Não deixe de conferir nosso Podcast!

O Senhor dos Anéis | Tudo que precisa saber sobre a Segunda Era

Conheça como foi os principais momentos da agitada Segunda Era da Terra-Média, venha com a gente que iremos explicar.

Conheça como foram os principais momentos da agitada Segunda Era da Terra-Média, venha com a gente que iremos explicar.

Não há dúvida de que a Terra-Média de J.R.R. Tolkien faz parte da cultura pop. Já se tornou um personagem e diverte há décadas fãs e não fãs das obras através de livros, filmes, obras de arte e até mesmo aquele RPG ocasional. E Terra-Média está na moda, tanto é que a Amazon está apostando alto no continente fictício mais importante da literatura com, pelo menos, cinco temporadas da série de O Senhor dos Anéis.

A Terra-Média é antiga e, a maioria das coisas que sabemos sobre ela ocorreram na terceira era, mas acreditando no que está fazendo, a Amazon vai contar um dos momentos mais marcantes para das obras de Tolkien, a Segunda Era. Como falado várias vezes aqui, a Amazon divulgou isso no mapa que lançaram no Twitter no início de 2019 que sugereria claramente – pelo menos para os aficionados de Tolkien – que as coisas aconteceriam de fato na Segunda Era da Terra-Média.

Se você está se perguntando que diabos é a “Segunda Era”, bem, você não está sozinha ou sozinho. É preciso ler os outros trabalhos de Tolkien para descobrir a linha do tempo dos eventos que ele narra na Tera-Média. Mas uma resposta simples e curta seria a seguinte: As histórias de O Senhor dos Anéis e O Hobbit ocorrem principalmente no final dos 3.000 anos da Terceira Era; a Segunda Era abrange aproximadamente os 3.500 anos anteriores a isso.

Então, o que aconteceu durante a Segunda Era que levou as mentes criativas da Amazon a escolhê-la? Continue a leitura que vamos explicar.

Certo, mas e a Primeira Era?

Guerra da Ira
Reprodução

Se existe uma “Segunda Era” implica que houve uma “Primeira”, e a Primeira Era escrita por Tolkien é basicamente o verdadeiro protagonista de seu livro O Silmarillion. Então vamos tentar resumir o máximo que conseguimos:

O Silmarillion conta as aventuras e tragédias dos elfos em suas guerras épicas com o Lorde das Trevas Morgoth. Após séculos de derramamento de sangue, Morgoth é finalmente derrotado na Guerra da Ira, que destrói grande parte do planeta. O evento é repleto de ação, com toneladas de dragões, águias, orcs, elfos, homens, um monte de balrogs e outras criaturas sobrenaturais. Quando tudo está dito e feito, um continente inteiro é afogado e os sobreviventes de ambos os lados fogem.

A maioria dos elfos segue para o oeste, para a mesma terra celestial que Frodo e Bilbo navegam em direção ao final de O Retorno do Rei. No entanto, alguns dos elfos, junto com homens, anões e todos os seres sobreviventes, dirigem-se para a Terra-Média, onde a Segunda Era começa. Embora a Amazon não esteja explorando a Primeira Era, não há dúvida de que será um cenário importante à medida que o programa for se desenrolando.

Refugiados

Portos Cinzentos
Arte: Alan Lee

Graças à Guerra da Ira incrivelmente destrutiva, a Segunda Era começa com um bando de sem-teto em busca de novos lares. Embora existam muitas histórias de assentamento aqui e construção de reinos ali, alguns desses novos assentamentos merecem destaque.

Primeiro, temos Os Portos Cinzentos, um porto estabelecido por elfos no primeiro ano da Segunda Era. O porto está localizado na costa noroeste do continente e se torna a principal conexão da Terra-Média com o oeste esquecido. Os fãs dos filmes do Peter Jackson reconhecerão o lugar, porque este é o mesmo local em que Frodo e Bilbo acabam saindo para o mar quando termina a saga do Anel.

Quase 1700 anos após a construção dos Portos Cinzentos, Elrond funda a fortaleza élfica de Valfenda (Rivendell) . Elrond foi um alto-elfo que Sauron odiava – mais sobre isso daqui a pouco. Também conhecida como Imladris e a Última Casa Amiga a Leste do Mar, Valfenda acaba se transformando num dos principais bastiões de proteção para o Povo Livre da Terra-Média durante o resto da Segunda e Terceira eras, e continuará sendo de fundamental importância nas histórias de O Senhor dos Anéis e O Hobbit.

