Não deixe de conferir nosso Podcast!

Dica de Leitura | A fase Heróis Retornam da Marvel nos anos 1990.

Heróis Retornam
Marvel Comics

Heróis Retornam é a excelente fase da editora Marvel após o desastre que foi Heróis Renascem. 

Capitão América por Ron Garney
O Capitão América de Mark Waid e Ron Garney foi o progenitor dessa fase, pois a dupla foi contratada antes de Heróis Retornam de Jim Lee e cia, foram demitidos e readmitidos. Tudo em meio a um grande turbilhão do mercado de quadrinhos americanos.

Houve um tempo como nenhum outro para a editora Marvel. Um tempo onde as publicações que mais vendiam eram as franquias X-men e Homem-Aranha. Foi um momento em que Capitão AméricaQuarteto FantásticoHomem de FerroThor e Vingadores só foram publicados por obrigação da editora, já que não eram tão rentáveis, mas tinham sua parcela de fãs.

Nos anos 90, levando em consideração que o trabalho dos desenhistas era mais importante que a história a ser contada, a editora Marvel tomou uma decisão: os personagens que não vendiam iam sofrer um reboot total após a saga MASSACRE, sendo os responsáveis pela reformulação os desenhistas Rob Liefeld e Jim Lee, os superstas dos anos 90. Assim nasceu a fase HERÓIS RENASCEM na Marvel.

Capas de Heróis Renascem
Desenhos e tramas muito criticados. Altos custos que não compensavam as vendas. Brigas entre a Marvel e os desenhistas, gerando demissões. Essa foi a fase Heróis Renascem, que “marcou” uma geração de leitores nos anos 1990.

Porém, a iniciativa foi um desastre de crítica, não houve aceitação pelos fãs e as vendas foram abaixo do esperado, pois, apesar das revistas venderem bem, os altos custos para manter os dois desenhistas/roteiristas não compensavam o trabalho feito. Foi um momento conturbado para a editora, tendo inclusive decretado falência, vendendo os direitos de seus heróis no cinema para estúdios como SonyUniversal e Fox.

Passado 01 ano dos títulos sendo publicados em cronologia própria, longe da regular, e percebendo a má recepção dos fãs, a editora Marvel resolveu trazer todos de volta em outra saga chamada HERÓIS RETORNAM, pelo escritor Peter David e desenhada por Salvador Larroca. Infelizmente, esse é o retrato que os leitores tem sobre a Marvel na famigerada década de 90.

Porém, pouco se fala sobre a fase pós-HERÓIS RENASCEM, muito porque foi nesse período que uma leva considerável de leitores abandonou os quadrinhos.

Vendo a necessidade de reestruturar as franquias que participaram da fase HERÓIS RENASCEM, a Marvel decidiu chamar artistas que se destacavam na própria editora e no mercado de quadrinhos para alavancar seus personagens.  Assim veio HOMEM DE FERRO por Kurt Busiek e Sean CheanQUARTETO FANTÁSTICO por Scott Lobdell (logo substituído por Cris Claremont) e Alan Davis (substituído depois por Salvador Larroca); THOR por Dan Jurgens e John Romita JrCAPITÃO AMÉRICA por Mark WaidRon Garney e Andy Kubert; e VINGADORES pela dupla Kurt Busiek e George Perez.

Capa de Homem de Ferro por Sean Chean
Homem de Ferro teve um visual mais limpo, ajuste em sua cronologia pessoal e um retorno ao básico, com elementos de espionagem que fazem parte da origem do personagem. Tudo isso pelas mãos de Kurt Busiek.

O trabalho dessas equipes criativas pouco é lembrado pelo fã Marvel, pois, para muitos, parece existir um vácuo na história da editora entre a saga MASSACRE e o período de maior efervescência nos roteiros da editora, com Grant Morrisson nos X-menBrian Michael Bendis no Homem-Aranha UltimateMark Millar nos Supremos, além de outros destaques.

A situação se agrava para os leitores brasileiros, já que os materiais foram publicados ainda pela editora Abril em 2000 e 2001, principalmente nos finados títulos GRANDES HERÓIS MARVEL e na coleção (caríssima na época – R$ 10,00) PREMIUM.

Edições da linha PREMIUM
Fase Premium da editora Abril. Vingadores, Capitão América e Thor, entre outros, foram publicados nessa edição que durou até a Panini Comics assumir em 2002.

As republicações que aconteceram desse período são tímidas em sua maioria, sendo o maior exemplo a publicação de THOR por Dan Jurgens John Romita Jr na coleção capa preta da Salvat nº 16, onde a editora Salvat publicou apenas as 08 primeiras histórias, sem se importar nem mesmo em lançar o final do arco EM BUSCA DOS DEUSES, havendo uma quebra de narrativa brutal.

Foi nesse período que Mark Waid desenvolveu a fase até hoje lembrada do Capitão América. Diga-se de passagem, fazendo uma INVASÃO SECRETA melhor do que Brian Bendis fez posteriormente. O título foi publicado em Marvel 2000 e Grandes Heróis Marvel PREMIUM e, recentemente, publicado na integra pela Salvat em 03 volumes de luxo.

Kurt Busiek trouxe a essência de Tony Stark/Homem de Ferro de volta, já que o personagem estava extremamente desfigurado pelas decisões errôneas dos escritores anteriores, tendo se tornado um assassino e substituído por uma contra parte jovem de um universo alternativo. Aqui, vemos o famoso playboy, milionário e gênio da Marvel como o personagem complexo que é, não o piadista mostrado nos cinemas por Robert Downey Jr. A publicação brasileira ocorreu em Grandes Heróis Marvel formatinho nº 05 e Grandes Heróis Marvel PREMIUM, ambos pela editora Abril. E merecia uma republicação no Brasil.

