Não deixe de conferir nosso Podcast!

Pathfinder 2 | Análise Da Segunda Edição do maior rival de D&D

Já se passaram dez anos desde o lançamento de Pathfinder(que você pode saber mais aqui e aqui) e, finalmente, temos em mãos a sua segunda edição. E foi um momento duplamente histórico: não só tivemos éo lançamento de Pathfinder 2e, como também tivemos este lançado simultaneamente no Brasil, único país que o recebeu ao mesmo tempo que os EUA(em PDF, mas ainda assim um grande feito).

Um playtest cheio de expectativas

Este foi um lançamento que deixou os fãs apreensivos. Se por um lado o playtest de Pathfinder 2e trouxe algumas mudanças  que despertaram interesse, por outro foi cercado de polêmicas quanto à eficácia do sistema e quanto a algumas de suas regras(a regra de ressonância foi bastante criticada). Durante alguns meses ele continuou, com fãs dando feedback pelos canais normais e através de fóruns e redes sociais.

Muito se perguntou se a Paizo estava mesmo atenta ao clamor dos fãs. Muitos estavam preocupados também  com o tempo de produção: o playtest de seu concorrente, Dungeons and Dragons 5e, levou um ano(iniciando em 2012), com mais  um ano de desenvolvimento até o lançamento do Players Handbook em 2014(os livros seguintes seriam lançados posteriormente no mesmo ano).

O playtest de Pathfinder 2e foi anunciado em 2018 e conduzido para que durasse em torno de seis meses, para seu posterior lançamento em primeiro de agosto de 2019, quando o jogo completaria dez anos de existência. A Paizo divulgaria vários vídeos falando sobre a nova edição, principalmente sobre os métodos de compilação de dados adquiridos durante o playtest e o quanto eles serviriam para modernizar o jogo.

Eis o resultado.

Apresentação

Uma das coisas que saltam aos olhos no livro é sua organização e atenção aos detalhes. Pathfinder 2e tem muita repetição, dissecação e diagramas, de forma a não deixar dúvida a quem vai ler. Isso tudo sem que o leitor fique sobrecarregado de informações. O glossário e índice remissivos são especialmente bem organizados e grandes facilitadores para o entendimento do jogo.

A barra lateral ajuda o leitor a se localizar, sem que ele tenha de voltar ao índice para saber em qual seção ele precisa achar alguma informação. A introdução é um excelente meio de já deixar jogador e mestre familiarizados com todos os termos novos criados para Pathfinder 2e. Ele também criou um sistema bem intuitivo para compreender os símbolos que descrevem as ações possíveis pelos personagens, assim como as regras em si.

Icons from the Pathfinder Second Edition Core Rulebook show graphically how the in-game action economy functions, with chevrons for single actions, two-action activities, and three-action activities. The key also details reactions and free actions.
Legenda das ações. Fonte: Polygon

A seção para explicar ancestralidade tem uma grande introdução, para não deixar dúvidas para entender o que ela tem a oferecer. O mesmo se dá com a seção de classes, com barras laterais, caixas de texto e uma tabela com tudo o que você precisa de uma forma bem organizada. A sub-seção de talentos conta com informações bem organizadas e legendadas, para não deixar dúvidas sobre seu funcionamento.

A sessão sobre a Era dos Presságios Perdidos oferece uma descrição sucinta do cenário e seu estado. Também dá um panorama das diferentes culturas que habitam Golarion, em uma diversidade rara de se ver no RPG atual.

Não poderia faltar também uma seção só sobre magias. A descrição das mesmas lembra a dos talentos. A novidade é pra seção de magias de foco, uma novidade para conjuradores. Também há uma parte para rituais.

A parte de regras do jogo e mestrando seguem o modelo do livro, com explicações detalhadas, passo-a-passo e várias dicas para se obter uma sessão de jogo divertida.

Arte

A arte dos jogos da Paizo sempre foi algo de encher os olhos e aqui não é diferente. Os elfos de Golarion estão com um aspecto mais alienígena. As diferentes etnias humanas são todas muito bem representadas. E os gnomos ainda mais exóticos.

Resultado de imagem para pathfinder 2e elf
Merisiel, a ladia elfa icônica. Fonte: Pinterest

A parte de classe ainda traz um mais, com cada uma delas sendo introduzida por um dos personagens icônicos. Para quem não sabe, os personagens icônicos foram criados para representarem as classes.

E mais: a Paizo costuma lançar romances e quadrinhos com eles.

Classe

As classes de Pathfinder 2e são o passo mais importante na criação do personagem. Afinal de contas, este representa o fruto do treinamento do personagem e o seu papel no grupo também será definido neste ponto.

A seção de classe conta com uma descrição introdutória, com instruções de como entende-la, um resumo descritória de cada uma delas até a descrição detalhada de cada uma delas. Cada classe é introduzida com a ilustração de um personagem icônico(criado para representar cada uma das classes).

Resultado de imagem para pathfinder 2e fumbus
Introduzindo o novo icônico: Fumbus, o goblin alquimista. Fonte: Paizo

As descrições de classe contam com atributos-chave, quantidade de pontos de vida recebidos, uma seção lateral contendo em quais outros atributos o personagem tem treinamento ou especialidade. O texto também contém descrições de como as classes se portam as mais variadas situações, alem de dicas de representação e de como costuma ser visto pelos outros.

A seção conta também com uma tabela de progressão e a descrição das características de classe. Logo depois é seguida pela parte que vai oferecer mais possibilidades ao jogador: os talentos(a ser visto com detalhes mais à frente).

E analisando as classes de Pathfinder 2e, devo dizer que as mesmas encontram-se bastante equilibradas. A forma como elas evoluem as suas competências foi muito bem pensada. Você pode estranhar a evolução de certos pontos, mas ao analisar com cuidado o todo, vai perceber que foi tudo muito bem pensado.

