos os textos traduzidos possuem conte√ļdo meramente did√°tico e n√£o lucrativo. Para cita√ß√Ķes deve-se recorrer ao original.

Fonte: Mendium

Quem é PikachuSama

Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.

 

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: