Não deixe de conferir nosso Podcast!

Os Melhores Desenhos Animados que passaram no Brasil na década de 80 | Parte 2

Segunda e última parte dos melhores desenhos dos anos 80 que passaram no Brasil.

Esse artigo é a segunda parte da lista dos melhores desenhos animados da década de 80, volta para a postagem anterior clicando aqui.

Os Caça-Fantasmas

Os Caça-Fantasmas foi criado pelos atores Dan Aykroyd e Harold Ramis em 1984, desenvolvido pela Sony Pictures Television, e produzido pela Columbia Pictures Television, DiC Entertainment e a Coca-Cola, baseado no filme “Ghostbusters” que foi um sucesso de bilheteria na época. Inicialmente o nome do desenho animado seria somente “Ghostbusters” como o filme, mas devido a uma disputa com a produtora Filmation, que tinha o direito sobre a marca Ghost Busters, baseado num outro filme chamado “The Ghost Busters”, da década de 70, que nada tinha a ver com esta nova animação. Assim, ficou The Real Ghostbusters.

O desenho animado que estreou na TV americana apenas em 1986. A história era centrada nas aventuras dos quatros protagonistas do filme, basicamente dando mais profundidade a eles e como fundaram a empresa especializada de caças fantasmas e para isso contavam também com a prestimosa ajuda da secretária Janine e do fantasma Geléia. O quarteto era formado pelo Doutor Peter Venkman, Doutor Egon Splenger, Doutor Ray e o Winston Zeddemore, o único sem patente de doutor ou cientista, mas que era o cara mais corajoso do grupo.

Contou com 78 episódios e tinha um ar mais voltado ao folclore, crenças populares e personagens característicos do feriado de Halloween, bem como referência as outras séries animadas, tais como as Tartarugas Ninjas e filmes famosos como Star Wars e Batman. Por causa do sucesso, surgiram ainda mais duas animações: “Geleia! E os Verdadeiros Caça-Fantasmas” e outra apenas em 1997 que chegou aqui como “Os Novos Caça-Fantasma”’, onde as histórias eram centradas basicamente num grupo de jovens liderados pelo velho Egon, Janine e Geleia.

Caça-Fantasmas
Reprodução

He-Man e os Defensores do Universo

He-Man
Reprodução

 

Produzida pelo Filmation Studios entre 1983 e 1985. Estreou na Rede Globo, depois saiu pulando do canal pago Boomerang, Rede Record, Rede Família, RBTV. He-Man foi o primeiro desenho animado a ganhar destaque em nível global na década de 80 no Brasil, ele chegou aqui em 1984 no programa Balão Mágico e continuo suas exibições também no Xou da Xuxa. A audiência era tamanha que até hoje é considerado o desenho de maior audiência da história brasileira.

He-Man e seus amigos defendem o planeta Eternia e o Castelo de Grayskull das forças malignas comandadas pelo vilão Esqueleto. Ele foi criado inicialmente como brinquedo e dentro da caixa ainda vinham mini-histórias em quadrinhos. Originalmente o He-Man portava um machado e o Mentor não possuía bigode.

Acontece que, em 1982, a Mattel produziu os bonecos baseados no filme Conan, mas devido ao nível de violência do filme, ela resolveu parar a produção. Para não perder dinheiro com isso, trocou as cabeças dos bonecos pelas do He-Man.

Quando a adaptação para a TV em forma de desenho animado foi feita, vários elementos tiveram de ser alterados, para que a série animada pudesse estar de acordo com a censura.

A origem do He-Man é a seguinte: enquanto o pai do príncipe Adam, Rei Randor, é um Eterniano, sua mãe Marlena, duvido que lembrava que nome dela era esse, veio da Terra. Ela era uma astronauta da NASA em missão, que, após sua nave ser colocada fora de curso, acabou pousando em Eternia. Ela foi encontrada pelo Rei Randor, os dois acabaram se casando e, eventualmente, deu à luz o príncipe Adam. Essa história só veio à tona quando 1982, antes mesmo da série animada ser feita, o He-Man trocou socos de igual para igual com o Superman! Curiosamente, a primeira vez que a mãe do He-Man apareceu como sendo da Terra, foi nos quadrinhos originais da DC. Na história, Marlena contou para o filho das façanhas do Homem de Aço quando Adam era criança. Ninguém sabia disso, eu tenho certeza!

