Não deixe de conferir nosso Podcast!

Verdades nunca ditas sobre Hunter x Hunter

Conheça algumas coisas não ditas sobre o autor de Hunter x Hunter que poucas pessoas sabem e algumas respostas sobre sua franquia
Hunter x Hunter
Reprodução

Conheça algumas coisas não ditas sobre o autor de Hunter x Hunter que poucas pessoas sabem e algumas respostas sobre sua franquia

No mundo de Hunter x Hunter, de Yoshihiro Togashi, o ofício mais procurado é… bem, você provavelmente pode adivinhar pelo título. Esses “Hunters” podem viajar pelo mundo, derrotando e prendendo os vilões mais perigosos, procurando tesouros esquecidos e, no caso de Gon Freecss, que iniciou sua carreira como Hunter em 1998, talvez encontre seu pai e faça alguns amigos pelo caminho. Desde sua estreia, Hunter x Hunter se tornou incrivelmente popular em todo o mundo, tanto em anime quanto em mangá.

Aqui no Brasil existiam publicações – revistas mensais e quinzenais – que falavam de animes e mangás no final dos anos 90 (Animax, Anime Brasil, Anime DO, alguém lembra?) e, foi, graças a elas, que li pela primeira vez sobre Hunter x Hunter. Nunca li o mangá, mas sabia da existência do anime desde 2011, porém, quase dez anos depois e pressão de amigos, finalmente estou assistindo a versão anime e resolvi escrever sobre ela para me redimir do vacilo de não ter assistido quando foi lançado.

Hunter x Hunter tem uma premissa simples e definida por suas cenas de batalha exageradas, mas há mais em Hunter x Hunter do que o que acontece a primeira vista. Das histórias pessoais interessantes que moldaram a série aos planos ameaçadores de Togashi para encerrá-la, aqui está a verdade não contada de Hunter x Hunter.

Yu Yu Hakusho 2

Hunter x Hunter
Reprodução

Quando Yoshihiro Togashi lançou Hunter x Hunter nas páginas do Weekly Shonen Jump, já era um mangaká conhecido e bem-sucedido. Sua estreia foi em 1990 com o lançamento de Yu Yu Hakusho, que nunca foi renomeado quando foi trazido para o público do ocidente, apesar do fato de ser traduzido para o incrível título Poltergeist Report nos Estados Unidos, porém a coisa não vingou.

Yu Yu Hakusho teve suas raízes em Togashi, querendo fazer algo diferente do seu trabalho anterior, uma comédia romântica chamada Ten de Shōwaru Cupid. Com os objetivos de fazer algo que ele iria se divertir e que seria popular entre os leitores do Weekly Shonen Jump – um público que adorava as lutas das séries Dragon Ball e JoJoTogashi inventou uma história sobrenatural repleta de ação que funcionaria pelos próximos quatro anos.

Com a história de um garoto durão que morreu e foi mandado de volta da vida após a morte com a capacidade de atirar em fantasmas com raios laser espirituais fazendo dedos de arma, Yu Yu Hakusho foi um sucesso internacional. Depois de tirar um ano de folga depois de ter publicado a comédia de ação/ficção científica Nível E, Togashi decidiu voltar ao gênero shonen – e se os leitores quisessem brigas, ele lhes daria uma história com uma premissa que permitiria tantas brigas quanto ele poderia desenhar numa página.

O problema do X no meio das palavras

Hunter x Hunter
Reprodução

Embora a premissa de Hunter x Hunter seja bastante direta – os caçadores caçam coisas e de alguma forma acabam em uma série aparentemente interminável de batalhas e torneios – os leitores mais novos podem ficar confusos antes mesmo de chegarem à página um. O problema? O título, Hunter x Hunter, e aquele “x” irritante sentado entre as duas palavras. Faça uma pesquisa por “Como se pronuncia de Hunter x Hunter” e você encontrará inúmeras postagens sobre como se deve falar e ler isso.

É Hunter Ecks Hunter? Hunter Times Hunter? Talvez Hunter Cross Hunter? Hunter Dez Hunter? Acontece que não é nenhuma das opções acima. Como muito raramente acontece em qualquer palavra, o X é silencioso. É apenas “Hunter Hunter”. De acordo com o próprio Togashi no sexto volume do mangá Hunter x Hunter, ele foi inspirado a chamá-lo de “(algo) Hunter” por suas próprias experiências em coletar coisas que achavam no chão quando criança. Enquanto tentava descobrir o que havia encontrado, ele estava assistindo a um programa de comédia onde os apresentadores estavam repetindo palavras, e “Hunter Hunter” veio à mente. Quanto ao X, bem, é um sucessor espiritual da estrela pontuando o logotipo de Yu Yu Hakusho. 😀

Certo, tudo esclarecido, certo? Só queria que alguém pudesse nos dizer como diabos devemos pronunciar “Freecss”.

Super Esposa

Yoshihiro
Naoko Takeuchi e esse mané é o Yoshihiro Togashi. (Reprodução)

Para os fãs de cultura pop japonesa, o casamento de Yoshihiro Togashi é famoso. Afinal, uma das pessoas envolvidas é uma artista mundialmente famosa que criou uma das franquias de mangá e anime mais amadas de todos os tempos, definindo um gênero e obtendo sucesso mundial. E o outro é Yoshihiro Togashi.

Togashi passou as últimas décadas alegremente casado com Naoko Takeuchi, a criadora de Sailor Moon, que está lá em cima com Astro Boy e Dragon Ball na lista das séries de anime e mangá mais famosos e importante da história. O relacionamento deles tem a estrutura narrativa que daria um bom dorama, a coisa começou com uma festa para desenhistas de mangás em 1997, onde se apaixonaram. De acordo com várias relatos de seu relacionamento, Togashi propôs depois de levar Takeuchi para um jantar de aniversário dela que eles “se casassem” continuando a viver separadamente, namorando outras pessoas e, na verdade, não se casando. O famoso relacionamento aberto. Eventualmente, Naoko parou de desenhar e decidiu que era hora de casar com Togashi, eles finalmente casaram em 1999 e estão felizes desde então.

Aqueles de vocês que estão prestando atenção à linha do tempo já devem ter percebido que o início do relacionamento deles coincide com o lançamento de Hunter x Hunter, e Takeuchi estava de fato envolvida nos primeiros arcos da série. Tendo terminado o PQ Angels, seu seguimento a Sailor Moon, em 1998, Takeuchi teve algum tempo livre e decidiu ajudar como assistente de Togashi, até mesmo desenhando alguns personagens secundários. Se você está curioso, não é difícil identificá-lo, o mais notável deles é a Menchi, uma das caçadoras que administra o exame no início da série. Por fim, Togashi começou a demorar em desenhar novas histórias de Hunter x Hunter, ela pensou em desistir de quadrinhos e, em vez disso, começou a trabalhar como farmacêutica e vivendo ricamente dos direitos que Sailor Moon tem. Até hoje, ela ganha muito dinheiro com a franquia.

Torneio de Campeões

(Reprodução)

Se você leu ou assistiu Hunter x Hunter – e esperamos que tenha, porque esta lista seria uma maneira bastante estranha de começar a entender a narrativa –, talvez você tenha notado algo um pouco incomum na maneira como a história é estruturada. É essencialmente uma série de torneios cada vez mais desafiadores que revelam as pessoas mais fortes do mundo, apenas para que o próximo torneio revele alguém ainda mais forte.

A fórmula Shonen de fazer mangá para os leigos.

Começa com o Exame Hunter, no qual apenas um em cada 10.000 candidatos é aceito. E desses, mesmo uma única passagem é considerada uma raridade. Acontece que há uma parte final super secreta do exame que acontece na Heavens Arena, cheia de lutadores tão fortes que nem os Hunters podem vencê-los. Depois, há as pessoas que usam Nen! E há os Floor Masters, que são ainda mais fortes e têm poderes Nen únicos e poderosos bastantes para destruir cidades inteiras. E as pessoas que usam o Ten são ainda mais poderosas do que as pessoas que usam o Nen!

E então eles entram em um videogame! Eainda estamos pelo capítulo 50 dos 400 desenhados pelo Togashi.