Para saber mais sobre Os Portos Cinzentos, leia aqui.

Galadriel e Celeborn encontram um novo lar

O Senhor dos Anéis
Reprodução ( A Sociedade do Anel, 2001)

Um dos primeiros vazamentos de elenco da série da Amazon foi a Morfydd Clark, que será nada menos a dama élfica Galadriel. Bem, Galadriel já tinha milhares de anos na Segunda Era, ela é um dos seres mais antigos de toda a Terra-Média.

Na época da Segunda Era, ela já era casada com Celeborn. Mas na época eles ficavam pulando de floresta para outra procurando um local seguro para seu povo.

Embora seja um pouco confuso contar isso de uma forma linear, é certo que eles cruzam as Montanhas Nebulosas e se mudaram para Lothlorien, mas não como seus governantes. O casal tem bastante influência nos assuntos da época, e Galadriel recebe seu anel élfico, o qual ela usa para manter sua nova casa segura e próspera. Em algum momento, ela também dá à luz a filha Celebrían, que se torna esposa de Elrond e mãe de Arwen. Embora o tempo de Galadriel e Celeborn brilhar de verdade não chegue até a Terceira Era, não há dúvida de que eles também são uns dos principais impulsionadores e agitadores da Segunda Era. Além disso, os produtores da série da Amazon já comentaram que os dois terão bastante representatividade na série.

E o Reino no Meio do Mar

Segunda Era
Mapa do Reino Insular de Númenor (Amazon Prime)

Enquanto os Elfos estavam loteando a Terra-Média, o destino dos homens estava sendo escrito em outro lugar: a nação insular de Númenor. (saiba mais aqui)

Basicamente é um dos momentos mais importantes de toda a Segunda Era.

Após a destrutiva Guerra da Ira, os Valar, os espíritos guardiões da Terra-Média, levantaram uma ilha gigante em forma de estrela no oceano como um presente para os homens que lutaram contra Morgoth. A ilha e a nação dos homens que eventualmente se instalam nela definem a Segunda Era. O Mapa que Amazon anunciou em sua conta do twitter pertence a esse reino insular.

Os primeiros homens a se estabelecerem na ilha são liderados por seu rei Elros, o irmão de Elrond. Devido a uma história familiar que já foi explicada aqui, os dois irmãos e seus filhos tiveram a opção de viver suas vidas como elfos imortais ou homens mortais. Enquanto Elrond se torna um senhor élfico imortal, Elros se torna o primeiro rei mortal de Númenor, onde governa por pouco mais de quatrocentos anos. Durante a Segunda Era, a nação insular permanece uma força a ser reconhecida e uma parte central da narrativa de Tolkien.

Sauron se torna o Senhor do Escuro

Sauron
Sauron em sua forma de Annatar (Shadow of Mordor)

No final da Primeira Era, o verdadeiro Lorde das Trevas Morgoth é banido permanentemente da Terra-Média. No entanto, muitos de seus servos sobrevivem, incluindo o Balrog que luta contra Gandalf em Moria… e Sauron. O espírito maligno que eventualmente se tornaria o Senhor dos Anéis foi o tenente mor do Lorde das Trevas durante a Primeira Era, e depois que Morgoth, o verdadeiro Senhor do Escuro e Inimigo do Mundo é banido, o próprio Sauron se torna o Lorde das Trevas.

Entrando no vácuo de poder deixado por seu mestre, Sauron se torna o principal inimigo por toda a Segunda e Terceira eras. Cerca de mil anos depois da Segunda Era, ele constrói e corrompe Mordor como sua principal base de operações e começa a fazer planos para causar alguns problemas aos povos livres. No entanto, não estamos falando de Sauron, o globo ocular flamejante aqui, nem de um cara imponente em armadura negra. Neste ponto da história, Sauron se apresenta como um Elfo. Em vez de atacar seus inimigos élficos, o Lorde das Trevas aproveita sua forma física ainda atraente, chamado Annatar, o Senhor dos Presentes, e começa a fingir oferecer sua amizade a qualquer elfo que o ouça deste lado das Montanhas Sombrias.