Um exemplo? Ao analisar as competências do guerreiro e do monge, verifiquei que o primeiro já começa como especialista em ataque desarmado enquanto o segundo, que sempre se destacou neste, só começa  como treinado. Nos níveis finais de ambos, a disparidade permanece.

Parece absurdo, mas em Pathfinder 2e, o guerreiro tem o domínio completo no combate; por outro lado, o monge já começa como especialista em defesa sem armadura e evolui para se tornar o melhor neste quesito. E mais: o monge também é excelente para ultrapassar resistências. Equilíbrio.

Proficiências

Este atributo em Pathfinder 2e mede a capacidade do personagem de realizar tarefas, resistir a efeitos, obter sucesso em ataques… ele está presente nos testes de resistência, perícias, ataques, defesas…enfim, em quase tudo na ficha do personagem.

Os personagens tem cinco níveis de proficiência: destreinado, treinado, especialista, mestre e lendário. Cada nível tem um bônus associado a ele. Treinado, por exemplo, garante 2. É também somado um bônus de atributo e quaisquer penalidades e outros bônus cabíveis.

O sistema de proficiências é familiar e fácil de ser entendido. Particularmente me agrada mais que o sistema de Dungeons & Dragons 5ª edição. Embora simples e eficaz, a forma de evolução de perícias sempre me desagradou. Em Pathfinder 2e, a forma de evolução é bem definida e colocada de forma clara.

O livro também é bem claro na descrição de ações do que fazer com as perícias, assim como o que você pode obter com elas.

Talentos

É neste ponto que Pathfinder 2e mostra um de seus maiores potenciais: a customização. Com a combinação de talentos específicos, você pode ter um personagem bem único. Portanto, mesmo que um grupo tenha dois integrantes da mesma classe, raramente parecerão redundantes.

Quer um exemplo? Na descrição do ladino, você pode escolher seu esquema favorito: ladrão, malandro e rufião. O primeiro é o ladino clássico, envolvido com roubos e que usa furtividade; o segundo prefere passar a perna nos outros e em luta, faz uso de fintas; e o rufião usa sua força para intimidar.

O que nos leva à mecânica dele: o ataque furtivo do ladrão acontece quando o adversário está na condição desprevenido. E o ladino tem vários modos de conseguir isso: com um ataque furtivo, uso de fintas, atacando antes de todos os outros…

A árvore de talentos oferece muitas possibilidades. Portanto, prepare-se pra obter muita inspiração para criar personagens bem diferenciados.

Combate

Embora o sistema tenha se simplificado mais, isso não significa que ele deixou de ser complexo. E a palavra-chave é essa: complexo. Complicado? Absolutamente, não. Pathfinder 2e oferece um sistema que organiza os modos de jogo em recesso, exploração e combate. E, como em todo bom rpg de ação e fantasia, esse é o seu melhor.

O combate aqui é mais tático. As regras deixam bastante claro o que um personagem pode fazer em seu turno, deixando tudo mais fácil de aprender. Cada personagem tem três ações a fazer em um turno. Movimento, ataque, feitiço…tudo tem um custo em ações. O personagem também tem direito a uma reação(conferidas por habilidades de classe ou talentos). Todo o custo e descrição é deixado bem claro, restando pouco espaço pra dúvidas.

Se não acredita o quão fluído possa ser, é só procurar no youtube pois já há canais transmitindo sessões de Pathfinder 2e. O próprio Jason Buhlman, desenvolvedor do jogo, é o mestre de uma campanha no próprio canal da Paizo e em outra no canal Geek and Sundry.

A Versão Brasileira

A New Order correu contra o tempo, mas o trabalho compensou. A versão que recebemos ainda no dia do lançamento está excelente. A qualidade de tradução está excelente, com alguns termos diferentes do usual, mas nada que cause estranheza.

Uma coisa que achei divertida foi o exemplo de jogo, com os nomes do pessoal da New Order. Lembra daqueles gibis da Abril, onde os nomes dos editores e funcionários dela apareciam nas histórias? Mesma coisa aqui.

 Foi um trabalho extraordinário; porém, não  livre de erros. Alguns erros de grafia aparecem ao longo do livro e outros são mais recorrentes mais para o final do mesmo. Nada que comprometa o resultado, contudo.

No entanto, ter lançado em pdf primeiro garante a correção antes do lançamento do livro físico(em dezembro) e a editora está com um programa de recompensas especial para quem encontrar estes erros.

O link para o financiamento coletivo tem as instruções detalhadas para como proceder para enviar os erros. Só enviar um e-mail com o assunto “FÃQUIPE PATHFINDER” para neworder@newordereditora.com.br e obter crédito na loja da editora. Mais detalhes, no link do catarse(mais à frente).

Conclusão

Embora haja semelhanças, Pathfinder 2e é uma criatura bem distinta de seu concorrente. Dungeons and Dragons 5e alcançou um grande sucesso focando na simplicidade, no que tinha de mais tradicional e na introdução de mecânicas inovadoras. Pathfinder dá uma reviravolta, mantendo o que tem de especial, deixando de lado o que não adiciona e focando em uma ambientação diversa, possibilidades de customização e combate tático e fluído.

O financiamento coletivo de Pathfinder 2e vai até o dia 15/08/2019. O pdf pode ser obtido após confirmação de pagamento até esse prazo.

Link: https://www.catarse.me/Pathfinder2e#about

UPDATE: Saquem só o vídeo do pessoal do RPG Planet ensinando a criar personagens. Vejam como é fácil!

Erico Campos
Formado em administração e radiologia, professor por vocação e geek de coração!