A razão por trás dessa estrutura é bastante simples. Os torneios de luta têm uma história longa e orgulhosa no mangá shonen, porque são uma das maneiras mais fáceis de introduzir novos adversários e ir direto para as grandes cenas de luta sem ter que se preocupar com coisas como trama complexa ou motivação de personagem – e isso não é uma crítica. Com Hunter x Hunter, Togashi especificamente queria se concentrar nas lutas, e disse isso em uma entrevista realizada para a própria Shonen Jump.

“Analisando tudo, concluí que os mangás populares eram sobre esportes ou batalhas – coisas onde havia vencedores e perdedores claros”, disse Togashi. “Então pensei que se eu escreveria algo, teria que ser um mangá de batalha, afinal”.

Não há história que apresente claramente um vencedor ou perdedor de forma mais definitiva do que um torneio.

O lance do Nen

Hunter x Hunter
Reprodução

Falando em Nen, vamos falar sobre um dos elementos da trama mais notáveis ​​e bizarros que frequentemente surgem na série. Na sua forma mais básica, o Nen é uma técnica que permite que as pessoas utilizem uma espécie de força vital que percorre todos os seres vivos, dando àqueles que o dominam habilidades estranhas e aparentemente mágicas que podem assumir formas tão variadas quanto sentir as coisas ou nublar as mentes dos adversários, ou mesmo disparar raios. Aqueles usuários habilidosos o suficiente para manipular essa força são chamados … Cavaleiros Jedi. Não, espere, desculpe, eles são chamados de “Usuários Nen”. Misturei as coisas aqui.

Nen e seus usuários foram exaustivamente categorizados ao longo da série, com seis tipos de usuários – aprimoradores, transmissores, emissores, conjuradores, manipuladores e especialistas – e fórmulas matemáticas complicadas usadas pelos fãs para determinar o quão poderoso alguém é. Realmente, porém, os limites dos poderes de Nen são determinados menos pela matemática e mais pelo que Togashi precisa que eles façam para avançar no enredo. Eles são, no entanto, uma maneira bastante interessante de os personagens continuarem progredindo indefinidamente por muito tempo depois que os leitores pensam que seu treinamento acabou. Além disso, um dos usuários mais poderosos do Nen no mundo se chama “Biscuit”.

Vale a pena notar que, como muitas coisas no mundo dos quadrinhos e mangás, Nen tem um lado oposto do mal. Esse “lado sombrio” se chama On, e foi destaque no filme de 2014 Hunter x Hunter: The Last Mission (disponível no Prime Video). Da maneira que Nen é alimentado pela força vital de alguém e controlado através de intenso treinamento, On é uma espécie de “energia da morte”, alimentada pelo ódio, e oferece aos usuários habilidades que não têm as limitações categorizadas de Nen. Jed, o ex-líder de um esquadrão secreto de Caçadores ainda mais poderoso que os Caçadores comuns – porque sempre há uma facção secreta de pessoas ainda mais forte que a última facção secreta e super-forte – poderia até passar o poder através de seu sangue. Foi assim que Gon conseguiu usá-lo, mas, felizmente, ele usou o Nen do bem para expurgá-lo de seu corpo depois.

Mania do Togashi explicar tudo

(Reprodução)

Não que você realmente precise, mas se você estiver em busca de outra evidência de que Hunter x Hunter é impulsionado principalmente pelas cenas de luta, basta olhar para a maneira como Togashi construiu o cenário. O mundo em que HxH acontece é realmente fascinante, com inúmeras organizações secretas e um número aparentemente interminável de tesouros e vilões a serem caçados. Existem artistas marciais lutando pela glória em um arranha-céu composto por 251 anéis de luta romana empilhados um sobre o outro, crianças de olhos escarlate em busca de vingança contra assassinos misteriosos e caras que podem arrancar seus próprios braços para vencer uma luta.

Mas, embora muitas dessas informações venham da narrativa, as ideias básicas da premissa são contadas aos leitores desde o início, através de grandes linhas de texto. Isso pode parecer uma maneira contra intuitiva para um mangá de ação, mas Togashi explicou por que ele fez isso quando foi entrevistado ao lado do criador de Naruto Masashi Kishimoto em 2016, respondendo perguntas aos leitores.

