Sexta, 22 De Fevereiro De 2019

LOJA QUINTA CAPA

Resenha | Batman Gotham 1889 (Augustyn, Mignola & Barreto)

Encadernado reúne dois contos de Batman no final da Era Vitoriana, com a belíssima arte do criador de Hellboy. Infelizmente, a edição só funciona pela metade.

 

Resultado de imagem para Batman 1889 image

 

É necessário destacar o quanto o personagem Batman é versátil. A história de um garoto que vê seus pais serem assassinados diante dele e jura que combaterá o crime que ceifou a vida dos seus genitores pode ser encaixado em diferentes situação, principalmente, por estarmos diante de um homem comum que utiliza apenas de sua força física, sua determinação e seu conhecimento adquirido após anos de treinamento.

É através dessa versalidade que histórias como Batman. Gotham 1889 (A Tale of Batman: Gotham by Gaslight no original lançado em 1889) e Batman: Mestre do Futuro (Batman: Master of the future no original de 1991) podem surgir, colocando o defensor de Gotham city em outro período histórico que não o nosso. No caso, no final da Era Vitoriana e começo do século XX.

A primeira história publicada nesse encadernado é o seu grande destaque, com roteiro de Brian Augustyn e arte de Mike Mignola, o, agora, famoso criador de Hellboy. Colocando Bruce Wayne/Batman em rota de colisão com o notório assassino Jack, o Estripador, temos a apresentação do personagem em um novo contexto, quando termina seu treinamento pela Europa e volta à sua cidade natal para atuar como um vigilante.

 

Imagem relacionada

 

O roteiro é simples, apesar das surpresas e boas representações da época, em especial, com a desconfiança que recai sobre Bruce Wayne ser o Estripador, haja vista nunca estar em casa de noite. Porém, o que brilha é a arte de Mignola. Adotando um traço pré-Hellboy, mais semelhante com que usou em Odisseia Cósmica para a DC Comics, o desenhista utiliza muitas sombras, nunca mostrando o Batman por inteiro, sendo a transição de quadros muito ágil, contribuindo para a história, além da ótima representação da Gotham do século XIX.

Pode-se dizer que, mesmo o desenhista ali estar em seu começo de carreira (1989), o artista já demonstrava habilidade em sua narrativa, com seus traços finos, mas com muita expressão. E todo esse trabalho de Mignola é acompanhado pela arte final de P. Craig Russell, desenhista que dali trabalharia regularmente com Neil Gailman e faria obras fantásticas, como Sadman, Coraline e O Anel do Nibelungo.

 

Resultado de imagem para Batman master of the future image

 

No quesito arte, os elogios, também, recaem sobre a segunda história desse encadernado. Em Batman: Mestre do Futuro, o argentino Eduardo Barreto tem um traço bem mais detalhista do que Mignola, e com cores bem mais vibrantes do que na primeira história, fazendo com que a qualidade dos desenhos continue em alta, apesar da mudança brusca de estilo.

 

Resultado de imagem para Batman master of the future image

 

Porém, se a arte da segunda história merece elogios, o mesmo não se pode dizer do roteiro de Augustyn, que aqui volta como roteirista. Na trama, temos um vilão com motivações sem muito nexo, conduzindo uma trama confusa, já que o mesmo quer que Gotham pare com o progresso que as máquinas trazem, senão, haverá consequências. É inegável que o argumento e as motivações dos personagens são muito rasos, com exceção do próprio Bruce Wayne que tem que voltar a ser o Batman para deter a nova ameaça.

 

Resultado de imagem para Batman master of the future image

 

O encadernado da Panini é apenas protocolar, já que não conta com nenhum extra, apenas com as capas originais e uma biografia dos autores ao final. A vantagem é que seu tamanha um pouco maior do que os encadernados que a editora lança valoriza a arte das histórias.

 

Resultado de imagem para Batman master of the future image

 

Contando com uma bela arte, mas com um roteiro que só funciona na primeira história,  Batman Gotham 1889 é daqueles encadernados que mostram como o Homem Morcego pode se adaptar a diferentes interpretações, já que sua essência é um prato cheio para várias histórias, seja em que século for. Porém, para funcionar, precisa de bons roteiros.

 

 

Ficha Técnica

  • Capa dura, com 120 páginas
  • Editora Panini
  • Lançamento em setembro de 2018
  • Preço de capa: R$ 37,00
  • Tamanho: 19 x 28 cm

 

  • 6/10
    Roteiro - 6/10
  • 9.5/10
    Desenhos - 9.5/10
  • 7/10
    Narrativa - 7/10
  • 7/10
    Edição Nacional - 7/10
7.4/10

Summary

COMO SERIA a GOTHAN CITY DE MAIS DE CEM ANOS ATRÁS? Em uma era repleta de mistérios e superstições, como o povo de Gotham reagiria a uma estranha criatura da noite, um vigilante trajado de morcego, temido tanto por criminosos quanto pelos inocentes? Parte desse povo viveria aterrorizada. Outra, tocaria sua vida tranquilamente. Somente um homem ignoraria a situação um homem com um único e obsessivo interesse. Seu nome? Ninguém sabe com certeza. A maioria o conhece simplesmente como Jack. Jack, o EstriPador. BATMAN: GOTHAM 1889 traz o clássico conflito entre o Homem-Morcego da Era Vitoriana e o Açougueiro de Whitechapel, ao lado de sua aclamada sequência, Batman: Mestre do Futuro, na qual o Cavaleiro das Trevas encontra um enlouquecido visionário determinado a impedir que Gotham City adentre o século 20. Uma mistura inesquecível de história, fantasia, ficção científica e ação, cortesia dos criadores Brian Augustyn, Mike Mignola, P. Craig Russell e Eduardo Barreto. (A Tale of Batman: Gotham by Gaslight, Batman: Master of the Future) Edição encadernada.

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: