Não deixe de conferir nosso Podcast!

Sandman: um guia para principiantes

Vertigo/DC Comics
(Sandman, Vertigo, DC Comics)

Sandman, considerada uma das maiores obras da literatura moderna, após um acordo milionário entre a Netflix e Warner, como repostamos aqui, é a mais nova série confirmada pela plataforma de streaming, já às portas de ser produzida. Veja a sinopse:

 

“Uma rica mistura de mitos modernos e fantasia sombria em que ficção moderna, drama histórico e lendas estão perfeitamente interlaçadas, Sandman segue as pessoas e locais afetados por Morpheus, o Senhor dos Sonhos, enquanto ele conserta os cósmicos – e humanos – erros que fez durante sua vasta existência”.

 

Com essa baita novidade, esse é o momento perfeito para darmos um mergulho nas histórias em quadrinhos em que tudo começou.

Poucas revistas em quadrinhos estão no mesmo nível de Sandman quando o assunto é aclamação de público e crítica. Na verdade, acredito que Sandman esteja um nível acima no gênero. Criada por Neil Gaiman, a série original teve 75 edições entre 1989 e 1996, fazendo tanto sucesso que foi parar na lista dos mais vendidos do New York Times. 

O anúncio da produção de uma série de TV de Sandman causou alvoroço na internet e dividiu as opiniões dos fãs. De um lado, os que estão super empolgados e do outro alguns com receito de como as coisas serão apresentadas em outra mídia. Se você é leitor antigo de quadrinhos, mas ainda não entende a grandiosidade da HQ ou é um novo leitor e não sabe por onde começar, deixa-nos tentar ajudá-lo com isso!

Então: o que é Sandman, afinal?

É difícil resumir! Por isso, eu deixo isso para o próprio criador da obra, Neil Gaiman, descrever com apenas 25 palavras: “O Senhor dos Sonhos descobre que é preciso mudar ou morrer, e toma sua decisão”.

O que é sucinto e poético – mas honestamente, não é tão útil para explicar a obra. Então deixe-me explicar com um pouco mais de detalhes. Sandman ou Sonho (Dream na versão original), é a representação antropomórfica de todos os sonhos. Ele pode ser e se transformar em qualquer coisa, mas geralmente aparece como um cara pálido e macilento, com olhos escuros e cabelos desgrenhados. A narrativa da HQ se inicia em 1916, quando Sonho é capturado por engano e aprisionado por um grupo de ocultistas de magia negra. Em 1988 – o ano em que Gaiman começou a escrever a série – Sonho escapa e inicia sua jornada para recuperar seus artefatos de poder, o controle do seu mundo, o Sonhar (Dreaming), e os poderes que possuía. Uma vez restabelecida a ordem no Sonhar, seguimos acompanhando Sandman através do espaço e tempo enquanto ele viaja cumprindo seu trabalho: supervisionar e influenciar o sonho, a narrativa e a inspiração para cada ser vivo no universo.

Mas eu ainda não tenho certeza se entendi.

Não se preocupe. Sandman é uma história bastante complicada, mas não pede para você se envolver com tudo que está acontecendo de imediato. Quando você precisa entender alguma coisa, Sandman vai se certificar de que você entende.

Mas onde eu consigo ler tudo isso?

Sandman foi originalmente publicado como uma revista em quadrinhos mensal, mas hoje você pode tê-lo no formato de Graphic Novel, com arcos compilados e até edições de luxo. Se você quiser ler toda a série, existem algumas opções facilmente disponíveis:

Absolute Sandman – Volume 1 (Edição Definitiva)

 

O preço dessa edição pode assustar um pouco, mas a parte gráfica/ editorial está impecável. Essa é versão de luxo do mercado nacional, cujos cinco volumes compilam todas as edições de Sandman lançadas. Em seu primeiro volume, reúne as edições #1 a #20 e três arcos completos de histórias. Capa dura com ilustrações de Dave Mckean, espessura e tipo de papel ótimos e inúmeros extras compõem a obra e fazem dela a melhor opção para quem pode e quer investir para ter todo o material em ótimo acabamento e em português.

Já escrevi uma resenha mais detalhada sobre essa edição e você pode ler aqui.

