Sexta, 15 De Março De 2019

LOJA QUINTA CAPA

H.P. Lovecraft | 5 razões pelas quais você deveria ler o pai do horror cósmico

H.P. Lovecraft, pai do terror na literatura moderna e você nunca leu nada do que ele escreveu? Lhe darei alguns motivos!

H.P. Lovecraft, foi um escritor de ficção muito estranha quem viveu de 1890-1937. Não existe outro adjetivo: Todo mundo que ler pela primeira vez qualquer coisa dele, achará tudo muito estranho. Mas o cara escreveu bastante no seu auge e criou uma nova forma de contar história de terror. Ele escrevia suas narrativas sobre paisagens fantásticas, interesses macabros e tentativas infelizes de se aprofundar em lugares ocultos, conhecimento esquecido e proibido. Apesar disso, Lovecraft morreu pobre e desconhecido, vindo ficar famoso depois de morto, o coitado. Sendo considerado o criador do Horror Cósmico e uma das figuras mais importantes da história da literatura. Sim, ele era um pouco racista, e sim, muitas de suas histórias envolvem figuras quase cômicas – poderosos exércitos de gatos, feras aladas que fazem cócegas em você antes de deixá-lo cair no abismo. Mas se você é fã de ficção científica ou terror, é difícil evitar a influência que este homem tem ainda hoje na cultura pop. Um autor de escrita esquisita, esotérica e única. Lovecraft morreu precocemente, aos 46 anos após sofrer por quase um ano de um agressivo câncer no intestino que o impedia de se alimentar corretamente.

15 de Março de 2019 fará 82 anos de sua morte e para homenagear o autor, aqui estão 5 razões pelas quais todo fã de ficção científica / terror deve ler H.P. Lovecraft.

 

5. Casas assombradas

 

Casas Assombradas seriam reinventadas com as obras de H.P. Lovecraft

As casas assombradas têm sido um marco de horror desde que o gênero foi criado, com os primeiros contos góticos se concentrando em acontecimentos assustadores, mas ambíguos, em mansões antigas e barulhentas. Ouvir e contar história de espíritos vagando a noite por corredores vazios é algo muito comum dentro da história da literatura e do cinema. Pegamos os filmes O Iluminado (1980) ou A Casa da Colina (1999), são exemplos do que estou falando. A obsessão por casas assombradas continuou com o horror moderno. Lovecraft não inventou a casa mal-assombrada, mas desenvolveu temas clássicos neste subgênero e os adicionou de uma maneira que influenciou muito – ainda que apenas implicitamente – as descrições modernas de horror. Histórias como Abominável Criatura ou NecronomiconO Livro Proibido dos Mortos. É fácil ver a influência dessas obras nas modernas representações de casas assombradas, adicionando nuances e profundidade à ideia de uma casa mal-assombrada. Discursos sobre a natureza do horror apresentado como uma história de casa assombrada, com um final satisfatoriamente chocante. Por causa desses aspectos das histórias de casas assombradas de Lovecraft, podemos apreciar ainda mais os filmes de terror modernos que aborda esse tema.

4. Cultos diabólicos

 

(Reprodução)

