Não deixe de conferir nosso Podcast!

Crítica | Space Force da Netflix é um lançamento abortado e sem graça, um desastre

Confira nossa crítica sem spoiler da primeira temporada de Space Force.
Space Force
Netflix

Nem mesmo Steve Carrell com Greg Daniels salvaram a primeira temporada de Space Force. Uma tragédia sem graça total.

É praticamente indiscutível: Th Office é uma das séries de TV mais amada de todos os tempos. E isso tudo vindo de uma péssima e estranha primeira temporada, conseguiu encontrar sua própria identidade, afastando-se completamente de contraparte Britânica.

Enquanto aquele programa – com Ricky Gervais – estava cheio de sátira dentro de um ambiente de trabalho, de coração sombrio e de mentes quase mórbidas, a versão americana acabou tendo uma tonelada de coração, barris cheios de risadas e um elenco de personagens que o público adorou. A chave para seu sucesso foi Steve Carell como Michael Scott – o chefe incompetente constantemente preso entre tentar ser um chefe legal, mas também tentar, embora não tão difícil ou com sucesso, ser uma boa pessoa. O programa o transformou em uma estrela e ele o retribuiu, transformando-o em um fenômeno, do tipo que as empresas gastam US $ 500 milhões para obter os direitos de reproduzir em seu serviço de Streaming.

É por isso que a Space Force, no papel, parecia um grande negócio para a Netflix. Não é apenas o retorno de Steve Carell à comédia, mas também o retorno de alto nível do criador de The Office, Greg Daniels – embora valha a pena lembrar que ele também é co-criador da série da Amazon Upload, como eu já havia dito antes e que estreou no início deste ano com muito menos alarde.

Carell e Daniels já chamam atenção sozinhos, mas se juntar um elenco de apoio com John Malkovich, Lisa Kudrow, Ben Schwartz, o falecido, grande Fred Willard, entre outros), o que poderia dar de errado?

Pois é, deu errado, o programa é um tremendo fracasso e eu explico de uma forma muito simples: Ele não é engraçado.

O conceito da série era para ser um sucesso. É mais uma comédia sobre ambiente de trabalho, mas, em vez das participações baixas e relacionáveis de, digamos, uma empresa de vendas de papel em Scranton, é ambientada na recém-criada Space Force (um ramo militar que existe na vida real e foi criado por Donald Trump em 2018). Carell interpreta o general Mark Naird, o chefe teimoso e pouco competente das operações espaciais, que está tentando criar um e bem-sucedido ramo das forças armadas americanas. Tinha tudo para ser engraçado.

O problema, desde o início, é que a Space Force nunca tem certeza se é uma comédia ou uma sátira de ambientes de trabalho. As comédias neste tipo de ambiente precisam de um conjunto de coisas para se conectar, e não há um único personagem em Space Force com o qual o público possa participar e fazer inter-relações. Naird não tem nenhuma coisa que fez Michael Scott suportável e engraçado: um coração. Ele é apenas um idiota. Nenhum dos outros personagens é desenvolvido o suficiente para compensar seu protagonista, apesar de atores como Malkovich e Schwartz fazerem o possível para fazer brilhar seus personagens superficiais.

A série é ainda pior quanto a desenvolvimento das mulheres; existem apenas duas, a filha de Naird, Erin, e a piloto-motorista de Naird, Angela, com qualquer coisa que se aproxime da ideia de profundidade da série, e elas são relegadas principalmente ao papel de serem uma caixa de ressonância para os homens.

A outra coisa que as comédias em ambiente de trabalho precisam é algo para se relacionar. As apostas da Força Espacial são muito altas e arbitrárias demais para se preocupar. É muito difícil aceitar a luta de Naird para obter sucesso com sua equipe, isso acontece porque não nos importamos com Naird, e a série em si acha que a organização é uma piada. Não nos importamos se ele obtém sucesso, e nenhum de seus sucessos parece realmente importar também.

Spoce Force também recua para as lutas mortalmente desinteressantes quando tentou mostrar a parte e sentimentos internos dos protagonistas, e se o programa não estiver interessado nas inter-relações de seus personagens, por que o público deveria estar?

Um fracasso como série de comédia dentro de um ambiente de trabalho, mas ainda é pior como sátira.

A premissa do programa é basicamente um esboço do programa SNL e nunca fica claro se está mirando a incompetência burocrática, a própria ideia de uma força espacial ou algum conceito vago da política americana. É pior quando se trata do último; é apolítico de uma maneira que não é neutra, é conservadora, o tipo de equívoco preguiçoso de ambos os lados que não é apenas insatisfatório de assistir, mas chato.

Como se isso não fosse ruim o suficiente, a série parece desinteressada em qualquer pessoa na tela, o que rouba o programa de qualquer alma que os atores possam tentar dar. A sátira não precisa necessariamente de alma; Veep viveu por seis temporadas sem coração nem alma, e fez isso com sucesso porque era, sem dúvida, descarada em relação ao que estava tirando sarro. Space Force nem consegue se levantar para encontrar um alvo, muito menos piadas para jogá-lo. Essa neutralidade plana é amplificada pelo estilo visual monótono do programa; parece com praticamente todos os filmes originais da Netflix.

Nunca reparou? Todos os filmes da Netflix parece que existem na mesma realidade. Meu deus, será?

Até Carell é ruim em todos os episódios, maltratado como Naird. Ele é um ator incrível, basicamente tudo que ele fez, o brilhantismo de Michael Scott não estava na maneira como ele interpretava a ignorância otimista desse personagem, mas nos pequenos lampejos da humanidade quando percebeu que estava errado ou havia genuinamente ferido um de seus colegas. Naird tem breves momentos como esse, e quando Carell realmente os interpreta, ele é ótimo, mas, na maioria das vezes, ele deixou apenas latidos e caretas, forçado a desempenhar uma atitude em vez de um humano. É uma performance que pode funcionar como uma participação especial, mas não é suficiente para aguentar um uma temporada inteira. Era isso. Nada mais a declarar.

Você pode assistir Space Force na Netflix, se quiser, claro.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.