O Quarteto Fantástico foi o título que mais sofreu turbulência no período de HERÓIS RETORNAM, já que o escritor Scott Lobdell foi substituído por Cris Claremont, o xamâ das histórias dos X-men, e Alan Davis foi trocado por Salvador Larroca. Apesar de ser um título extremamente difícil de ler, principalmente pelo excesso de texto típico de Claremont, há seus momentos, em especial a nº 17 de Grandes Heróis Marvel PREMIUM, onde é mostrado o casamento do Doutor Destino com Susan Richards, mulher do Senhor Fantástico. O título foi publicado originalmente em Grandes Heróis Marvel formatinho nº 04 e continuou, mas de forma irregular, em Grandes Heróis Marvel PREMIUM.

Capa de Alan Davis para Quarteto Fantástico
A primeira família da Marvel (na opinião de quem escreve essa matéria) só veio a achar seu rumo nas mãos de (acreditem) Jeph Loeb, com arte de Carlos Pacheco. Bem depois de Heróis Retornam.

Talvez, o personagem mais beneficiado nesse período, porém, teve as histórias menos reconhecidas, foi THOR, por Dan Jurgens e John Romita Jr. A dupla faz um épico de aventura de primeira linha, levando o Deus do Trovão a buscar os asgardianos aprisionados pelos deuses negros. Colocando frente a frente Thor e Thanos, em uma história cósmica para deixar Jim Starlin com inveja.

Após a saída de John Romita Jr., sendo substituído por outros desenhistas sensacionais, como Stuart ImmonenTom Raney, e o brasileiro Joe Bennett, o roteirista ainda matou Odin, tornando Thor o regente de Asgard o que o levou a tomar a decisão de levar o reino dourado para a terra, muitos anos antes da fase de J. Michael Straczynski.

Arte de Thor por John Romita Jr.
John Romita Jr. estava excepcionalmente caprichoso nas primeiras histórias de Thor, entrando fácil no top 5 de trabalhos do desenhista.

Apesar de ter um final apressado e que não faz jus ao conteúdo mostrado até então, a passagem de Dan Jurgens merece mais reconhecimento dos leitores, principalmente, daqueles que sempre citam Walt SimonsonJ. Michael Straczynski Jason Aaron como os melhores roteiristas do Deus do Trovão. O título foi publicado em MARVEL 2000, Homem-Aranha PREMIUM e Grandes Heróis Marvel PREMIUM da editora Abril, passou para a editora Panini Comics em MARVEL 2002, e finalizou em OS PODEROSOS VINGADORES, também, da Panini.

Fica a torcida para que seja republicado no Brasil, haja vista a Marvel em 2017 ter lançado uma coleção em formato Omnibus com quase metade da saga de Thor por Jurgens.

E, por último, mas não menos importante, os Vingadores de Kurt Busiek e George Perez. Título esse que recebe agora o devido reconhecimento, devido às republicações pela editora Salvat, sendo publicado A VINGANÇA DE ULTRON na edição nº 01 da coleção Salvat capa vermelha, e a coleção MARVEL EDIÇÃO ESPECIAL LIMITADA OS VINGADORES, com a fase em que Busiek e Perez trabalham juntos. Infelizmente, parece não ser interesse da Salvat publicar o final da fase de Busiek (tomara que eu esteja errado!), com a luta dos Vingadores contra a dominação mundial de Kang, o futuro vilão do universo Marvel nos cinemas.

Vingadores por George Perez
Os maiores heróis da terra em boa forma, após anos de histórias ruins. Se for para ter uma comparação, Busiek fez nos anos 1990 com os Vingadores o que Grant Morrison fez com a Liga da Justiça no mesmo período.

É um título que merece uma análise mais apurada no momento correto, já que é muito bem escrito, bem desenhado e um sucessor digno dos trabalhos das lendas dos quadrinhos Stan LeeJack KirbyRoy ThomasRoger SternJohn Byrne, assim como muitos outros que escreveram o título dos maiores heróis da terra.

O quadrinho é envolvente, mostrando muitos dilemas com os personagens, principalmente para a Miss Marvel (atual Capitã Marvel) que está sofrendo os efeitos do alcoolismo. Merece ser lido como parte importante do universo Marvel, apesar da própria editora quase não citar essa fase.  O título foi publicado em Grandes heróis Marvel formatinho nºs 01 e 06, em MARVEL 2000Homem-Aranha PREMIUM e Grandes Heróis Marvel PREMIUM da editora Abril, tendo a editora Panini Comics assumido na revista MARVEL 2002, mostrando a saga SEGURANÇA MÁXIMA em X-MEN EXTRA, finalizando a passagem de Busiek, já sem Perez, em OS PODEROSOS VINGADORES. Tendo a Salvat republicado o começo da fase dos dois criadores em 03 volumes, com um box.

Imagem de Vingadores por George Perez
Dos escombros de Heróis Renascem, surgiu uma excelente fase na editora, que é pouco lembrada pelos fãs da editora.

O texto acima foi originalmente publicado no blog Balaio Cultural. E, retorna agora, com o intuito de apresentar uma fase meio esquecida pelos fãs da Marvel e Heróis Retornam que merece uma nova leitura.

Thiago Ribeiro
Thiago de Carvalho Ribeiro. Apaixonado e colecionador de quadrinhos desde 1998. Do mangá, passando pelos comics, indo para o fumetti, se for histórias em quadrinhos boas, tem que serem lidas e debatidas.