Todos adoram cultos sinistros e rituais estranhos, especialmente quando combinados com um bom monstro ou dois. Sociedades secretas dedicadas a descobrir conhecimento oculto através de ritos arcanos, invocando deuses e monstros malignos para aterrorizar a sociedade. O horror cósmico e moderno está repleto disso. Tais cultos colocam um rosto humano em horrores inumanos, dão aos protagonistas um mortal com o qual lutar, e até mesmo intensificar o horror, com a possibilidade de que os humanos possam ser cúmplices de nossa própria destruição. Novamente, enquanto os medos de cultos sinistros antecedem Lovecraft, suas histórias expandiram sua credibilidade e arrepio. Histórias como O Festival, O Horror de Dunwich e – mais famoso – O Chamado de Cthulhu incluía grupos de humanos que ainda adoram os antigos deuses e se esforçando para seu retorno. As representações de cultos sinistros de Lovecraft contribuíram enormemente para a imagem moderna delas e, possivelmente, para grupos do mundo real, como aquelas crianças que adoram dizer que são Wicca. Eles também cresceram da loucura ocultista do final do século 19 e início do século 20, com Aleister Crowley preparando o caminho para o Led Zeppelin e médiuns como Edgar Cayce discutindo continentes escondidos. Lovecraft racionalizou – em certo sentido – essa ideia geral de cultos ocultos, dando-lhes algo para adorar e um objetivo claro para alcançar. Ele também os humanizou, adicionando um trágico elemento de maravilhas bem-intencionadas sendo tomadas por suas atividades nefastas. Estes não eram apenas floreios dramáticos ou tentativas de preencher buracos na trama; os esforços humanos – através desses cultos – foram parte integrante das histórias de Lovecraft e do universo mais amplo.

3. Aliens Antigos

(Reprodução)

Quem não ama o programa Alienígenas do Passado? A teoria é cheia de falhas e vacilos, mas deixa a gente com uma pulga atrás da orelha. Segundo o programa, os alienígenas vieram aqui milênios atrás, inspiraram nossos ancestrais, ajudaram a construir as pirâmides, ensinaram sobre sistemas estelares invisíveis com historiadores “especialistas” provando placebos que tudo aquilo é real. Mas tudo isso é maravilho.

Este um tema que é bastante usado em contos de ficção científica e horror. Em muitos casos, esses antigos alienígenas eram responsáveis pela civilização humana e, às vezes, pela própria humanidade. Essa proposta faz parte do universo criado por Lovecraft. Os humanos não são os primeiros – e não serão os últimos – a habitar a Terra; muito antes de nós, antigos deuses de origem extraterrestre reinaram supremo nosso planeta. Alguns ainda estão na Terra, esperando para serem despertados – como em O Chamado de Cthulhu e Nas Montanhas da Loucura. Outros partiram para outros mundos e outras dimensões, e estão esperando para serem chamados de volta. E às vezes eles só querem ser deixados sozinhos, como em Os Outros Deuses.

Esses antigos alienígenas são a causa de muitas das ocorrências sobrenaturais em histórias de Lovecraft, e os cultos sinistros que ele espalhou ao longo de seus escritos foram muitas vezes dedicados a trazer esses deuses de volta à vida. Hoje cada referência que você encontrar no cinema moderno e literatura vem de Lovecraft; Guillermo del Toro chegou a dizer que abandonou as tentativas de fazer um filme de Nas Montanhas da Loucura – o que teria sido incrível – depois de ver Prometheus (2012), supostamente por causa da semelhança das duas histórias. E alguns argumentaram que as crenças no mundo real sobre alienígenas do passado surgiram de Lovecraft e seus contos. Assim, a leitura de Lovecraft dá-lhe uma ideia de onde veio toda esta conversa, mas também melhora as representações modernas criando um universo inteiro no qual as monstruosidades pré-humanas podem influenciar a sociedade contemporânea.

2. Tudo precisa fazer algum sentido

 

(Reprodução)