O Principe Adam, ganha uma Espada Mágica depois de ser levado ao Castelo de Greyskull pelo amigo Mentor. Erguendo a espada de Greyskull e gritando “Pelos poderes de Greyskull… Eu tenho a Força!” Ele transformava-se em He-Man, o homem mais poderoso do universo. Ao seu lado estava seu tigre de estimação, o medroso Pacato, que quando tinha a espada de Greyskull apontada para ele durante a transformação de He-Man, virava o “Gato Guerreiro”, um animal forte e feroz e que servia de montaria para o herói.

Apesar de Super bombado, dos 130 episódios do desenho animado, He-Man não feriu qualquer criatura viva. Ele não vai usar sua espada para outra coisa senão cortar obstáculos ou desviar raios lasers. Se He-Man tinha a necessidade de se envolver em um confronto físico com outro ser, ele os agarrava e jogava em um barril, uma poça de lama, de água, etc. A Filmation queria ter certeza de que não tinha conteúdo censurável. Esse também é um dos motivos do programa sempre contar com a lição de moral ao fim dos episódios.

Em 2002, lançaram uma nova versão do desenho animado, desenvolvida por Michael Halperin, criador da série original. Ela serviu como uma atualização da série da década de 1980, na mesma época que a nova linha de brinquedos foi lançada no mercado, mas durou apenas duas temporadas. Foi aqui que ficamos sabendo que o Esqueleto é na verdade, seu tio. Seu nome verdadeiro é Keldor, na tentativa de tomar o trono de seu irmão, voltou-se para a magia negra e as coisas não deram muito certo. Tem o resto sem pele por causa do ácido que havia preparado para seu irmão, mas Randor desvia e o liquido acaba caindo sobre seu crânio. Sobrevivendo com a ajuda de Hordak e prometendo servir ao mal para sempre. Ele é azul por causa de sua linhagem Gar, a mesma que matou o Rei Grayskull. Mas eu não sei e não existe explicação aparente para a diferença de cor dele com o irmão ou mesmo com Adam.

Inexplicavelmente, o nome do personagem Orko (o amigo flutuante do príncipe Adam) foi trocado na dublagem brasileira por Gorpo. Com isso, muitas pessoas não entendiam porque ele tinha a letra “O” estampada em sua roupa.

Segundo o dublador de He-Man no Brasil, Garcia Júnior, He-Man e Príncipe Adam teriam dubladores diferentes em nosso país. Ele, Garcia dublaria apenas o Príncipe Adam e outro profissional, não citado por ele, dublaria o herói. Com a desistência do dublador que faria o He-Man a diretora Ângela Bonatti escalou Garcia Júnior para fazer os dois personagens.

Como He-Man tem na sua roupa uma cruz semelhante à cruz Pátea (chamada cruz de malta no Brasil), os torcedores do Vasco da Gama passaram a utilizá-lo como símbolo em suas bandeiras.

Sem motivo aparente a dublagem da Herbert Richers inseriu em alguns episódios do desenho três músicas incidentais que não eram da trilha original: “Timesteps”, de Walter Carlos, “Fantasía de Piratas” e “Fu-Man-Chu”, do grupo eletrônico Azul y Negro.

Em 1987 a Cannon Films produziu um filme baseado na linha de personagens de He-Man e os Mestres do Universo. Uma grande porcaria, tudo era ruim no filme e até é uma vergonha para a cultura pop. Mas não podíamos esperar nada de um filme estrelado por Dolph Lundgren como He-Man e Frank Langella como Esqueleto.

Mestres do Universo, nova série do He-Man, será produzida por Adam Bonnett (Descendentes), Christopher Keenan (Liga da Justiça), entre outros nomes da produtora Mattel Television.

Mestres do Universo deve chegar na Netflix em 2020.

As Tartarugas Ninjas

As Taratura Ninja
Reprodução

 

Estreia original foi em 1987 e durou até 1996. Só perdeu o posto de desenho animado americano com mais tempo no ar para os Simpsons e os novos desenhos do Scooby Doo. No Brasil começou no final dos anos 80 e durou por anos na Globo, passou também na Locomotion e Rede Record. Até uma música em homenagem as Tartarugas foi lançada pelo Trem da Alegria.

Também foi exibido na TV Record dentro do horário chamado Record Kids, sendo levado ao ar pela manhã aos domingos.

As Tartarugas Ninja, foram criadas em 1984 por Kevin Eastman e Peter Laird, inspirados nos quadrinhos de Frank Miller dos quais eles eram fãs, para as histórias independentes da Mirage Comics. Publicadas em preto e branco e com o título de “Eastman and Laird´s Teenage Mutant Ninja Turtles” rapidamente as quatro criaturinhas alcançaram um grande sucesso.

