Não deixe de conferir nosso Podcast!

Há 40 Anos O Mundo Perdia John Lennon

Aquele 8 de dezembro de 1980 estava sendo um dia animado para John Lennon. Após uma sessão de fotos com sua esposa para Annie Leibovitz, o músico dera uma entrevista para um programa de rádio, saindo em seguida para o estúdio Record Plant, onde cuidaria da mixagem de “Walking On Thin Ice“, canção solo de Yoko Ono que conta com sua participação nas guitarras. À noite, retornando para casa, John é interpelado por um homem, Mark Chapman, que dispara em sua direção cinco vezes com um revólver .38, acertando quatro tiros. Consumia-se, dessa forma, uma das maiores tragédias da História da música.

O mundo entraria em choque. Lennon, um dos fundadores dos Beatles, verdadeira lenda da cultura pop, retomava então a carreira musical após cinco anos de silêncio. O nascimento de seu filho Sean o faria repensar a vida, tornando-o um homem caseiro, focado na família. Em agosto de 1980, o músico volta a pisar num estúdio, preparando aquele que seria seu último trabalho, “Double Fantasy“. Bem recebido pelo público e pela crítica, ficou marcado por sucessos como “(Just Like) Starting Over” e “Woman”. Vivendo uma fase feliz e tranquila, John diria em sua última entrevista: “I’m 40 now and I feel just… I feel better than before. You know?“.

Ainda que tenha decretado uma década antes que “o sonho acabou”, foi sua morte que marcou o fim de uma era. De uma geração. De uma certa inocência, nascida nos anos 1960, que ainda pairava no ar, acreditando no poder do amor e em uma chance para a paz. Após os tiros, Lennon foi levado ao hospital no carro da polícia que atendera a ocorrência. Mas os ferimentos fatais interromperiam sua vida antes de qualquer atendimento médico.

Em 2020, a efeméride lembrada com maior destaque foi seu aniversário: se vivo fosse, John Lennon teria completado 80 anos em outubro. Para celebrar sua vida, obra e genialidade, foi lançada a coletânea “Gimme Some Truth“, que traz como destaque a remixagem de diversas músicas de sua carreira solo, realçando o frescor das canções. Sua produção foi dirigida tanto por Yoko quanto por seu filho Sean, legando ao mundo um tributo à altura do homem que, entre outras coisas, compôs o hino definitivo do século XX. Imagine.

 

Rafael Machado
Parnaibano, leitor inveterado, mad fer it, bonelliano, cinéfilo amador. Contato: rafaelmachado@quintacapa.com.br