O Senhor dos Anéis

Sauron – ainda chamando-se Annatar – passa os próximos séculos se infiltrando, enganando e ganhando a confiança dos elfos da Terra-Média. Enquanto alguns dos senhores élficos, como Elrond e Galadriel, não confiam nele – mesmo que não consigam descobrir quem ele é – a maioria dos demais elfos confia. No que diz respeito aos últimos, esse “Senhor dos Presentes” apareceu do nada e começou a conferir seu incrível conhecimento a todos. Porque não deveríamos confiar?

Um grupo de elfos que vive perto das Minas de Moria fica particularmente encantado pelo Lorde das Trevas disfarçado. Eles são liderados por Celebrimbor, e são famosos por serem artesãos incríveis. Com a ajuda de Annatar, eles começam a aprender a forjar anéis de poder.

É nesse ponto da Segunda Era que Sauron forja secretamente o Um Anel. Ele coloca toda sua essência no Um Anel para usá-lo e controlar os outros anéis. Quando ele coloca o Um Anel, os elfos percebem instantaneamente que foram enganados e os retiram para evitar o domínio dele. Irritado com o fato de que seu anel o entregou antes que ele estivesse pronto, Sauron se prepara para subjugar os elfos à moda antiga – com uma guerra.

O jogo de 2017, Middle-Earth: Shadow of War fez um belo trabalho mostrando mais ou menos o que aconteceu na Terra-Média quando Sauron usou o Um Anel.

The Dark Lord of Mordor ( O Lorde das Trevas de Mordor)

Três Anéis
Reprodução (A Sociedade do Anel, 2001)

Uma vez reveladas as verdadeiras intenções de Sauron, ele exige os outros anéis de poder, alegando que os elfos nunca seriam capazes de fazê-los sem sua ajuda – o que é tecnicamente verdadeiro, com exceção dos Três Anéis mais poderosos dos elfos. É claro que, sentindo-se traídos, os elfos se recusam a entregar qualquer uma de suas poderosas joias.

Sauron não participou diretamente da criação dos Três Anéis, então eles estavam livres de sua influência corruptora. Então, embora ele pretendesse que o Um Anel governasse a todos, os Três estavam ligados ao poder do Um, mas seus usuários não receberam influência de Sauron. Assim, não havia necessidade de destruí-los. Isso explica porque os Três foram mantidos, em vez de descartados ou destruídos.

Com esse pretexto para guerra, Sauron ataca o Povo Livre da Terra-Média numa batalha que dura vários anos e quase leva ao domínio total do vilão. A princípio, Celebrimbor e seu povo são destruídos, os Anões recuam para Moria, e Elrond foge para o norte para fundar Valfenda. O Lorde das Trevas também captura os sete anéis que acabariam indo para os Anões e os nove anéis que acabariam sendo dados aos Espectros do Anel. Porém, os três anéis élficos permanecem ocultos.

Assim que Sauron se preparava para a corrida da vitória na Terra-Média, aparecem os Númenorianos. É isso mesmo, a nação de homens que vivia na ilha em forma de estrela no meio do oceano de repente chega e vence Sauron rapidamente, enviando o Lorde das Trevas correndo de volta para Mordor. Isso salva os elfos, homens e anões da destruição total. Nos próximos séculos, os Númenorianos e Sauron continuam a aumentar sua força e disputar o poder na Terra-Média.

Seu Humilde Servo

Servos do Anel
Reprodução (A Sociedade do Anel, 2001)

Sauron passa as próximas centenas de anos reconstruindo suas forças. Ele finalmente constrói sua torre de Barad-dûr e distribui os anéis de poder e cria os Espectros do Anel como seus novos servos aterrorizantes. Ele continua a dominar praticamente tudo o que está à vista, com a exceção dos reinos élficos e alguns povos humanos dos Númenorianos ao longo da costa da Terra-Média.

Eventualmente, Sauron se declara o rei dos homens, um movimento que é um insulto aos Númenorianos muito bélicos e orgulhosos de seu poder. O rei Númenoriano Ar-Pharazôn, o Dourado, invade a Terra-Média com um exército tão resplandecente que os servos de Sauron o abandonam sem lutar.