Kishimoto mencionou que ele achava que era mais fácil investir nos leitores se você começasse com um mundo realista e depois amenizasse os elementos fantásticos, citando a viagem de trem em Harry Potter e a Pedra Filosofal, mas Togashi discordou dizendo: “Eu amo quando a primeira página está cheia de caixas de legenda que explicam o mundo […] E as próximas duas páginas são a propagação. Cara, esse é o meu favorito!” Tirar essas informações do caminho desde o início permite que você pule direto para as coisas boas – não apenas as lutas, mas as coisas que fazem essas lutas valerem a pena ser lidas. Como diz Togashi, “o mangá precisa primeiro ser interessante com base nas relações dos personagens”.

Hiato X Hiato

(Reprodução)

Para leitores mais impacientes, um dos elementos mais notáveis ​​de Hunter x Hunter na última década infelizmente não teve nada a ver com o que está nas páginas. Pelo contrário, tem a ver com o que não está nas páginas. Como Brian Ashcraft, do Kotaku, disse: “Yoshihiro Togashi é mais conhecido por duas coisas: criar Hunter x Hunter e fazer pausas em Hunter x Hunter”.

Desde 2006, Hunter x Hunter está em hiato com muito mais frequência do que nunca. Naquele ano, a série apareceu em apenas quatro das 48 edições do Weekly Shonen Jump, e isso deu o tom de novas e esporádicas parcelas que os leitores têm visto desde então. O recorde anterior para o maior intervalo entre as edições ocorreu entre junho de 2014 e abril de 2016, que teve início apenas três meses após outro hiato de dois anos. Até o momento, não existe nenhuma coisa nova sobre Hunter x Hunter nos mangás desde dezembro de 2018.

A diferença entre as histórias fez com que alguns leitores frustrados confundissem as linhas entre “fãs entusiasmados e ansiosos para ler a próxima edição” e “cliente autorizado exigindo que um artista atenda ao que deseja”. Alguns fãs chegaram a afirmar que a falta de novos capítulos HxH se deve ao lançamento de um novo jogo Dragon Quest e que Togashi está mentindo sobre ter problemas de saúde. Vale a pena notar, no entanto, que, embora ele os use (e aparentemente os trate incomumente bem), Togashi depende muito menos de assistentes do que outros grandes criadores de mangás. A história acima sobre Naoko Takeuchi ficando entediada por não ter nada para fazer quando ela estava trabalhando como assistente dele parece confirmar isso, assim como entrevistas em que Togashi observa que ele é um perfeccionista que prefere fazer as coisas sozinho, como evidenciado pelo fato de que para as brochuras nos desenhos que faz, ele costuma voltar e desenhar (ou redesenhar) os fundos que estavam faltando na execução original.

Veremos o Final de HxH?

Gon
(Reprodução)

Muito parecido com George R. R. Martin e Sua Canção do Gelo e Fogo, os hiatos prolongados de Hunter x Hunter fizeram com que alguns dos fãs mais extremos se preocupassem com o fato de nunca verem o fim da história, porque Togashi morreria antes de completá-la..

Esse clamor dos fãs do HxH (ou Hunter x Hunter x Hunters) parece ter sido tão sonoro que Togashi se sentiu compelido a responder em uma entrevista semanal do Shonen Jump. “Eu preciso terminar de escrever Hunter X Hunter. Chegou a um ponto em que a história termina primeiro ou eu morro antes que isso aconteça. Mas pretendo terminar. Embora você possa dizer isso em um ponto da história – onde Gon conhece Ging – completei a história uma vez. […] Como leitor da Jump, também me lembro de ter pensado ‘‘esse mangá não deveria ter acabado aqui?’ e me sentindo puto quando continuava. Quero estar sempre em contato com esse sentimento como leitor”.

Em outras palavras, ele pretende terminar Hunter x Hunter antes de morrer, mas talvez todos possamos esperar que ele tenha uma vida-longa e feliz, independentemente de sua produção criativa, ou seja, vai demorar.

Lista | Conheça os principais gêneros de animes

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.