Não deixe de conferir nosso Podcast!

“Na Física real o Super-Homem teria que soltar gases para conseguir voar”, brinca físico

O professor Michell Ed encontrou nas histórias em quadrinhos uma ótima ferramenta para ensinar Física

Físico, desenhista e apaixonado por histórias em quadrinhos, o professor Michell Ed, decidiu que seria interessante levar um pouco da magia vivida pelos super-heróis e brincar com sua área de atuação. Michell tem Mestrado na área de “Educação em Física.”

Um dos principais alvos foi o logo o Super-Homem, o primeiro e considerado o mais poderoso de todos. Segundo o professor, levando em consideração a nossa Física – e não dos alienígenas – o Super-Homem jamais teria condições de voar.

“Pular, mesmo a longas distâncias, até é aceitável, pois seria uma força, gerando ação e reação. Já voar é bem mais complicado. Ele deveria empurrar algo, alguma coisa invisível, no caso o ar! Ou seja, para voar o Super-Homem precisaria soltar gases, e por todos os poros”, brinca o professor.

Neste momento, Michell Ed aproveita para ensinar a seus alunos todas as formas de voar de acordo com a Física dos “terráqueos”. “Explico a questão da gravidade, mostro como é possível o avião voar, cito o exemplo do foguete, do pássaro, entre outras coisas. Alguns alunos até reclamam que isso acaba estragando um pouco a diversão, já que passam a ver os filmes com ‘outros olhos’, mas no geral acham divertido a comparação”, lembra.

Michell Ed ressalta que, com suas explicações baseadas na Física, em nenhum momento tenta desmerecer o que foi construído pelas histórias em quadrinhos. “Ao contrário, acho fantástico essas realidades criadas pelos roteiristas e desenhistas dos quadrinhos. É claro que tudo isso é mais ligado a magia do que ao real, mas com certeza o conhecimento em Física é o que permite divagar por caminhos que moram na imaginação e na criatividade”, destaca.

Apaixonado pelas HQs e Físico, Michell Ed logo percebeu que seria interessante levar o tema para sala de aula

 

A Crise nas Infinitas Terras e a antimatéria

A HQ Crise nas Infinitas Terras, saga que recriou o Universo DC, tem como base um conceito existente na “nossa” Física – a antimatéria – mas vai muito mais além. “Caso a matéria tivesse contato com antimatéria certamente tudo seria destruído. Só que na Crise nas Infinitas Terras eles trabalham mais as multiplicas realidades. Essa ideia não dá nem para dizer que é uma teoria, porque não foi testada. É, na verdade, uma hipótese para tentar explicar determinados fenômenos”, explica.

Um bom exemplo de história em quadrinhos que Michell Ed cita como destaque onde os conceitos da Física real foram bem trabalhados é a Graphic MSP Astronauta, de Danilo Beyruth. “Dá para notar que eles tiveram uma assessoria de astrônomos, de físicos. Os conceitos estão fisicamente corretos e trabalham em favor da narrativa”, concluiu.

Marcelo Costa
Jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí com mais de 20 anos de atuação na área, sempre com destaque para área cultural, principalmente no campo das histórias em quadrinhos, cinema e séries.