Consequentemente, Sauron se rende ao rei Númenoriano. Espere o que? É isso mesmo. Sauron, que ainda mantém sua a atraente aparência de Annatar, se entrega de bom grado aos Númenorianos e se torna seu refém. Isso pode parecer um movimento covarde, mas acaba sendo a condenação para os homens. Eles trazem o Lorde das Trevas de volta para sua nação insular, e não demora muito para que o prisioneiro comece a trabalhar seus encantamentos no próprio rei de Númenor.

Destruidor de Númenor

Queda de Númenor
Reprodução (Arte de Radojavor)

E estamos mais uma vez falando de Númenor. Então, quando Sauron chega a Númenor como prisioneiro, não demora muito para que o canalha se torne tão importante para rei que é promovido um de seus conselheiros. Uma vez em posição de poder, Sauron começa a convencer os súditos do rei a adorar Morgoth, fazendo até sacrifícios humanos.

Sauron finalmente convence o rei de Númenor a atacar os Valar em suas terras distantes ao oeste, numa tentativa ilusória de obter a imortalidade. Isso é claramente um problema sem precedentes, e se torna um dos raros casos na história da Terra-Média quando o próprio Deus supremo, Eru Ilúvatar, desce para intervir.

Eru destrói a armada de navios do rei rebelde e afunda a ilha insurgente em uma catástrofe semelhante à Atlântida. Curiosamente, é nesse ponto da mitologia de Tolkien que a Terra é literalmente remodelada de uma planície para uma esfera. O próprio Sauron é pego no caos e, enquanto seu espírito sobrevive e volta para a Terra-Média, seu corpo é destruído.

Gondor e Anor

Gondor e Anor
Reprodução

Neste ponto, estamos a pouco mais de 3.200 anos na Segunda Era, com apenas 250 anos serem concluídos. Nos últimos dois séculos e meio, concentraram na fundação de dois reinos importantes, um dos quais qualquer fã de O Senhor dos Anéis deve reconhecer. Estamos falando de Arnor e Gondor, dois reinos fundados por um grupo de fiéis Númenorianos que rejeitaram as mentiras de Sauron e sobreviveram à destruição de sua casa navegando antes que o caos catastrófico irrompesse.

Quando eles chegaram à Terra-Média, uniram forças com os elfos e se estabeleceram numa nova vida. Essas são as mesmas pessoas que constroem, entre muitas outras coisas, a torre de Saruman, a cidade de Minas Tirith e a torre do Topo do Vento, onde Frodo é esfaqueado pelo Espectro do Anel. Eles também trazem consigo a Árvore Branca, que pode ser vista em O Retorno do Rei, bem como o Palantir, a pedra brilhante que Saruman usa para conversar com Sauron.

Tudo encaminha para uma nova era para os homens e para os dois novos reinos … até Sauron aparecer novamente na Terra-Média.

A Última Aliança

A Última Aliança
Reprodução (A Sociedade do Anel, 2001)

 

Quando eles percebem que Sauron retornou a Mordor, os Númenorianos nomeiam a montanha da Perdição. Pouco tempo depois, Sauron começa a atacar seus inimigos mais uma vez, e os elfos, homens, anões e todos os outros povos livres da Terra-Média se unem para formar a Última Aliança.

A Última Aliança é a primeira cena que assistimos em a A Sociedade do Anel de Peter Jackson. A cena mostra como Sauron é destruído, por sorte ou destino, Isildur, herdeiro dos homens de Gondor e Anor, corta o dedo que estava o Um Anel, mas ele acaba se recusando destruí-lo nas chamas da Montanha da Perdição. E bem aqui começa a tragédia novamente.

Esses momentos no início da trilogia monumental de Jackson marcam o fim da Segunda Era. A época não apenas se encaixa perfeitamente com o material de origem cinematográfico existente, mas deixa uma enorme ajuda de histórias épicas para o pessoal da Amazon cavar enquanto os produtores escrevem e o estúdio se prepara para receber sua nova série.

Revisão: Blêndali Peres Cardoso

Fontes: Looper,  Dragão Verde (Tolkien Talk), ao maior estudioso de imagens e arte relacionadas a Tolkien, Joel MerrinerTolkien Brasil   e O Canal do Youtube do Tolkien Talk.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.