Sandman: Edição Especial De 30 Anos – Vol. 1

Este ano (2019), a Panini está lançando edições comemorativas de 30 anos da série em quadrinhos, cujo primeiro volume foi marcado por polêmicas de diagramação, mas que ainda pode ser um bom negócio. Todas as histórias de Sandman serão relançadas neste formato mais acessível, com capa cartão e preços compatíveis com o formato. O primeiro volume desse formato traz as edições #1 à #8, abrangendo o primeiro arco de histórias de Sandman, chamado Prelúdios e Noturnos. Apesar das polêmicas iniciais, ainda pode valer a pena se você não quer ou não pode investir na outra edição ou se acha mais prático ler HQs nesse formato.

Há também vários spin-offs, mas não se preocupe com isso por enquanto.

Mas então por onde eu começo?

Tanto para quem está pronto para entrar no mundo de Sandman quanto aos que ainda estão em cima do muro e querem uma provinha do que virá a seguir, recomendo fortemente que vá em frente e compre ao menos o primeiro volume da edição comemorativa e leia Prelúdios e Noturnos. Começa com as décadas que Sonho ficou preso – uma história essencial, com consequências que se estendem até o final da série – e narra sua fuga e sua tentativa de recuperar seus poderes, de uma forma linear e satisfatória.

Eu realmente gosto de Prelúdios e Noturnos (Entre outras coisas, ele contém uma das melhores histórias de terror de um único tema que já li.) Mas eu também devo dar a nota que é uma introdução imperfeita para Sandman como um todo. A obra de arte, pois é isso que Sandman é, realmente não ganha vida até que Mike Dringenberg assuma os desenhos a partir edição # 6. A narrativa central tem um ritmo quase de videogame, em que você precisa fazer as missões para abrir as portas que lhe levarão para diversos mundos onde Sonho precisa ir para recuperar três bugigangas mágicas. 

Contudo, se você procura por uma narrativa ambiciosa, vai precisar ler A Casa de Bonecas e Terra dos Sonhos, e veja como você se sentirá depois disso.

Mas por enquanto, leia Prelúdios e Noturnos!

Espere! Não vá embora, ainda! Se você está procurando um ponto de partida lógico de Sandman, há mais uma opção a considerar. Em 2013, Gaiman retornou ao universo Sandman com uma série limitada de seis edições chamadas Sandman: Prelúdio – uma história cósmica que ocorre pouco antes dos eventos de Prelúdios & Noturnos, explicando como o Sonho foi enfraquecido ao ponto de um grupo de ocultistas conseguir prendê-lo. Pessoalmente, acho que Prelúdios e Noturnos ainda é uma introdução melhor para Sandman no geral – mas se você preferir ter toda a história em ordem cronológica, meta a cara em Prelúdio (ou Overture) em vez disso.

 

Vertigo Comics
Sandman, Vertigo Comics.

Certo, vou ler. Então, o que posso esperar do resto da série?

De modo geral e superficial, Sandman alternou-se entre longos arcos narrativos e histórias únicas em suas 75 edições. Na história principal, as mais famosas e célebres, Sonho é sempre o centro de tudo.

Mas o grande lance mágico de Sandman vem de como habilmente e inesperadamente se constrói um mundo ao redor do Sonho, em histórias em que ele geralmente é apenas um personagem de apoio. Por exemplo, no quinto arco, a história de “Um Jogo de Você”, pega um personagem pequeno de um volume anterior e a transforma em uma narrativa de fantasia elaborada e surreal. Outro exemplo é a história intitulada “Fim dos Mundos”, que acontece em um bar mágico onde os visitantes esperam por uma tempestade trocando histórias únicas e loucas. No seu ponto mais inteligente, Gaiman também encontra maneiras de tecer a história da história em quadrinhos através de eventos históricos reais – como a edição vencedora do World Fantasy Award, que inventa uma nova origem para o filme Sonho de uma Noite de Verão de Shakespeare. Sandman também traz muitas referências, inclusive de personagens fictícios ou que realmente existiram, ao longo de sua narrativa – como uma história antiga envolvendo o Asilo Arkham e os super vilões do Batman.

Espere, então tudo isso acontece no universo da DC Comics? Com Batman, Superman, Mulher-Maravilha?

Tecnicamente! Os leitores mais velhos de quadrinhos provavelmente saberão de ocasiões em que Sonho participa como convidado especial, principalmente com o Constantine, Gavião Negro e o Caçador de Marte.

Mas honestamente: não se preocupe com isso. Um fato sobre Sandman é que seu escopo é gigantesco. Sonho tem irmãos e agora a coisa vai ganhar ares de uma metal opera. Sonho e seus seis irmãos são ainda mais antigos que os deuses, então eles estão por aí basicamente vendo ou participando de alguma forma DE TUDO que já aconteceu. A continuidade de Sandman eventualmente aumenta para incluir um monte de figuras históricas (César Augusto, Marco Polo, Maximilien Robespierre); um monte de figuras mitológicas (Orfeu, Loki, As Fúrias); e um monte de figuras religiosas (incluindo Lúcifer, que eventualmente conseguiu seu próprio quadrinho dentro do universo Sandman). Sim, aquele Lúcifer que agora é da Netflix é o mesmo de quem estou falando.

Em suma, parte da magia única em ler Sandman vem da habilidade de Gaiman de tecer uma história com inúmeras fontes literárias em uma única e coesa narrativa. Por isso mesmo, não se preocupe em pegar todas as referências na sua primeira leitura.

Pikachu, você falou sobre seis irmãos, explica isso melhor?

Eu não falarei sobre todos eles, porque alguns deles têm identidades que são melhor deixar intocadas para você ler e descobrir. Mas há um irmão mais velho, Destino (Destiny), que carrega um livro que contém um registro de cada coisa que vai acontecer. Há Desejo (Desire), uma figura andrógina, manipuladora e vagamente sinistra, que geralmente aparece como você queria ser.

Dream, Destino, Desejo. Estou sentindo uma relação aqui.

Sim, se você passar pela seção “D” de um dicionário em inglês, terá uma boa chance de adivinhar o resto. Mas há alguém em particular dessa família de que precisamos falar: A Morte (também conhecida como Death ou Desencarnação). Ela é, indiscutivelmente, a personagem mais carismática de toda a série Sandman. Esse também foi outro grande mérito de Gaiman, que a concebeu essencialmente como o oposto do Grim Reaper que você sempre viu na cultura popular. A Morte de Sandman é uma jovem alegre e gótica. Ela estava lá para testemunhar o nascimento de tudo e, quando chega o momento final, ela está lá também, servindo como uma gentil e amável guia para o que vem a seguir.

Todos, incluindo Gaiman, amavam tanto a Morte que ela acabou conseguindo alguns spin-offs independentes. É uma das personagens femininas dos quadrinhos mais amada da história.

Mas eu preciso ler spinoffs?

Sim, há muitos, mas apenas alguns deles são essenciais. Sete anos depois do fim do Sandman, Gaiman escreveu uma graphic novel chamada Endless Nights, que dá a cada um dos irmãos do Sonho uma história independente, com um grande artista de renome desenhando cada um. Definitivamente vale o seu tempo! Há também The Dream Hunters, escrita na forma de uma novela ilustrada por Yoshitaka Amano, de Final Fantasy.

Depois disso… Bem, quão profundo você quer ir? Sandman foi um sucesso maior que a obra poderia imaginar, mas Gaiman encerrou sua obra no momento que ele achou certo. No entanto, Lúcifer, por exemplo, tem muita coisa para ler. The Dreaming, que se concentra em uma série de personagens do mundo Sandman, tem muita coisa também. Há várias publicações sob o título The Sandman Presents e também uma coleção de contos chamado The Book of Dreams. Esses spin-offs, tendem a ser um pouco menos aclamados  e mais difíceis de encontrar do que a série principal, mas eles estão lá, se você quiser.

Isso é muita leitura. Não tem, tipo, um filme que eu possa assistir?

Oh, isso é uma saga em si. Por décadas, vários estúdios tentaram bolar uma ideia de como adaptar todo esse universo e seus personagens dentro de um filme ou série de TV. É notoriamente complicado adaptar a obra e a maioria das tentativas soou horrível. Mas sobre isso eu já escrevi, leia aqui.

Embora seja certamente possível que a Netflix/Warner consiga fazer uma boa adaptação de Sandman, ainda é difícil imaginar que qualquer versão filmada chegue a uma milha do alcance e poder da obra original. Minha certeza é que se você ainda não achasse que Sandman é a melhor revista em quadrinhos já publicada, certamente você não teria chegado até o final do texto.

 

Esse texto é apenas uma base que você se aprofunde mais sobre o Mundo de Sandman, sua importância na cultura pop e nos mundo dos quadrinhos. A Thays Costa me ajudou na produção desse artigo.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.