Das páginas dos quadrinhos, as Tartarugas Ninja invadiram a TV em um desenho animado com episódios de meia hora de duração. Com direção de Yoshikatsu Kasai, as personagens chegaram na televisão em 1987, primeiramente numa minissérie produzida por Osamu Yoshioka. Algumas mudanças foram realizadas na história das Tartarugas. As cores das bandanas foram alteradas, originalmente as quatro eram vermelhas, alteração que acabou passando para todas as outras mídias; A origem do Mestre Splinter e a profissão de April O’Neil, (que foi de programadora para repórter) também sofreram alterações.

O programa também trouxe personagens que ainda não tinham aparecido nos quadrinhos, como o vilão alienígena Krang e os capangas tapados Bebop e Rocksteady.

Na animação Splinter, foi um ratinho de estimação de um grande mestre de artes marciais no Japão, chamado Hamato Yoshi. Yoshi era rival de um cara chamado Nagi, os dois gostavam da mesma garota e em um acesso de fúria e por ter levado um fora dessa garota, pois ela gostava mesmo era do Yoshi, Nagi declara guerra ao rival. Só que Nagi acaba sendo morto por Yoshi e ele foge para os Estados Unidos com alguns pertences e o ratinho Splinter, mas sua gaiola se quebrou quando seu dono foi encontrado e morto pelo irmão de Nagi. Assim passou a vagar pelas ruas, alimentando sentimento de vingança, isso ele sendo um simples rato. rs

Até quem um dia um caminhão deixou cair um container radioativo. Este bateu em um garoto que ia passando com um aquário com quatro tartarugas. O aquário e o container caíram dentro de um buraco na rua. O container se rompeu, banhando as pequenas tartarugas no líquido radioativo. Presenciando tudo, Splinter resgatou as tartaruguinhas e cuidou delas. Com o passar dos dias, as quatro tartarugas e ele começaram a crescer e assumir uma forma humanoide. Então passou a ensinar as tartarugas tudo o que havia aprendido observando seu antigo mestre Yoshi e as batizou com o nome de quatro grandes artistas renascentistas. Leonardo, Rafael, Donatello e Michelangelo.

Elas passaram a defender a cidade do Destruidor (do clã Nagi), um poderoso vilão que possuía uma armadura especial. Mesmo tão diferentes, as quatro colegas tinham em comum a sede de justiça, o bom humor e gosto exagerado por pizzas. Na versão dublada eles eram chamados de irmãos e assim acabou ficando.

Pole Position

Pole Position
Reprodução

Sua estreia foi em 1984 e só durou apenas uma temporada. Na verdade, ela só tinha 13 episódios. Fomos tapeados novamente!!Pole Position foi uma série animada produzida pela Namco para promover o lançamento do jogo de Atari com o mesmo nome. No Brasil Pole Position foi exibido pelo SBT em 1987. A excelente dublagem e o tema de abertura foram destaques do desenho em sua exibição por aqui. É para mim, a maior abertura da vida de um desenho animado.

Na trama, os irmãos Tess, Dan e Daisy procuram seu pai, que desapareceu após uma explosão durante uma corrida.

Eles fazem parte da Pole Position, uma organização secreta que combate o crime com o auxílio de dois carros computadorizados, Wheels e Rodão.

Com episódios cheios de aventuras e obviamente com muitas corridas, mas não que esse fosse o único objetivo do desenho, mostrar carros em movimento, as histórias longe dos volantes também eram atrativas e com muita ação. Os veículos apresentam inúmeros aparelhos embutidos, como esquis aquáticos e jatos que os fazem pairar. Os computadores dos carros são portáteis e podem ser removidos dos painéis e transportados. Eles são frequentemente chamados de “módulos”. Além das apresentações e a incessante busca pelo pai desaparecido, os jovens combatiam o crime com a orientação de seu tio, Dr. Zachary, que dirigia uma “Força Secreta” governamental.

A versão animada de Pole Position, estreou ao mesmo tempo em que o mercado de videogame entrava em crise. A chegada do Sistema Nintendo reviveu o mercado, mas Pole Position não sobreviveu à demora e foi cancelado após 13 episódios, mas foi reprisado nos Estados Unidos até o dia 30 de agosto de 1986.

