Não deixe de conferir nosso Podcast!

Resenha | Brymir – Wings of Fire (2019)

O álbum 'Wings of Fire' da banda de death metal melódico Brymir, conta com o equilibrio do peso com elementos sinfônicos e letras inspiradas!

O álbum ‘Wings of Fire’ da banda de death metal melódico Brymir, conta com o equilibrio do peso com elementos sinfônicos e letras inspiradas!

Brymir é uma banda finlandesa de melodic death metal/symphonic metal, fundada em 2006 na cidade de Helsinki. Contando com Joona Björkroth (guitarra/backing vocal), Sean Haslam (guitarra), Patrik Fält (bateria), Jarkko Niemi (baixo/vocal) e Viktor Gullichsen (vocal), combina elementos poderosos do death metal melódico com arranjos sinfônicos e uma temática lírica inspirada na mitologia nórdica. A rica combinação de músicos talentosos proporciona uma experiência única aos ouvintes.

O álbum Wings of Fire, lançado em 8 de janeiro de 2019, marca o terceiro capítulo da discografia da banda. Neste trabalho, a Brymir demonstra todo o seu virtuosismo musical e amadurecimento artístico, apresentando uma poderosa jornada através de paisagens sonoras épicas e cativantes. A combinação de riffs agressivos e melodias marcantes, aliada às letras que exploram histórias mitológicas e épicas, cativa tanto os fãs antigos como novos ouvintes.

Vamos fazer uma passagem faixa a faixa dessa obra que, como diria um amigo, é puro ouro!

Gloria in Regum

A letra de “Gloria in Regum” explora a mitologia nórdica, celebrando a glória dos reis e guerreiros em batalhas épicas. A faixa apresenta uma harmonia poderosa, combinando riffs de guitarra intensos com elementos sinfônicos que criam uma atmosfera grandiosa. O desempenho dos membros é impressionante, mostrando sua habilidade técnica e paixão pela música. A recepção do público e crítica foi positiva, elogiando a fusão única de elementos sinfônicos com o metal melódico.

Hails from the Edge

“Hails from the Edge” cativa com sua harmonia complexa, onde os elementos sinfônicos e guitarras criam uma atmosfera envolvente. A letra aborda temas épicos de coragem e superação. A faixa foi bem recebida pelos fãs e crítica, elogiada pela fusão única de elementos sinfônicos e metal melódico, além da capacidade da banda em criar uma narrativa musical intensa.

LEIA TAMBÉM:  Crítica | A Killer Paradox é Colossal

Ride on, Spirit

Essa faixa, que despertou meu interesse pela banda, traz um peso adicional com riffs agressivos e intensos, impulsionando uma energia contagiante. As influências do death metal melódico e elementos da música folk nórdica são perceptíveis, acrescentando um toque distintivo. O desempenho dos membros é impressionante, destacando-se a entrega emocional de Viktor Gullichsen nos vocais.

Sphere of Halcyon

“Sphere of Halcyon” apresenta influências de música clássica e trilhas sonoras de filmes épicos, contribuindo para uma atmosfera grandiosa. A faixa mostra o virtuosismo dos membros da banda, com arranjos intrincados e uma interpretação emocional da letra.

Chasing the Skyline

“Chasing the Skyline” traz uma abordagem mais acelerada e empolgante, com riffs cativantes e um refrão marcante. A letra retrata a busca por novos horizontes e aventuras. A harmonia entre os instrumentos é notável, criando uma sensação de dinamismo.

Lament of the Ravenous

A faixa mostra o lado mais agressivo da Brymir, com riffs rápidos e uma pegada mais sombria. A letra traz um lamento voraz e sombrio, adicionando profundidade emocional ao álbum. O desempenho de Jarkko Niemi no baixo é notável, fornecendo uma base sólida para a intensidade da música.

Chasing the Wind

“Chasing the Wind” apresenta uma abordagem mais épica e sinfônica, com uma atmosfera cativante e cinematográfica. A letra aborda a busca por significado em meio à incerteza. A faixa destaca a capacidade da banda em criar momentos de grande impacto e proporcionar uma experiência envolvente aos ouvintes.

Anew

“Anew” oferece uma emocionante conclusão para o álbum, com uma introdução suave e emocional que cresce em intensidade. O destaque especial fica para o trabalho primoroso de Noora Louhimo, vocalista da banda Battle Beast, cujo alcance vocal incrivelmente alto eleva a música a novas alturas. Sua interpretação poderosa e emotiva complementa perfeitamente a temática de renovação e recomeço presente na letra. A harmonia melódica e o desempenho expressivo dos demais membros criam uma atmosfera poderosa e envolvente, fechando o álbum com chave de ouro.

LEIA TAMBÉM:  Resenha | A Morte dos Inumanos (Donny Cates & Ariel Olivetti)

Brymir - Integrantes da banda

Após mergulhar nas grandiosas paisagens sonoras de “Wings of Fire”, é impossível não se render à magnificência da Brymir. Com uma fusão perfeita de elementos sinfônicos e metal melódico, a banda finlandesa criou uma jornada épica que nos transporta para terras míticas e batalhas heróicas.

Cada faixa cativa com suas letras imersivas, envoltas em uma harmonia complexa e performances impressionantes de seus membros. A intensidade das guitarras, a força dos vocais/corais e a maestria dos arranjos sinfônicos encantam e arrebatam os ouvintes em uma experiência musical inesquecível.

O poder das composições e a recepção calorosa do público e crítica são um testemunho claro do talento e dedicação dessa banda extraordinária.

Com “Ride on, Spirit” como um ponto de partida apaixonante (para mim), mal posso esperar para acompanhar a jornada da Brymir em futuros trabalhos e testemunhar o florescer contínuo de sua música inspiradora.

Sem dúvida, estarei presente para celebrar a glória dessa banda épica em todos os seus empreendimentos futuros!

Siga-os! Instagram | Facebook | Youtube | Twitter (X)

Ouça! Spotify | Apple Music | Deezer | Amazon Music

Com formação em análise e desenvolvimento de sistemas, assume o desenvolvimento desse site e mais alguns outros. Pai de Valentina, Edgar e Raul, escreve algo aqui sobre games, música ou tecnologia sempre que os pequenos deixam.