Não deixe de conferir nosso Podcast!

O que esperar da nova edição de Tormenta RPG

Tormenta, o cenário de Fantasia Brasileiro mais famoso do mercado, completa hoje 20 anos com o anúncio de uma nova edição.

A nova edição foi anunciado na página do Facebook da Jambô (você pode conferir clicando aqui.) junto da comemoração de 20 anos de lançamento do primeiro Módulo de Tormenta.

Para os que não conhecem, Tormenta nasceu como a aventura Holy Avenger na Dragão Brasil #44 à #46 disponível para os principais sistemas da época (GURPS e AD&D), e na edição #50 teve um encarte comemorativo com cerca de 80 páginas explicando o universo de Tormenta (também disponível para GURPS, AD&D e Defensores de Tokyo, o sistema “oficial” da revista.).

Desde então, o cenário expandiu-se para livros, romances, adaptações para o sistema d20 (o mesmo da terceira edição de D&D), além de livros-jogos e diversas outras mídias, até uma radionovela. E hoje, ao completar 20 anos, TORMENTA20 foi anunciado. Nas palavras da Jambô:

“Tormenta 20 será um livro básico completo. Textos e ilustrações inéditos, regras mais ágeis e divertidas. Todo o conteúdo necessário para jogar. Acabamento de luxo, colorido, com capa dura e papel de alta qualidade.”

Ele será fundado no Catarse e a campanha começará dia 10 de maio. Se você quiser ficar por dentro, você pode assinar para receber as notícias aqui. Mas aqui, escrevo MINHAS expectativas em relação a esta nova edição, e estou roendo as unhas com o resultado:

a-joia-da-alma-e1511889742925

1 – Mudanças na Arte.

As artes do livro de Tormenta precisam ser urgentemente atualizadas. Não estamos mais nos anos 90, as personagens icônicas de Tormenta já podem se vestir sem medo de serem repreendidas pela fanbase. Talvez seja pedir demais que o jogo abandone totalmente o estilo mangá, mas certamente o livro se beneficiaria de ilustrações mais sóbrias, como as capas dos romances recentes de Tormenta, A Joia da Alma ou Flecha de Fogo.

Mesmo imagens como a capa do livro-jogo “Ataque a Khalifor” são muito bem-vindas. Embora os quadrinhos de Holy Avenger tenham sido um marco para a marca de Tormenta, o mundo caminha para frente. Aliás, seria muito legal revisitar os personagens icônicos do cenário em um traço diferente e mais “acadêmico”. E falando em cenário…

Ataque a Khalifor

2 – Atualizações do Cenário.

Embora constantemente Tormenta venha sendo atualizado e crescendo por meio de livros-jogo, aventuras e romances, o mundo precisa de mais. Velhas questões foram resolvidas como a Libertação de Valkaria; O que é a Tormenta e Quem é o Deus esquecido que ajudou a criar a Tormenta?

Embora resoluções de mistérios façam bons romances, e boas aventuras num geral, isso pode deixar um “vazio” enquanto cenário. Avançar alguns anos e desenvolver novos problemas ainda mais cabeludos é a meta! Afinal, o mundo é de aventureiros.

tormenta-rpg-by-caiomm-d7cfcxz

3 – Novas Regras e mais intuitivas.

Embora exista um Tormenta para 3D&T Alpha; a maior parte dos fãs (e da produção de conteúdo num geral) continua focada no SistemaD20. A Quinta Edição de D&D já foi anunciada pela Galápagos, e conta com uma evolução desse sistema, mais ágil e intuitivo. Os milhares de situações de Bônus +2, +4 ou +8 foram substituídos pelo simples esquema de Vantagem e Desvantagem, onde se rola o dado duas vezes e seleciona o resultado maior ou menor.

O cenário escrito por Eduardo Spohr (de “A Batalha do Apocalipse”) conta com um apêndice chamado “Filhos do Éden – Universo Expandido”, onde além de informações e ilustrações, há também regras para se jogar RPG dentro do cenário, e o sistema utilizado é o novo d20.

Ou também podem criar um sistema próprio e que funciona de seu próprio jeito específico (como é o Old Dragon, outro sistema nacional). O ponto que eu quero chegar é que, se vão competir com o RPG mais velho do mundo, o que deve ser feito é…

4 – Ser tudo que D&D não é.

A Quinta Edição de D&D é um marco de diversas formas para a comunidade RPGista, sendo a edição mais vendida de TODAS, apresentando um sistema de regras elegante e balanceado. Mas ainda sim não é sem defeitos.

O Warlock (“Bruxo”, se você usa a tradução alternativa) é uma classe muito criticada por ser fraca em relação às demais, e o estilo de progressão extremamente linear também é algo que cansa muitos jogadores, que dizem ser “repetitivo”. Alternativamente, há também o fato de que quase todas as habilidades que se ganham no jogo são voltadas para combate, deixando coisas como a interação social em segundo plano.

Além disso, o sistema de exploração do D&D 5e é tão cru que já virou até mesmo um meme do Gordon Ramsay nas mãos dos Brasileiros. Talvez a equipe da Jambô consiga fazer melhor, afinal, é assim que os filhos de Valkaria são: Exploradores natos e curiosos.

Mesa_Alfredo.jpg

E por fim, eu gostaria apenas de lembrar que essas são apenas MINHAS expectativas em relação à nova Edição, não encarem nada do que eu disse aqui como notícia ou especulação. Mas se vocês, assim como eu, tem expectativas altas e muita fé na equipe por trás da nova edição de Tormenta, quem sabe se vocês se expressarem na página da Jambô, algumas coisas não são ouvidas, não é?

E vocês? Quais suas expectativas para Tormenta20? Deixem nos comentários!

John Cavalcante
Cortador de cana na empresa Quinta Capa