ThunderCats

ThunderCats
Reprodução

 

A série animada máxima da década de 80. Sua estreia foi em 1985 e durou até 1989. ThunderCats foi criado pelo inglês Ted Wolf em 1983 e passou 2 anos sendo produzido, só estreando em 1985. Por não ter nenhum grande canal de TV por trás, o desenho começou a ser exibido nos canais locais dos EUA, e em pouco tempo se tornou a maior audiência da época para um desenho animado. A série dos ThunderCats começou a ser exibida no Brasil pela Rede Globo em 1986, que mostrou somente os primeiros 100 episódios dos 130 produzidos. Inicialmente o seriado era apresentado apenas aos domingos num horário entre 10 e 11 horas.

Assim que começou a ser apresentada, a saga dos guerreiros felinos alcançou um gigantesco sucesso fazendo com que a Rede Globo exibisse dois episódios por semana em vez de um. Pouco depois o desenho passou a ser diário sendo exibido na Sessão Aventura e depois no programa Xou da Xuxa. Foi quando ganhou inclusive uma canção gravada pelo grupo infantil Trem da Alegria. Ele ainda passou no SBT.

O que chamava atenção era a animação ágil e os roteiros caprichados, que agradavam também o público jovem, adultos e fãs de HQs. A trilha sonora de Bernard Hoffer também é outro ponto que merece comentário, não só pelo tema de abertura como pela música incidental, simplesmente incrível. Ele também foi um dos primeiros maestros a usar música eletrônica em suas composições! O segredo da animação foi a seguinte, apesar de ser uma realização norte-americana da Rankin/Bass, a Telepictures Corporation e a Lorimar, praticamente toda a produção ficou para ser executada pela empresa japonesa Pacific Animation Corporation, por aproximadamente dois anos, tendo à frente uma grande equipe de desenhistas nipônicos.

Ainda sobre Bernard Hoffer, essa música é uma obra-prima:

Ainda em 1985, a Marvel Comics produziu uma série de história em quadrinhos que durou até o final da década. Publicada pela Editora Abril no Brasil. ThunderCats teve mais uma série em HQ no ano de 2002 com 25 edições, também chegou aqui, mas agora pela editora Panini.

A história contava que Thundera, o planeta natal dos ThunderCats, estava em colapso e iria se destruir, mas um grupo de felinos m grupo de felinos humanoides chega no terceiro planeta de um sistema solar. Entre os felinos estão: Lion, líder dos ThunderCats; Panthro, Tygra, Cheetara, Wilykit e Wilykat são as crianças do grupo, dois irmãos que possuem bombas de gás para qualquer eventualidade e pranchas voadoras como transporte; por último, mas não menos importante, o pequeno Snarf, protetor de Lion e responsável pelo lado mais cômico da série. Mesmo tendo que se adaptarem ao novo mundo que habitavam, eles trouxeram tecnologia, equipamentos e conseguiram fazer uma fortaleza que servia de proteção e de lar. A famosa Toca do Gatos.

Lion recebeu de seu mestre Jaga, o “Escudo Garra”, uma luva metálica em forma de uma pata de Leão capaz de refletir e deter raios de energi, além de possuir a capacidade de lançar cordas escondidas em compartimentos especiais; e a mais importante a Espada Justiceira, onde está o olho de Thundera, a fonte de força de todos os gatos do trovão. Com a Espada Justiceira, Lion pode invocar todos os seus amigos com o sinal dos ThunderCats, e também ter um aviso do perigo através da “Visão Além do Alcance”.

Mas os ThunderCats não estão sozinhos no terceiro mundo. Lá também está Mumm-Ra, um ser semelhante a uma múmia que vive numa pirâmide mística, mais especificamente dentro de um sarcófago. Quando está dentro de sua pirâmide, mantém uma forma envelhecida e desgastada pelos milhares de anos de vida. Porém ao invocar as forças dos espíritos do mal, a múmia envelhecida ganha músculos, altura e as faixas que recobrem seu corpo se partem, fazendo surgir um ser forte e de poderes quase ilimitados, com a aparência de um faraó semi-mumificado. Junto com Mumm-Ra age um grupo de mutantes vindos também de outro planeta, o Plun-Darr. O Escamoso, Abutre, Simiano e Chacal.

E aí, achou que faltou algum desenho nesta lista? Eu achei, se quiser conhecer mais desenhos clássicos deixe seu comentário. Como falei acima, foram mais de 100 desenhos nos anos 80. Faça sua lista e veremos mais coisas no futuro!

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.