Não deixe de conferir nosso Podcast!

Resenha | Heavy Metal: Primeira Temporada Nº 01

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), quality = 85

Mythos lança material da 2000AD em nova publicação, porém, com um título já conhecido pelo grande público

Resultado de imagem para GUERREIROS ABC imagem
Guerreiros ABC

É inegável que quando a editora Mythos anunciou a publicação da revista Heavy Metal no Brasil os fãs de quadrinhos associaram a publicação à clássica revista METAL HURLANT, famosa publicação que contou com famosos nomes como Moebius, Richard Corben, Alejandro Jodorowsky, Enki Bilal, Caza, Serge Clerc, Alain Voss, Berni Wrightson, Milo Manara, Frank Margerin, Masse, Chantal Montellier e outros.

Porém, passado o momento de especulação, a editora divulgou que a nova interpretação da revista Heavy Metal teria os títulos de outra famosa publicação europeia, a 2000AD, e, não o material que foi publicado na HEAVY METAL original. Para entender melhor a discussão acerca do título da publicação usado, o editor e dono da livraria Quinta Capa, Bernardo Aurélio, conduziu uma entrevista com o editor da Mythos Júlio Monteiro de Oliveira acerca do caso. Clique aqui.

Resultado de imagem para GUERREIROS ABC Clint Langley
Guerreiros ABC

Mas, após a polêmica envolvida com o título, a nova interpretação Heavy Metal cumpre o papel de ser um bom quadrinho em bancas?

Primeiro, é inegável que o que chama atenção é o trabalho editorial do título. Contando com 100 páginas, papel LWC, formato gigante e colorida, a edição é muito bonita e atrativa até mesmo no preço, já que o preço de capa de R$ 24,90 é bem mais em conta do que a Mythos vem praticando com os títulos da Bonelli, que contam com um formato bem menor, mesmo número de páginas, sendo preto e branco, mas com um preço de R$ 26,90.

Ou seja, editorialmente, o título está lindo. Contando com um índice na contra capa que resume as quatro histórias originais, um editorial que se propõe a explicar ao leitor a nova Heavy Metal e um resumo que apresenta as equipes criativas, o título da Mythos está caprichado.

Porém, tanta beleza começa a desandar quando a leitura dos títulos da 2000AD começa.

 

Editorial com a nova proposta da Heavy Metal.

A edição é em formato mix, formato esse que parecia fadado a acabar nas bancas do Brasil, contando com os títulos: Guerreiros ABC e Sláine, da dupla Pat Mills e Clint Langley, Mundo dos Labirintos, de Alan Grant Arthur Ranson, e Contos de Telguuth, de Steve Moore e Greg Staples.

É inegável que Guerreiros ABC e Sláine (que conta com a arte de capa) são o ponto baixo da edição, infelizmente.

Guerreiros ABC até conta com ideias interessantes, colocando robôs para lutar em guerras no lugar de humanos, em um futuro onde ainda ocorre uma espécie de conflito entre um análogo dos Estados Unidos da América e a União Soviética. Esses robôs agem e sentem como humanos, chegando até mesmo a enlouquecer. Porém, nessa primeira edição, as boas ideias param aí. Páginas e páginas são usadas para demonstrar o conflito entre as nações antagônicas, porém, a arte digital tira qualquer peso narrativo que esse conflito merece. É uma boa ideia que pode não empolgar no primeiro momento, mas pode ser melhor trabalhada no futuro.

Resultado de imagem para GUERREIROS ABC Clint Langley
Guerreiros ABC

Mas, se Guerreiros ABC tem ideias interessantes a serem desenvolvidas, Sláine estreia nessa edição número um sem nem mesmo se preocupar em apresentar o personagem (exceto no resumo que fala sobre o título no início da publicação). O leitor já encontra Sláine em meio a um local inóspito, tendo que lidar com seres sobrenaturais e sem nenhuma contextualização. A trama parece mais a de um Conan genérico. E o pior, a arte digital de Langley só prejudica o título, trazendo muito som e fúria sem uma narrativa interessante.

Resultado de imagem para GUERREIROS ABC Clint Langley
Sláine

Mas se os dois títulos da 2000AD que abrem e ocupam o maior número de páginas do volume 01 da Mythos não empolgam como deveriam, Mundo dos Labirintos e Contos de Telguuth entregam boas tramas, com bons desenhos, em especial, Mundo dos Labirintos.

Na trama, vemos um prisioneiro britânico que, no momento de seu enforcamento, é transportado para um mundo fantástico, onde a cada maldade que comete o laço que está em seu pescoço no mundo real aperta mais e mais.

Resultado de imagem para mundo dos labirintos alan grant
Mundo dos Labirintos

Mesmo contando com menos páginas que as duas primeiras histórias, Mundo dos Labirintos é o ponto alto da leitura e faz com que o leitor volte para acompanhar o título no próximo mês.

Mas, se Mundo dos Labirintos é uma história para se acompanhar, Contos de Telguuth é daquelas tramas fechadas em poucas páginas que fizeram a fama da 2000AD na Inglaterra. Em um terra de feitiçaria, um feiticeiro faz um pacto com um demônio que não quer a sua alma e, sim, seu corpo. A história prende o leitor e surpreende ao final.

Resultado de imagem para Heavy metal mythos imagem

Contando com um formato caprichado e atrativo, a nova publicação da Mythos tem seu ponto fraco nas tramas apresentadas, mesmo que algumas se destaquem. Porém, o formato de temporada proposta pela editora pode tornar esse título viável e, quem sabe, dar vida longa a mais tramas da 2000AD.

PS: O editor Bernardo Aurélio fez um vídeo comentando a nova Heavy Metal no canal do Youtube PQP. Clique aqui.

Ficha Técnica:

Número de páginas: 100
Formato: 20,5 x 27,5 cm
Lombada quadrada
Preço de capa: R$ 24,90

 

  • 6/10
    Roteiro - 6/10
  • 6/10
    Desenhos - 6/10
  • 6/10
    Narrativa - 6/10
  • 10/10
    Edição Nacional - 10/10
7/10

Resumo

A Mythos Editora orgulhosamente apresenta sua nova publicação seguindo o espírito do passado: Heavy Metal! Esta edição contém as aventuras do Guerreiro da Mãe-Terra, Sláine e as histórias robóticas dos Guerreiros ABC, ambos por Pat Mills e Clint Langley; o fantástico Mundo dos Labirintos, por Alan Grant e Arthur Ramson e os Contos de Telguuth, a fantástica criação de Steve Moore com arte de Greg Staples. Confira esse novo título imperdível que já nasceu clássico!

Thiago Ribeiro
Thiago de Carvalho Ribeiro. Apaixonado e colecionador de quadrinhos desde 1998. Do mangá, passando pelos comics, indo para o fumetti, se for histórias em quadrinhos boas, tem que serem lidas e debatidas.