Este motivo é um pouco mais filosófico, porém muito importante. Galões de tinta foram derramados sobre as influências sociais e implicações da moderna ficção científica e horror. Os filmes de terror são antifeministas, e podem ser sátiras de atitudes dessensibilizadas em relação à violência. A ficção científica pode representar sentimentos anticorporativos, temores de guerra nuclear, ansiedade em relação à conformidade. E muitas obras de ficção científica e de terror tentam estabelecer uma ampla história de fundo. Além disso, alguns tentam criar um universo além de seus filmes, incluindo menções de outras obras, como o crânio Xenomorfo em Predator 2 (1990), para citar um exemplo. Mas raramente a mensagem filosófica, o histórico e o cânone que cruzam as histórias são combinados de forma tão brilhante como nos trabalhos de Lovecraft. Como discuti acima, ele criou uma elaborada história para personagens e eventos, juntando uma série de deuses antigos e atores contemporâneos sinistros. E há inúmeras referências cruzadas entre suas histórias, com vilões, personagens e até mesmos livros – o famoso Necronomicon – aparecendo em vários contos e virando uma obra da cultura pop atual. Estes combinados para criar um mundo que era, se não realista, pelo menos crível. Mas o mais importante, subjacente a tudo o que ele escreveu, foi a poderosa, mas deprimente filosofia de Lovecraft: o universo não se preocupa com a humanidade, nós estamos sozinhos, e se realmente descobríssemos as forças impressionantes que atuam..no que diz respeito às nossas realizações, nós enlouqueceríamos.

Ele tinha realmente uma ideia que tudo acabaria em tragédia e terror.

1. Ele é o Suprassumo da Nerdice

 

(Reprodução)

Para mim, antigamente, ser nerd era aquele cara que sabia todos os episódios de Star Trek de todas as temporadas, citando o nome em inglês e português de cada um, saber ciências exatas, saber o nome de todos os heróis da DC ou da Marvel ou ser muito bom em Xadrez. Eu não estava tão da verdade… Dadas as minhas habilidades sociais adequadas, a cor da minha pela e cabelo, posso ser realmente um nerd? Será que alguma vez já fui considerado isso? Uma coisa é certa, eu percebi que eu sou apaixonadamente dedicado a um cara que escreveu histórias de ficção no início do século 20.E os fãs de Lovecraft são intensos. Os devotos se reúnem em seu túmulo a cada Halloween para uma sessão de homenagens, eu nunca faria algo assim, as pessoas iram pensar que talvez eu fosse um terrorista. Mas tudo que acabei lendo depois de conhecer esse cara, me deu um mundo que nunca imaginei. Basicamente as coisas que mais gosto atualmente precisam ter temas sombrios, bichos medonhos e assustadores. Mas pensando um pouco sobre o que é ser um Nerd, eu sou até que um cara normal.

Além disso, acredito que há duas coisas que Lovecraft deixou no seu legado. Primeiro é o conhecimento esotérico. Todo mundo assistiu Prometeus queria no fundo ver a suas relações com universo do Alien. O renascimento dos filmes de quadrinhos significa que a maioria das pessoas leu uma graphic novel do Batman, ou, pelo menos, sabe que elas existem. E graças a Peter Jackson, o Senhor dos Anéis é tão popular como Harry Potter. Mas quem realmente conhece Lovecraft? As pessoas podem achar o boneco de pelúcia Cthulhu ou se divertir jogando Cthulhu Gloom. Mas todo mundo pronuncia erroneamente Cthulhu – Lovecraft disse que era khlul-loo não C-th-ool-oo embora este último pareça ser o padrão agora – e a maioria tenha lido apenas uma ou duas de suas histórias. Como disse meu amigo Renato: Na dúvida, vai o bom e velho Cleiton.

Você pode não ser capaz de citar todos os episódios de Dr. Who, mas se tornar um fã de Lovecraft, e você sempre ganhará os concursos de obscuridade. Lovecraft inspirou inúmeros jovens escritores que escreveram histórias Lovecraftianas, mas também faziam referência explícita a seus antigos deuses. Algumas dessas adaptações romperam com a visão de Lovecraft, como August Derleth criando um panteão de deuses bons e maus. Essa flexibilidade permitiu que a ficção lovecraftiana continuasse até o dia atual. Lovecraft é um pop e você precisa conhecê-lo urgentemente.

Leia também: Sexta Macabra | Quem Foi H.P. Lovecraft, O Mestre Do Horror

Quem é PikachuSama

Editor de Contéudo deste site. Eu não sei muita coisa, mas gosto de tentar aprender para fazer o melhor.

 

  

Posts Relacionados
%d blogueiros gostam disto: