Não deixe de conferir nosso Podcast!

Resenha | Final Fantasy VII Remake – Square Enix (PS4)

Finalmente, o tão aguardado remake do “cultuado” Final Fantasy VII está aí para ser jogado! Foram anos desde sua revelação, somando aos anos que os fãs esperam por um remake. A Square Enix não poderia lançar um game que fosse decepcionar, correto?

Imagem de Final Fantasy VII Remake
Os fãs do clássico do PS1 há muito aguardam o remake de Final Fantasy VII.

Texto de Rafael Escobar.

Primeiramente, quero deixar claro que esse remake de Final Fantasy VII é apenas a primeira parte de 3 que a Square Enix pretende lançar pra fechar todo o jogo original. Resta saber quando! Tendo em mente isso, existirão 2 públicos para analisar esse game!

Os jogadores retrô (assim como eu), que jogaram a versão original, fazendo 100%, e os jogadores mais novos que querem conhecer a história do game e resolvem experimentar esse remake!

Para o público mais velho, e que jogou a versão original, mesmo que a Square Enix tenha adicionado várias formas de jogar esse remake, mudando tudo praticamente, aprimorando mais a história, que já era fantástica, você, às vezes, irão pensar que estão jogando uma DEMO, sabendo que virão outras partes a serem lançadas no futuro pra fechar a trama!

Imagem de Final Fantasy VII
Os jogadores ainda terão que esperar muito para completar a saga de Cloud.

Sim, esse sentimento vai te bater algumas vezes, pode acreditar!

Não estou falando que o game é literalmente uma DEMO, pois a história até onde o jogo irá é fechada, contando tudo, até aquele ponto, sobre o mundo de Midgar. Sendo assim, essa primeira parte do game é completo sobre Midgard, a cidade onde a história inicialmente se pasa! Porém, você sabe que Final Fantasy VII tem muito mais coisas para contar. Mesmo assim, quem jogar vai curtir o que será apresentado.

Agora, para o jogador iniciante em FFVII, sinceramente, ele vai amar esse game como foi produzido, se encantando com a história e ambientação, e vai esperar pelas outras partes!

Como esse remake foi lançado para ser a primeira parte de três, sendo que nesta primeira parte, a Square Enix mergulhou em um universo de histórias apenas sobre Midgard, aproveitem!

Imagem de Final Fantasy VII
Final Fantasy VII tem tudo para apresentar para a nova geração de jogadores um clássico do PS1.

JOGABILIDADE: A Square Enix abandonou o sistema de encontros aleatórios e batalhas por turnos do original, e apostou em algo mais dinâmico e fluído.

Em alguns momentos, soa como um Hack n’ Slash, mas vai muito mais além! Você pode simplesmente sair apertando apenas um ou 2 botões pra matar os inimigos, mas essa não é uma boa tática, pois deve analisar o comportamento de cada inimigo, atordoar-los e usar golpes ou magias específicas pra sair da luta com facilidade.

Ponto forte para o sistema tático do game, isso deixa o game muito bacana, sendo essencial o uso de tática nele! Você irá fazer muitas sidequests para poder adquirir itens e outras coisas. O game segue numa progressão linear e não tem como se perder ou ficar frustrado, mas eu senti que algumas sidequests foram desnecessárias!

Para os jogadores mais novos ou pra quem não quer passar por grandes apuros, têm a opção de deixar o game no fácil ou no modo clássico, que é quase um modo automático de lutas.

A parte mais crítica no game está na câmera. Sim, a câmera deste deste game é medonha em muitos momentos de frenesi. Sério, você vai ficar frustrado muitas das vezes nas batalhas intensas, isso porque a câmera é ruim e realmente deixa a desejar.

NOTA : 8.0/10.0

Imagem de Final Fantasy VII
Um ótimo sistema de batalha, atrapalhado por uma câmera que deixará você irritado.

SOM: É bacana do início ao fim. Trilhas sonoras clássicas totalmente refeitas do zero, mas que nos trazem o ar saudosista do jogo original, e algumas canções novas feitas para este remake.

Efeitos sonoros são bons, mas poderiam ser melhor em alguns aspectos. Também não posso deixar de citar a bela dublagem, mesmo que não tenha uma versão em português, mas é um espetáculo a parte! Não tem muito o que falar, é fantástico e primoroso o trabalho de som desse jogo.

NOTA : 9.5/10.0

Imagem de Final Fantasy VII
Se você já conhece a trilha sonora original de Final Fantasy VII, vai se sentir a vontade com o excelente trabalho feito aqui.

