Não deixe de conferir nosso Podcast!

Amazon compra mais gibi que os livreiros do Brasil

Caso os digníssimos leitores ainda não saibam, eu sou um dos dois donos da livraria Quinta Capa Quadrinhos e, eventualmente, escrevo algumas linhas sobre como percebo o mercado de quadrinhos por aqui, nos últimos anos.

Recentemente, depois de tanto esforço infrutífero para vender a edição de Liga Extraordinária 1898 por míseros R$230, que nosso colunista Thiago Ribeiro tanto defendeu em artigo nestas paragens, com título panfletário de A Edição que Realmente vale R$230, percebi que “algo errado não estava certo”.

Já tinha sabido que a Amazon vendia o mesmo título pela bagatela de R$199, fora os descontos corriqueiros com os quais a distinta concorrente costumeiramente presenteia seus fidelíssimos clientes. “Ora”, pensei, “como diabos a Amazon tem o mesmo título por um preço de capa, significativamente, tão mais baixo que o normal?”.

Com verve imperscrutável, questionei a editora Devir, a mesma que oferece o título tanto para a abastada Amazon quanto para os humildes livreiros como eu, o por quê da diferença de preço, e mais: ousei questionar por que um cliente deveria comprar o título comigo, por R$230, ao invés de comprar na Amazon, por R$199.

O facebook da editora Devir me respondeu:

A Amazon fechou uma parceria para ter uma capa exclusiva.
Quando iniciamos a campanha da venda da Liga Extraordinária 1898 oferecemos as mesmas condições da Amazon para as lojas especializadas e tínhamos que atingir uma meta de vendas para viabilizar a outra versão também por R$200.
Como essa meta não foi atingida, a versão com a capa principal permaneceu no valor original. A única diferença entre as duas edições são as ilustrações da sobrecapa e da capa. Todo o miolo e materiais extras são iguais.

De acordo com Erik Gomes, contato da editora Devir com quem troco e-mails, o que aconteceu foi o seguinte: “Essa edição que a AMAZON está trabalhando foi oferecida primeiro na coletividade do site J4B somente para as lojas especializadas, porem o objetivo não foi alcançado”. Conseguem perceber o problema?

Propaganda da venda coletiva de Liga Extraordinária 1898, da Devir.
Propaganda da venda coletiva de Liga Extraordinária 1898, da Devir.

 

A Devir é, provavelmente, a principal referência de distribuição de quadrinhos para os livreiros do Brasil. É especializada na venda de gibis. Certa vez, mandei uma mensagem pra Panini dizendo: “quero comprar diretamente com vocês!” e eles me responderam com: “não! Compre no J4B”, o site de vendas da Devir.

Quer dizer, toda a rede de livreiros, à qual eu faço parte, diretamente ligadas à Devir, todas as livrarias do Brasil que compram, umbilicalmente, com esta editora, não conseguiram atingir a meta necessária para que o título novo da Liga Extraordinária custasse apenas R$199. Mas a Amazon conseguiu.

A Amazon bancou uma edição mais barata, coisa que a união dos livreiros do Brasil não conseguiu.  Eu, humildemente, adquiri apenas minhas 5 edições do título. Contribui com o coletivo de livreiros que tem menos poder de compra que uma única empresa. E assim segue a saudável vida liberal brasileira. Viva o livre comércio!

Bernardo Aurélio
Sou desenhista, criador do Máscara de Ferro e autor do quadrinhos Foices & Facões. Sou formado em história e gerente da livraria Quinta Capa Quadrinhos