Não deixe de conferir nosso Podcast!

Resenha | Tex Edição Especial Colorida nº 12 (Editora Mythos)

Antologias de quadrinhos são, por natureza, díspares na qualidade do material que contêm. Os nomes envolvidos; a proposta elaborada por cada um; os limites editoriais para o desenvolvimento do material: no fim, tudo pesa para a qualidade do produto final.

Mas esta edição, que traz contribuições de Mauro Boselli, Claudio Nizzi e Pasquale Frisenda, entre outros, deixa um saldo positivo, em vista dos elementos interessantes que são explorados ou apresentados ao longo das cinco histórias que reúne.

Publicado originalmente em novembro de 2017 na Itália, o volume abre com “Atire no pianista”, que se destaca pela arte de Frisenda, sem dúvida, já que o roteiro de Pasquale Ruju, girando em torno de um excêntrico assassino contratado para dar cabo de Tex, dispara num atropelo de eventos, principalmente na resolução do final.

“Eu matarei Tex Willer”, por Giusfredi e Soldi, é engenhosa na proposta, a começar pelo título (e os primeiros quadros despertam a curiosidade de fato), mas deixa a desejar na execução como um todo. “Justiça tardia”, de Cavaletto e desenhada por Poli, é de longe a mais fraca de todas e insatisfatória em todos os sentidos.

São os dois contos que encerram a edição que trazem verdadeiro brilho e justificam a aquisição. “A primeira missão”, conta a investigação de um jovem Tex em início de carreira como ranger. Com roteiro do citado Boselli e lápis por Bertozzi traz um plot básico, inclusive já explorado em Tex Edição Especial Colorida n° 9, mas que flui bem de qualquer forma, cabendo dentro do número de páginas e encerrando com uma interessante reflexão sobre o significado de justiça.

Por fim, “Do pôr do sol ao alvorecer”, bela narrativa escrita por Claudio Nizzi e desenhada por Zaghi, é texiana até a medula. Uma espécie de homenagem ao “mito” de Tex, é contada pelo viés de um jornalista que acompanha os passos do ranger assim que ele chega em sua cidade. Precedido pela fama, nosso herói atrai os olhares de todos, que já imaginam uma caçada em curso de algum bandido, embora ele nada diga a ninguém. Por coincidência, dois grupos criminosos escondidos no lugar, se sentem alvo dele e a razão de sua presença, tramando assim sua morte o mais rápido possível.

Curto e preciso, o enredo mostra de forma brilhante tudo aquilo que Tex inspira nas pessoas, ainda que ele próprio subestime suas ações, conforme vemos no diálogo com o jornalista. Ao abraçar tudo que simboliza o personagem, se revela uma daquelas histórias feitas como verdadeiro presente aos fãs do ranger.

FICHA TÉCNICA:

  • Capa cartão, com 164 páginas;
  • Editora Mythos;
  • Lançamento em fevereiro de 2019;
  • Preço de capa: R$ 27,90.

Esta edição não terá notas em vista do trabalho coletivo de diferentes escritores e desenhistas.

Rafael Machado
Parnaibano, leitor inveterado, mad fer it, bonelliano, cinéfilo amador. Contato: rafaelmachado@quintacapa.com.br