Não deixe de conferir nosso Podcast!

NERD! Por que comemorar?

Nerd
Nerd ou dia da toalha

Dia 25 de maio é o dia do orgulho nerd. Temos o que comemorar?

Obviamente, quem gosta de quadrinhos e vive neste mundo nos últimos 10 ou 15 anos tem muito o que comemorar quando se consideram todas os filmes inspirados na nona arte, entretanto, carrego comigo uma inquietação de longa data: não gosto do termo “nerd”.

Nós devemos sempre levantar uma visão crítica das coisas e aqui está minha forma de fazer isso sobre este assunto. Entendo que “nerd” é um termo pejorativo, principalmente para a grande massa dos que vivem fora da nossa bolha e não sou eu quem digo. Antes fosse! É o mundo!

Procure por “nerd” no google e veja o que aparece! Descubra por si quem é o meme nerd. Essa é a imagem que o mundo tem quando aponta o dedo para você e diz: “vejam como eles são orgulhosos de serem nerds!”

É claro que eu me identifico com muitas coisas que me colocariam neste balaio. Eu sou um fã de Arquivo X, mas nos anos 90 eu me identificava como um “excer”, assim como o fã de Star Trek se identifica como “trekker”. Mas eu não era apenas um “excer”, eu curtia muito mais coisas: quadrinhos, RPG, cinema, música… Preciso de um rótulo maior, de um guarda-chuva mais largo para abranger todas essas minhas peculiaridades…

Mas o fato é que nós não temos um termo mais popular que “nerd” para seguir. Você poderia dizer “geek”, ou se identificar mais como um “otaku”, mas outro fato é que também existe uma concepção pejorativa na origem destes outros termos: de certa maneira, os três possuem, em sua essência, um significado de pessoas anti-sociais, desajeitadas e reclusas e isso seria a melhor das acepções, porque existem adjetivos muito piores.

“Ah! Mas o geek é o cara que manja de tecnologias e o otaku, de cultura pop japonesa”, você pode dizer, mas ambos podem dedicar-se tanto a determinada área do conhecimento que podem se isolar e até apresentar alguns sintomas de fobia social.

É claro que língua é vida e vida é festa e os significados das palavras mudam. E realmente mudam! Hoje o nerd/otaku/geek deixou de ser simplesmente aquela pessoa que conhece algo de cultura pop ou tecnologia de determinada forma que pode se isolar socialmente em suas bolhas e passou a significar algo legal: enormes comunidades que gostam de alguma coisa que antes não era socialmente aceita e que agora são algumas das coisas mais consumidas no mundo (vide a bilheteria de Vingadores Ultimato ou o mercado de video-games).

Entretanto, a origem das palavras ainda carrega consigo certo pejorativismo semântico ou etmológico que continua sendo apontado com jocosidade pela maioria das pessoas. Você não muda, simplesmente, o significado de um insulto porque as bilheterias da Marvel são as maiores do mundo. A mídia nos consume. Assistam ao Anti-Herói Americano (American Splendor)! Harvey Pekar estava certo: a Revolta dos Nerds e a MTV foram um erro!

Para pravar que não sou um chato: Viva o dia da toalha!

Fiz um vídeo sobre isso e você pode assistir aqui:

Bernardo Aurélio
Sou desenhista, criador do Máscara de Ferro e autor do quadrinhos Foices & Facões. Sou formado em história e gerente da livraria Quinta Capa Quadrinhos