HISTÓRIA: Essa primeira parte do universo do remake de Final Fantasy VII entra a fundo nos aspectos que envolve toda a trama da primeira parte do jogo original focada em Midgard, seja em cenas, diálogos e documentos, você vai mergulhar no universo espetacular que a Square Enix nos trouxe pra contar tudo sobe Midgar, embora com certas enrolações no qual poderia ser mais direta.

NOTA : 9.5/10.0

Imagem de Final Fantasy VII
A história do grupo terrorista AVALANCHE, que luta contra a empresa que rouba a energia do planeta, está muito boa no remake.

GRÁFICOS: Talvez, aqui gere alguma certa discussão, mas vamos analisar de olhos abertos e sem fanboyzismo!

O que você irá mais ver neste game são cores escuras em tons de ferro e estruturas metálicas, e é muito bacana como a Square Enix deu um ar de destruição e ruínas.

O game em si tem um visual bacana, nas batalhas é um show de efeitos de iluminação , efeitos de partículas bem interessantes, as apresentações não deixam a desejar, os efeitos das magias, Summons e tudo mais. Está muito bonito até certo ponto, mas nem tudo são flores.

Infelizmente, é notável em muitas ocasiões a texturização porca sem tratamento, problemas de renderização. Vendo por esse lado, a equipe da Square Enix devia estar com muita preguiça ou com pressa pra lançar o game logo (mesmo com o grande tempo de produção) e não se atentaram a isso, ou, talvez (não que seja a desculpa), a engine gráfica não ajudou tanto nesta parte!

Mas no contexto geral, FF VII é bonito com modelagens quase perfeitas dos protagonistas (não digo o mesmo para os NPCs), detalhes das roupas, armaduras, tudo muito bonito em detalhes, mas peca em desempenho visuais extras.

NOTA : 8.0/10.0

Final Fantasy VII Remake chega com tudo para os fãs do game original, mesmo com a impressão de ser uma DEMO do game original. Nessa primeira parte, há início, meio e fim pra contar ocasiões situadas por toda a Midgard!

É um game completo, e isso não é ruim, é bacana a tonelada de informações que eu desconhecia.

Os mais novos na série irão ter um game bem interessante pra jogar e esperar os outros episódios!

Mesmo com alguns problemas técnicos, vale muito a pena jogar!

NOTA FINAL : 8.8/10.0

Imagem Final Fantasy VII
Final Fantasy VII Remake é um excelente jogo, mesmo com alguns problemas de câmera e gráficos.

PRÓS:
– Não é realmente o game completo, mas as histórias do episódio aqui lançados são completas;
– A trama sobre Midgard repleta de informações para os fãs e para os mais novos;
– Sistema de combate interessante e funciona bem;
– Dublagem e adição de vozes nos personagens conhecidos de FFVII;
– Summons são lindas nesta versão de FFVII.

CONTRAS:
– Desempenho baixo em renderização em alguns momentos;
– Câmera ruim, embora tenha opção de tentar arrumar em opções do game, continua a se comportar ruim;
– Alguns elementos borrados in game. Não atrapalha a jogatina, mas é desleixo;
– O game é bem linear e se estende em vários pontos com enrolação.

Imagem da capa de Final Fantasy VII

  • 8/10
    Jogabilidade - 8/10
  • 9.5/10
    Som - 9.5/10
  • 9.5/10
    História - 9.5/10
  • 8/10
    Gráficos - 8/10
8.8/10

Summary

Uma reimaginação espetacular de um dos jogos mais visionários. Final fantasy vii remake reconstrói e expande o lendário rpg para hoje. A primeira entrada em uma saga multi-parte, entregando um nível de profundidade inconcebível para o original. História alucinante, personagens inesquecíveis, batalhas épicas e excelência técnica colidem. O mundo caiu o controle da shinra electric power company, uma corporação sombria que controla a força vital do planeta como energia mako. Na extensa cidade de midgar, uma organização anti-shinra que se autodenomina avalanche intensificou sua resistência. Cloud strife, um ex-membro da unidade de elite soldier de shinra que agora se tornou mercenário, empresta sua ajuda ao grupo, sem saber das consequências épicas que o esperam.

Thiago Ribeiro
Thiago de Carvalho Ribeiro. Apaixonado e colecionador de quadrinhos desde 1998. Do mangá, passando pelos comics, indo para o fumetti, se for histórias em quadrinhos boas, tem que serem lidas e debatidas.