Não deixe de conferir nosso Podcast!

Até quando os roteiristas acharão que o Superman precisa ser mau?

Evil Superman
DC Comics

Porque os roteiristas acreditam que escrever um Superman do Mau é necessário para um personagem tão bom?

Estamos em 2021, assistimos nada menos que três representações do “Superman” malvado nos serviços streaming. O desequilibrado e racista Capitão Pátria de The Boys, da Amazon, o violento e genocida de planetas Omni-Man em Invincível (também na Amazon) e o próprio Superman – Man of Steel – do sombrio futuro da Liga da Justiça de Zack Snyder (HBOMax) . Esse fascínio por um “Evil Superman” não é recente, mas talvez tenha atingido seu apogeu agora. Já que esses três personagens são inspirações do Homem de Aço original e, se cada roteirista que criou eles tivessem mesmo bebido dessa fonte, teriam percebidos uma verdade que deveriam saber desde o início: não existe um Superman do mau – e nunca haverá.

Evil Superman
Capitão Pátria, Superman, Omni-Man (Reprodução)

Capitão Pátria, Omni-Man e Knightmare Superman (cujo nome foi tirado de um futuro apocalíptico no qual o Superman governa a Terra) podem ter origens e objetivos diferentes, mas em geral eles são farinha do mesmo saco. Cada um é retratado como um símbolo superpoderoso de esperança e heroísmo, para o qual as pessoas olham em tempos de crise, e cada um acaba revelando suas verdadeiras e nefastas intenções. Todos os três são escritos como uma resposta direta ao chamado “Problema do Superman” que tem atormentado os escritores do Homem de Aço desde a Idade de Ouro dos quadrinhos: Sua identidade secreta. Não existe um Superman 24 horas por dia, ele é o alter ego do Jornalista Clark Kent. Então a resposta mais óbvia para esse problema foi simplesmente transformar ele num cara mau.

À medida que a Marvel Comics alcançou fama nos anos 60, em parte devido aos seus super-heróis serem desafiados por problemas com os quais os jovens leitores podiam se identificar facilmente (o Homem-Aranha lutando para manter um emprego, o Quarteto Fantástico se preocupando em pagar o aluguel, etc.), o Superman teimosamente permaneceu inalterado e incontestado com o passar dos anos. Por mais que tentasse, ele nunca poderia sujar sua reputação como um verdadeiro herói americano sem uma única falha de caráter em seu corpo quase invulnerável.

A primeira vez que foi lido sobre um Superman como vilão foi com a estreia do personagem Ultraman na revista Justice League of America # 29 de 1964. Esse super ser de outra terra que veio para nosso planeta foi um inimigo violento com todos os poderes do Superman, mas nenhuma moral. Embora Ultraman tenha sido despachado rapidamente no final da edição, a ideia de um “Evil Superman” explodiu as cabeças dos roteiristas: talvez essa fosse a solução para o Problema do Superman!  A famosa frase “o poder absoluto corrompe absolutamente” agora faria todo o sentido para eles. Assim, com o passar das décadas, alguns escritores continuaram a puxar esse fio até decidirem que um super-homem do mau não era simplesmente uma possibilidade, mas algo inevitável no processo evolutivo do personagem no mundo moderno.

O conceito  “Evil Superman” pode ser dividido em duas categorias: um Superman que se torna mau e um Superman que sempre foi mau. As histórias do primeiro muitas vezes envolvem Superman experimentando uma perda dolorosa que o faz quebrar e usar seus poderes para governar o mundo. As histórias do segundo envolvem personagens que foram criados como equivalentes ao Homem de Aço como o como Omni-Man, Capitão Pátria, Supremo e outros heróis com as mesmas características. Os personagens de ambas as categorias são hiper-violentos, cruéis, implacáveis e nunca hesitam em matar.

Se formos analisar sobre a natureza do poder (e do Superman) naturalmente uma questão seria levantada: quantas vezes o Superman matou inocentes, dominou os fracos e se tornou um símbolo de escuridão e opressão? Quantas vezes o Superman, por falta de uma palavra melhor, quebrou-se?

Nenhuma Vez.

Superman nunca se tornou mau na continuidade da linha principal da DC Comics. Outros heróis como Lanterna Verde ou a Supergirl se transformaram no passado, mas o Superman não mudou, e não vai – e suas muitas contrapartes malignas de universos alternativos provam isso. Pois se os escritores realmente quisessem explorar o Superman “original” tornando-se mau, eles o teriam feito há décadas. 

Em relação ao imenso poder do Superman servindo como um catalisador para que no fundo ele seja uma pessoa maligna, é totalmente destruído no quadrinho de 2008 All-Star Superman escrito por Grant Morrison que explica de forma didática o que seu poder previne o mal em primeiro lugar.  Neste quadrinho, ao ganhar os poderes do Superman (incluindo seus sentidos aprimorados), Lex Luthor é dominado por todos esses sentimentos e ele fala:”É tão óbvio … é assim que ele vê o tempo todo, todos os dias… Somos todos nós, aqui, juntos … e nós somos tudo o que temos. ” 

Grant Morrison foi genial em dar vida e palavras para o que de fato é o Superman. Chega ser emocionante.

 

Superman
Superman é o Símbolo da Esperança (Arte: Alex Ross)

Nunca haverá um Superman mal. É uma impossibilidade tão ridícula quanto um Capitão América fascista. Há uma razão pela qual os supermen maus vêm e vão, mas o personagem do Homem de Aço está quase totalmente inalterado desde sua estreia em 1938. É a mesma razão pela qual o tom do Batman pode mudar enquanto permanece fiel ao personagem, mas o do Superman não pode – porque seu tom , tão esperançoso e idealista, como sempre foi, é seu caráter.

Textos para a pesquisa: ScreenRant

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.