Não deixe de conferir nosso Podcast!

Resenha| Os Filhos de Anansi (Neil Gaiman)

Os filhos de Anansei (Neil Gaiman)

Texto: Jackson Rocha
Neil Gaiman é, definitivamente, um astro da cultura pop. Reconhecido principalmente por seu trabalho com quadrinhos (Sandman, The Books of Magic, Coraline, além de diversos títulos e contribuições para Marvel e DC), o autor também tem um prolífico trabalho
em outras áreas. Títulos como Deuses Americanos e O Oceano no Fim do Caminho foram aclamados por público e crítica.
Dono de um estilo particular de narrativa, que mescla elementos de mitologia, contos de fadas e fatos cotidianos, Gaiman escreve histórias extremante belas e cativantes. Os Filhos de Anansi (The Anansi Boys, no original) é uma dessas. Talvez não tão conhecido quanto as obras mais famosas do autor, não deve em nada às mesmas.
Nele, somos apresentados a Charles Nancy, um homem normal que leva uma vida normal, onde nada de extraordinário acontece. Da forma como nos é inicialmente apresentado, o personagem é a representação do homem comum, que tem um emprego que não gosta, mas que precisa trabalhar; que tem problemas com autoestima, que mantém um relacionamento morno. Aparentemente, uma pessoa desinteressante, mas que vai passar por transformações ao longo da história.
O ponto de partida para isso é o seu casamento. Particularmente, quando a sua noiva pede para que ele convide seu pai, de quem não guarda boas recordações. Enquanto Charles Nancy é um homem ordinário, seu pai é uma pessoa excêntrica, extraordinária. Mas isso nunca foi motivo de sua admiração, ao contrário, pois o jeito de ser de seu pai não trazia nada além de embaraço (o próprio apelido de Fat Charlie foi um “presente” dele) e frustração por conta da sua ausência.
Ao aceitar o pedido da noiva, Charlie descobre que seu pai está morto e que possui um irmão, com o qual entra em contato. Spider, apesar da semelhança física, é total oposto a ele, sendo espontâneo, charmoso, um tanto quanto falastrão. Com seu aparecimento, a vida de Fat Charlie é colocada de pernas pro ar.
No decorrer do romance, Charles Nancy descobre a verdadeira natureza do seu pai. Anansí é um deus africano, a aranha que tece a teia das histórias do mundo. “Todas as histórias são de Anansí”. Como parte de sua descendência, Fat Charlie começa a descobrir que há mais nele do que o ordinário, mais até que em seu irmão Spider. Esse processo de descoberta e crescimento do personagem é desenvolvido de uma forma espetacular pelo autor.
Também cabe ressaltar o poder das palavras no romance, principalmente na família de Anansí. Vindo de um tempo em que a linguagem escrita ainda não havia sido criada pelo homem, que a tradição era transmitida por via oral, o deus e sua descendência tem o poder da palavra. O autor explora a mitologia de forma brilhante, como em outros de seus livros. Essa vai sendo descoberta ao longo da leitura, como seu fossemos passageiros de Charles Nancy no seu processo de descoberta.
O ato final é belíssimo. Aqui, Fat Charlie finalmente aceita quem é e manifesta todo o seu potencial, como o verdadeiro herdeiro de Anansí. Não deixando de lado o humor que é característico de toda a obra, vemos como os irmãos acabam invertendo de papel no fim, sendo esse o desfecho perfeito para o protagonista.
Os Filhos de Anansi é uma obra muito divertida, que trabalha um universo interessante, através de uma narrativa cativante, sendo quase impossível dar uma pausa na leitura. Aqui, Neil Gaiman mantém a mesma qualidade de suas obras primas. Definitivamente, um dos melhores trabalhos do autor. Vale a pena colocar na sua lista de leitura, ou reler, caso já tenha lido.

Neil Gaiman, um dos autores mais queridos da atualidade.

PikachuSama
Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.